Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Relembre crimes e julgamentos famosos
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/120217jurisfamosos_album.htm
  • totalImagens: 15
  • fotoInicial: 15
  • imagePath: http://n.i.uol.com.br/ultnot/album/
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120314004344
    • julgamento [29550];
Fotos
João Acácio Pereira da Costa, conhecido como o "Bandido da Luz Vermelha", em foto de 1971, na prisão. Ele foi acusado por quatro assassinatos, sete tentativas de homicídio e 77 assaltos. Condenado a 352 anos de prisão, ficou no cárcere por 30 anos, entre agosto de 1967 e agosto de 1997. Menos de seis meses após ser solto, em janeiro de 1998, foi morto após se envolver em uma briga em Ananindeua (PA) Folhapress Mais
Julgamento de Raul Fernando do Amaral Street, o "Doca Street", condenado pela morte da socialite Angela Diniz em dezembro de 1976, com quem tinha um relacionamento amoroso. Doca Street foi julgado duas vezes pelo crime: na primeira ocasião, em 1980, foi inocentado, sob o argumento de que agiu em defesa de sua honra, já que teria sido traído. A decisão causou revolta popular, e o julgamento foi remarcado para o ano seguinte. O réu foi condenado a 15 anos de prisão. Após cumprir a pena, Doca Street lançou o livro "Mea Culpa", que conta sua versão para os fatos Folhapress Mais
Coronel da reserva da Polícia Militar e deputado estadual Ubiratan Guimarães (PTB), em 2006, durante julgamento em São Paulo (SP). Mais de 13 anos após o episódio conhecido como massacre do Carandiru, que resultou na morte de 111 presos, o coronel que chefiou a invasão na Casa de Detenção saiu absolvido do Tribunal de Justiça. Vinte desembargadores anularam a pena de 632 anos, determinada pelo 2º Tribunal do Júri, em 2001, e inocentaram o coronel. Ele foi morto em sua casa na capital paulista em 2006, em crime cujas circunstâncias não foram esclarecidas Marlene Bergamo/Folhapress - 15.fev.2006 Mais
Caso Daniella Perez: o acusado pela morte da atriz, o ator Guilherme de Pádua, chega ao Tribunal do Júri para o julgamento, em 1997. Ele e a ex-mulher, Paula Nogueira Thomaz, foram condenados a 19 anos e seis meses de prisão. Cumpriram um terço da pena e deixaram a prisão em 1999 Folhapress - 23.jan.1997 Mais
Coronel Mário Collares Pantoja, um dos oficiais condenados pelo massacre de Eldorado dos Carajás --no qual 19 sem-terra foram mortos--, durante julgamento em 1999, na qual foi inocentado. O Tribunal de Justiça do Pará anulou o júri no ano seguinte e marcou novo julgamento. Em 2002, Pantoja e o major José Maria Pereira de Oliveira foram condenados a 228 e 154 anos de prisão, respectivamente. Ambos recorreram e aguardam em liberdade o final do processo Marlene Bergamo/Folhapress - 16.ago.1999 Mais
Índios no plenário do Tribunal do Júri de Brasília durante o julgamento dos acusados que atearem fogo no índio Galdino Jesus dos Santos, morto em 1997. Os quatro maiores foram condenados a 14 anos de prisão por homicídio qualificado. O menor, a três anos de internação. No Tribunal do Júri, em 2001, um dos acusados afirmou que o objetivo do ato era dar um susto no indígena; outro disse que confundiu Galdino com um mendigo Sérgio Lima/Folhapress - 06.nov.2001 Mais
Caso Favela Naval: policiais militares deixam o presídio Romão Gomes após absolvição; oito PMs chegaram a ser condenados, em 1998, por crimes cometidos durante operação na favela Naval, em Diadema (Grande São Paulo), em março de 1997. Em 1999, desembargadores do Tribunal de Justiça anularam o júri que condenou a 65 anos de prisão o soldado Otávio Gambra, o Rambo, que atirou e matou um morador da favela durante a operação. Em novo julgamento, ele foi condenado a 47 anos, mas teve a pena revista para 15 anos. No fim, Rambo ficou nove anos na cadeia Folhapress Mais
O motoboy Francisco de Assis Pereira, o "Maníaco do Parque", foi condenado, em júri popular realizado em 2002, a 121 anos e oito meses pela morte e estupro de sete mulheres na Grande São Paulo. Ele foi detido em 1998 Folhapress - 05.set.1998 Mais
O jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves acompanha seu julgamento, em 2004, dentro da sala do Júri, no fórum de Ibiúna (SP). Acusado pela morte da namorada Sandra Gomide em 2000, Pimenta Neves ficou preso por sete meses, quando conseguiu liberdade provisória para aguardar o julgamento. Julgado em 2006, foi condenado em júri popular a 19 anos de prisão. No entanto, foi preso apenas em 2011 e conseguiu, em tribunais superiores, reduzir a pena para 15 anos Caio Guatelli/Folha Imagem Mais
Julgamento do ex-estudante de medicina Mateus da Costa Meira, conhecido como o"atirador do shopping Morumbi", após atirar em várias pessoas em um cinema de São Paulo com uma metralhadora, em 1999. Em 2004, ele foi condenado a 120 anos e seis meses --pena depois reduzida a 48 anos-- pela morte de três pessoas. Já preso, tentou matar um detento na penitenciária Lemos Brito, em Salvador Edson Ruiz/Folhapress - 11.out.2011 Mais
Suzane von Richthofen deixa o 89º Distrito Policial, em julho 2006, para o julgamento no Fórum da Barra Funda, em Sao Paulo (SP). Ela e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos foram condenados a 39 anos de prisão pelo homicídio dos pais de Suzane, ocorrido em 2002 André Porto/Folhapress - 18.jul.2006 Mais
O promotor de Justiça Thales Ferri Schoedl chora ao ser absolvido, por unanimidade, em 2008, no julgamento do assassinato de Diogo Mendes e pela tentativa de assassinato de Felipe Siqueira Cunha. No dia 30 de dezembro de 2004, Thales participava de um luau na praia de Bertioga (SP) quando um grupo de rapazes teria mexido com sua namorada. O promotor começou a discutir com eles e, em seguida, sacou uma arma e fez vários disparos Rogério Cassimiro/Folhapress - 26.nov.2008 Mais
O cirurgião Farah Jorge Farah, condenado a 13 anos de prisão pela morte da amante Maria do Carmo Alves, em 2003, assassinada com requintes de crueldade. Preso em 2003, recebeu em 2007 o direito de aguardar o fim do processo em liberdade Robson Ventura/Folhapress - 30.mai.2007 Mais
Primeiro dia de julgamento do caso da garota Isabella Nardoni, no Fórum Criminal de Santana, em 2010. A menina, de 5 anos, foi jogada na noite de 29 de março de 2008 do sexto andar de um edifício na zona norte de São Paulo. O pai, Alexandre Nardoni, e a madrasta, Anna Jatobá, foram condenados a 31 anos e 26 anos e oito meses, respectivamente Adriano Vizoni/Folhapress - 22.mar.2010 Mais
Lindemberg Alves, durante julgamento no fórum de Santo André (SP), em fevereiro de 2012. Ele foi condenado a 98 anos e 10 meses de prisão pela morte de Eloá Pimentel e mais 11 crimes cometidos em 2008. A adolescente de 15 anos, ex-namorada de Lindemberg, foi mantida refém por ele por cerca de cem horas até ser baleada Leandro Moraes/UOL - 13.fev.2012 Mais

Relembre crimes e julgamentos famosos

Veja mais:

Últimos álbuns de Notícias



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos