Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Enquete
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2012/05/04/marcha-das-vadias-pelo-mundo.htm
  • totalImagens: 468
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20110610213816
Fotos
27.set.2014 - Mulheres promovem Marcha das Vadias pela Descriminalização do Aborto no calçadão da 13 de Maio, no centro de Campinas, interior de São Paulo, neste sábado(27) Luciano Claudino/Código 19/Estadão ConteúdoMais
6.set.2014 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias no centro de Melbourne, na Austrália. O protesto é realizado em cidades de todo o mundo em diferentes dias desde 2011 e critica o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores David Crosling/EfeMais
9.ago.2014 - Policiais acompanham a Marcha das Vadias em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro Domingos Peixoto/Agência O GloboMais
9.ago.2014 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro Domingos Peixoto/Agência O GloboMais
2.ago.2014 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias pelas ruas da cidade de Vitória, no Espírito Santo, neste sábado (2) Bruno Herculano/Futura Press/Estadão ConteúdoMais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). A manifestação contou com cerca de 80 pessoas. O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Gisele Pimenta/Frame/Estadão Conteúdo Mais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). A manifestação contou com cerca de 80 pessoas. O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Gisele Pimenta/Frame/Estadão Conteúdo Mais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). A manifestação contou com cerca de 80 pessoas. O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Gisele Pimenta/Frame/Estadão Conteúdo Mais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Estadão ConteúdoMais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Estadão ConteúdoMais
5.jul.2014 - Manifestantes participam da 4ª edição da Marcha das Vadias, na praça 19 de Dezembro, no centro de Curitiba (PR), neste sábado (5). O movimento é um ato contra o machismo, homofobia, transfobia, racismo e outras formas de opressão, além de incentivar que mulheres vítimas de violência sexual denunciem seus agressores Paulo Lisboa/Brazil Photo Press/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, pelas ruas do centro de Florianópolis, neste sábado (24) Eduardo Valente/Agência Photo Press/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, pelas ruas do centro de Florianópolis, neste sábado (24) Eduardo Valente/Agência Photo Press/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Belo Horizonte teve uma edição da Marcha das Vadias na praça da rodoviária, na tarde deste sábado (24). A passeata reuniu centenas e estava programado para terminar na praça da Liberdade Alberto Wu/Futura Press/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, pelas ruas do centro de Florianópolis, neste sábado (24) Eduardo Valente/Agência Photo Press/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes se concentraram no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), para a 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Marcos Alves/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes caminham, na avenida Paulista, durante a 4ª Marcha das Vadias em São Paulo, neste sábado (24), na região central da capital. O lema do ato é: "Quem cala não consente!", que sugere uma reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Marcos Alves/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes protestam no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), na 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Marcos Alves/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes caminham, na avenida Paulista, durante a 4ª Marcha das Vadias em São Paulo, neste sábado (24), na região central da capital. O lema do ato é: "Quem cala não consente!", que sugere uma reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Marcos Alves/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes caminham, na avenida Paulista, durante a 4ª Marcha das Vadias em São Paulo, neste sábado (24), na região central da capital. O lema do ato é: "Quem cala não consente!", que sugere uma reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press Photo/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Manifestantes se concentram no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), para a 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press Photo/Agência O GloboMais
24.mai.2014 - Manifestantes se concentram no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), para a 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Renato Mendes/Futura Press/ Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Mesmo com as temperaturas baixas, manifestantes pintam o corpo para a 4° Marcha das Vadias, neste sábado (24), em São Paulo. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual J Duran Machfee/Futura Press/ Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Com faixas e cartazes, manifestantes pedem respeito às mulheres no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), na 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual J Duran Machfee/Futura Press/ Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Com faixas e cartazes, manifestantes pedem respeito às mulheres no vão livre do Masp (Museu de Arte de São Paulo), na avenida Paulista, neste sábado (24), na 4° Marcha das Vadias. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Mesmo com as temperaturas baixas, manifestantes pintam o corpo para a 4° Marcha das Vadias, neste sábado (24), em São Paulo. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Mesmo com as temperaturas baixas, manifestantes pintam o corpo e carregam cartazes na 4° Marcha das Vadias, neste sábado (24), em São Paulo. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press/Estadão ConteúdoMais
24.mai.2014 - Manifestante pinta o rosto para a 4° Marcha das Vadias, neste sábado (24), em São Paulo. Com o lema "Quem cala não consente!", o ato quer provocar reflexão contra a cultura do estupro, que responsabiliza as mulheres por toda violência cometida contra elas, principalmente as de caráter sexual Cris Faga/Fox Press/Estadão ConteúdoMais
27.abr.2014 - Centenas de pessoas participaram da "Marcha das Vadias, em Porto Alegre, para protestar contra a violência à mulher, neste domingo (27). A palavra "livre" vinha pintada nos corpos de muitas manifestantes que usavam apenas sutiãs ou tinham os peitos nus. Elas gritavam: "se ser livre é ser vadia, somos todas vadias". Esta quarta edição da "Marcha das Vadias" reuniu em sua maioria mulheres jovens, mas homens também se uniram ao protesto Zucco/Agência RBSMais
27.abr.2014 - Centenas de pessoas participaram da "Marcha das Vadias, em Porto Alegre, para protestar contra a violência à mulher, neste domingo (27). A palavra "livre" vinha pintada nos corpos de muitas manifestantes que usavam apenas sutiãs ou tinham os peitos nus. Elas gritavam: "se ser livre é ser vadia, somos todas vadias". Esta quarta edição da "Marcha das Vadias" reuniu em sua maioria mulheres jovens, mas homens também se uniram ao protesto Zucco/Agência RBSMais
27.abr.2014 - Centenas de pessoas participaram da "Marcha das Vadias, em Porto Alegre, para protestar contra a violência à mulher. A palavra "livre" vinha pintada nos corpos de muitas manifestantes que usavam apenas sutiãs ou tinham os peitos nus. Elas gritavam: "se ser livre é ser vadia, somos todas vadias". Esta quarta edição da "Marcha das Vadias" reuniu em sua maioria mulheres jovens, mas homens também se uniram ao protesto Zucco/Agência RBSMais
28.set.2013 - Mulheres participam de Marcha das Vadias realizada pela primeira vez pelas ruas do centro de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As manifestantes reivindicam políticas públicas de combate à violência contra a mulher Luis Cleber/Estadão ConteúdoMais
28.set.2013 - Mulher pede respeito durante a Marcha das Vadias realizada pela primeira vez pelas ruas do centro de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As manifestantes reivindicam ainda políticas públicas de combate à violência contra a mulher Luis Cleber/Estadão ConteúdoMais
28.set.2013 - Mulher exibe cartaz de protesto durante a Marcha das Vadias realizada pela primeira vez pelas ruas do centro de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As manifestantes reivindicam ainda políticas públicas de combate à violência contra a mulher Luis Cleber/Estadão ConteúdoMais
28.set.2013 - Com o rosto coberto, ativista participa de Marcha das Vadias realizada pela primeira vez pelas ruas do centro de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As manifestantes reivindicam ainda políticas públicas de combate à violência contra a mulher Luis Cleber/Estadão ConteúdoMais
28.set.2013 - Ativista exibe os peitos durante Marcha das Vadias realizada pela primeira vez pelas ruas do centro de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As manifestantes reivindicam ainda políticas públicas de combate à violência contra a mulher Luis Cleber/Estadão ConteúdoMais
1º. set.2013 - Ativistas deitam no chão durante protesto conhecido como a "Marcha das Vadias", contra a discriminação e violência contra as mulheres, em Monterrey (México) Daniel Becerril/ReutersMais
27.jul.2013 - Grupo protesta contra a Igreja Católica e em defesa do aborto, neste sábado (27), nos arredores da praia de Copacabana, durante a Jornada Mundial da Juventude AFPMais
27.jul.2013 - Jovem participa da Marcha das Vadias, organizada pela Associação de Mulheres Brasileiras (AMB), no Posto 5 da praia de Copacabana, na zona sul do Rio, neste sábado (27), em protesto contra a opressão e o controle da sexualidade das mulheres Alessandro Buzas/Futura Press/Estadão ConteúdoMais
27.jul.2013 - Jovem participa da Marcha das Vadias, organizada pela Associação de Mulheres Brasileiras (AMB), no Posto 5 da praia de Copacabana, na zona sul do Rio, neste sábado (27), em protesto contra a opressão e o controle da sexualidade das mulheres Alessandro Buzas/Futura Press/Estadão ConteúdoMais
Crianças também participam da Marcha das Vadias, que acontece na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, deste sábado (27). Em um dos cartazes, menina agradece por lutarem pelo seu futuro. A manifestação é realizada a algumas horas do início da vigília que será ministrada pelo papa Francisco, durante a Jornada Mundial da Juventude Julio Cesar Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Cerca de cem manifestantes realizam a 'Marcha das Vadias' no posto 5 da praia de Copacabana, Rio de Janeiro. Eles protestam contra a posição da igreja sobre o aborto e pedem que o Estado seja laico de fato. Um dos gritos que elas entoam pergunta pelo morador que sumiu da Rocinha, na semana passada: 'Papa levanta o seu vestido, quem sabe aí embaixo está o Amarildo?' Bruno Poppe/FrameMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Bruno Poppe/FrameMais
27.jul.2013 - Cerca de cem manifestantes realizam a 'Marcha das Vadias' no posto 5 da praia de Copacabana, Rio de Janeiro, contra políticas de aborto da igreja. Peregrinos protestam contra a marcha das vadias usando megafones Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
27.jul.2013 - Manifestantes realizam 'Marcha das Vadias' na praia de Copacabana, Rio de Janeiro Júlio César Guimarães/UOLMais
13.jul.2013 - Mulheres se reúnem na Marcha das Vadias, no centro de Curitiba (PR), na manhã deste sábado (13). O objetivo da manifestação é chamar a atenção da sociedade a questões como o fim da violência sexual contra mulheres e o machismo Vagner Rosario/Futura PressMais
29.jun.2013 - Mulheres realizam Marcha das Vadias neste sábado em Belém. O grupo saiu da Praça da República em direção a região do Mercado Ver-O-Peso Tarso Sarraf/Estadão ConteúdoMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Antonio Araujo/UOLMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Antonio Araujo/UOLMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Antonio Araujo/UOLMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Antonio Araujo/UOLMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Andre Borges/FolhapressMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Andre Borges/FolhapressMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Andre Borges/FolhapressMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Wilson Dias/ABrMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Wilson Dias/ABrMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Wilson Dias/ABrMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar Wilson Dias/ABrMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar André Coelho/Agência O GloboMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar André Coelho/Agência O GloboMais
22.jun.2013 - Em clima de tranquilidade e descontração, a Marcha das Vadias reúne na tarde deste sábado (22), em Brasília, cerca de 3.000 pessoas, segundo cálculos da Polícia Militar André Coelho/Agência O GloboMais
8.jun.2013 - Jovens participam da Marcha das Vadias e ato contra a violência na cidade de Goiânia (GO), neste sábado Geovanna Cristina/Futura PressMais
26.mai.2013 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias, no parque Farroupilha, em Porto Alegre, neste domingo (26). A marcha é um ato pelos direitos das mulheres Diogo Sallaberry/Futura PressMais
26.mai.2013 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias, no parque Farroupilha, em Porto Alegre, neste domingo (26). A marcha é um ato pelos direitos das mulheres Fernando Teixeira/Futura PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes se beijam em frente a uma igreja evangélica durante Marcha das Vadias realizada neste sábado, em Florianópolis (SC) Eduardo Valente/Futura PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da Marcha das Vadias, neste sábado (25), no centro do Recife Widio Joffre/AImagem/Futura PressMais
25.mai.2013 - Manifestante segura cartaz durante Marcha das Vadias realizada na região central de São Paulo, neste sábado (25) J. Duran Machfee/Futura PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores Leandro Moraes/UOLMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores. Cris Faga/Fox PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores. Cris Fraga/Fox PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores. Cris Faga/Fox PressMais
25.mai.2013 - Manifestantes participam da 3ª Marcha das Vadias, que acontece na avenida Paulista, região central da cidade de São Paulo. O tema desta edição é "Quebre o Silêncio". O movimento pretende incentivar que as mulheres que sofrem violência sexual denunciem seus agressores. Cris Faga/Fox PressMais
25.mai.2013 - Panfletos em lixeiras e postes da avenida Paulista em São Paulo (SP) anunciam a Marcha das Vadias que acontece no local J. Duran Machfee/Futura PressMais
25.mai.2013 - Panfletos em lixeiras e postes da avenida Paulista em São Paulo (SP) anunciam a Marcha das Vadias que acontece na avenida J. Duran Machfee/Futura PressMais
18.mai.2013 - Mulheres andam de mãos dadas durante marcha das Vadias, em Varsóvia, na Polônia, neste sábado (18) Kacper Pempel/ReutersMais
18.mai.2013 - Com cartazes, mulheres participam da marcha das Vadias, em Varsóvia, na Polônia, neste sábado (18) Kacper Pempel/ReutersMais
18.mai.2013 - Homem vestido de mulher participa da marcha das Vadias, em Varsóvia, na Polônia, neste sábado (18) Kacper Pempel/ReutersMais
18.mai.2013 - Mulheres tiram a blusa durante a marcha das Vadias, em Varsóvia, na Polônia, neste sábado (18) Kacper Pempel/ReutersMais
18.mai.2013 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Varsóvia, na Polônia, neste sábado (18) Kacper Pempel/ReutersMais
10.nov.2012 - Mulher participa da Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Chamada em inglês de SlutWalk, a Marcha das Vadias surgiu em Toronto, no Canadá, em 2011, como um protesto em resposta ao comentário de um policial que orientou universitárias dizendo: "se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro" Ernesto Benavides/AFPMais
10.nov.2012 - Manifestante levanta cartaz durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Depois das primeiras manifestações no Canadá e nos Estados Unidos, a Marcha das Vadias se espalhou por diversas cidades do mundo como protesto contra a discriminação e a violência contra a mulher Ernesto Benavides/AFPMais
10.nov.2012 - Participante levanta cartaz durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Chamada em inglês de SlutWalk, a Marcha das Vadias surgiu em Toronto, no Canadá, em 2011, como um protesto em resposta ao comentário de um policial que orientou universitárias dizendo: "se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro" Rodrigo Abd/ AP PhotoMais
10.nov.2012 - Casal se abraça durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru Rodrigo Abd/ AP PhotoMais
10.nov.2012 - Mulher segura cartaz durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Depois das primeiras manifestações no Canadá e nos Estados Unidos, a Marcha das Vadias se espalhou por diversas cidades do mundo como protesto contra a discriminação e a violência contra a mulher Rodrigo Abd/ AP PhotoMais
10.nov.2012 - Participantes carregam faixa da Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Chamada em inglês de SlutWalk, a Marcha das Vadias surgiu em Toronto, no Canadá, em 2011, como um protesto em resposta ao comentário de um policial que orientou universitárias dizendo: "se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro" Rodrigo Abd/ AP PhotoMais
10.nov.2012 - Mulheres carregam cartazes durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Depois das primeiras manifestações no Canadá e nos Estados Unidos, a Marcha das Vadias se espalhou por diversas cidades do mundo como protesto contra a discriminação e a violência contra a mulher Enrique Castro-Mendivil/ReutersMais
10.nov.2012 - Manifestante levanta cartaz durante a Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Chamada em inglês de SlutWalk, a Marcha das Vadias surgiu em Toronto, no Canadá, em 2011, como um protesto em resposta ao comentário de um policial que orientou universitárias dizendo: "se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro" Enrique Castro-Mendivil/ReutersMais
10.nov.2012 - Mulheres carregam faixa da Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Depois das primeiras manifestações no Canadá e nos Estados Unidos, a Marcha das Vadias se espalhou por diversas cidades do mundo como protesto contra a discriminação e a violência contra a mulher Ernesto Benavides/AFPMais
10.nov.2012 - Participante da Marcha de Las Putas, versão peruana da Marcha das Vadias, segura boneca Barbie durante manifestação neste sábado (10), em Lima, capital do Peru. Chamada em inglês de SlutWalk, a Marcha das Vadias surgiu em Toronto, no Canadá, em 2011, como um protesto em resposta ao comentário de um policial que orientou universitárias dizendo: "se a mulher não se vestir como uma vadia, reduz-se o risco de ela sofrer um estupro" Enrique Castro-Mendivil/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres protestam e gritam frases de efeito durante a primeira Marcha das Vadias em Genebra, na Suíça Denis Balibouse/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres protestam e gritam frases de efeito durante a primeira Marcha das Vadias em Genebra, na Suíça Denis Balibouse/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres protestam e gritam frases de efeito durante a primeira Marcha das Vadias em Genebra, na Suíça. O cartaz diz: "Meu corpo não é um convite" Denis Balibouse/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres protestam e gritam frases de efeito durante a primeira Marcha das Vadias em Genebra, na Suíça. Cartaz diz: "Eu sou uma vadia. Mas não sou sua" Denis Balibouse/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres protestam e gritam frases de efeito durante a primeira Marcha das Vadias em Genebra, na Suíça Denis Balibouse/ReutersMais
6.out.2012 - Mulheres participam de Marcha das Vadias em Marselha, no sul da França Anne-Christine Poujoulat/AFPMais
6.out.2012 - Mulheres participam de Marcha das Vadias em Marselha, no sul da França Anne-Christine Poujoulat/AFPMais
Mulher participa da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulheres participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestantes participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestantes participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulher segura cartaz na Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Homem apoia Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulher participa da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulheres participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestantes participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Crianças observam passagem da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestantes participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulheres participam da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestante participa da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulher participa da Marcha das Vadias, em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestante redige cartaz para uso na Marcha das Vadias em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Mulher finaliza cartaz para uso na Marcha das Vadias em Santos (SP) Alex Almeida/UOLMais
Manifestante lê cartaz durante a realização da 1ª Marcha das Vadias Baixada Santista, na cidade de Santos, litoral do Estado de São Paulo. Com origem no Canadá, a realização da marcha que defende direitos das mulheres se espalhou pelo mundo todo. No Brasil, a primeira manifestação ocorreu na capital paulista, em 2011 Alex Almeida/UOLMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
22.set.2012 - Mulheres participam da marcha das Vadias, em Londres, na Inglaterra Justin Tallis/AFPMais
28.jul.2012 - Manifestantes protestam pelas ruas de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, na Marcha das Vadias. A mobilização pretende chamar atenção às violências cotidianas sofridas pelas mulheres Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
28.jul.2012 - Mulheres se reúnem em São José do Rio Preto, inteiror de São Paulo, para a Marcha das Vadias, protesto mundial contra todos os tipos de violência sofridos pela mulher Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
28.jul.2012 - Segundo a organização da Marcha das Vadias de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, mais de 400 manifestantes percorreram as ruas da cidade contra as violências cotidianas sofridas pelas mulheres que vão de assédio nas ruas até assassinatos Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
28.jul.2012 - Mulheres se reúnem em São José do Rio Preto, inteiror de São Paulo, para a Marcha das Vadias, protesto mundial contra todos os tipos de violência sofridos pela mulher Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
28.jul.2012 - Mulheres percorrem ruas de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, neste sábado (28) na Marcha das Vadias. A manifestação pretende chamar atenção ao assédio e violência psicológica sofridas pelas mulheres Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
28.jul.2012 - Manifestantes protestam em avenida de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, neste sábado (28) na Marcha das Vadias. A mobilização pretende chamar atenção às violências cotidianas sofridas pelas mulheres Lau JR/Marcha das Vadias Rio Preto/DivulgaçãoMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14. jul.2012- Marcha das Vadias acontece em Curitiba Heuler Andrey/UOLMais
14.jul.2012 - Mulheres tiram a camisa e pintam mensagens de protesto no corpo durante a Marcha das Vadias, realizada neste sábado (14) em Curitiba (PR) Franklin de Freitas/FolhapressMais
2.jun.2012 - Manifestantes fazem neste sábado (2) a Marcha das Vadias em Londrina (PR) Anderson Coelho/ Futura PressMais
2.jun.2012 - Manifestantes fazem neste sábado (2) a Marcha das Vadias em Londrina (PR) Anderson Coelho/ Futura PressMais
2.jun.2012 - Manifestantes fazem neste sábado (2) a Marcha das Vadias em Londrina (PR) Anderson Coelho/ Futura PressMais
2.jun.2012 - Manifestantes fazem neste sábado (2) a Marcha das Vadias em Londrina (PR) Anderson Coelho/ Futura PressMais
27.mai.2012 - "Estupro não tem justificativa" foi o mote da manifestação em Porto Alegre. A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
27.mai.2012 - Manifestantes pintam o corpo para a Marcha das Vadias, em Porto Alegre. Neste fim de semana, várias outras cidades também organizaram o protesto, em defesa dos direitos das mulheres MB/UOLMais
26.mai.2012 - Até o "direito" das mulheres a ter pêlos foi lembrado na Marcha das Vadias em Porto Alegre MB/UOLMais
26.mai.2012 - "Estupro não tem justificativa" foi o mote da Marcha das Vadias em Porto Alegre. O movimento começou em Toronto, no Canadá, e se espalhou para várias cidades do mundo MB/UOLMais
26.mai.2012 - Com o pai, menina também vai à Marcha das Vadias em Porto Alegre, em defesa dos direitos das mulheres MB/UOLMais
26.mai.2012 - A Marcha das Vadias é organizada coletivamente e defende o fim da violência contra as mulheres. Na foto, a manifestçaão deste domingo em Porto Alegre MB/UOLMais
26.mai.2012 - "Estupro não tem justificativa" foi o mote da manifestação em Porto Alegre. A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
26.mai.2012 - O respeito ao corpo das mulheres é uma das principais bandeiras do movimento. A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
27.mai.2012 - Manifestantes pintam o corpo para a Marcha das Vadias, em Porto Alegre. Neste fim de semana, várias outras cidades também organizaram o protesto, em defesa dos direitos das mulheres MB/UOLMais
26.mai.2012 - O respeito ao corpo das mulheres é uma das principais bandeiras do movimento. A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
26.mai.2012 - A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
27.mai.2012 - No fim de semana, pelo menos 14 cidades brasileiras organizaram a Marcha das Vadias MB/UOLMais
27.mai.2012 - Mulheres e homens realizaram a Marcha das Vadias em Porto Alegre neste domingo. A primeira Marcha aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado, depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
27.mai.2012 - Manifestantes pintam o corpo para a Marcha das Vadias, em Porto Alegre. A primeira Marcha aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado, depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" MB/UOLMais
27.mai.2012 - Manifestantes pintam o corpo para a Marcha das Vadias, em Porto Alegre. Neste fim de semana, várias outras cidades também organizaram o protesto, em defesa dos direitos das mulheres MB/UOLMais
27.mai.2012 - Em Porto Alegre, a Marcha das Vadias saiu do Parque da Redenção. Neste fim de semana, várias outras cidades também organizaram o protesto, em defesa dos direitos das mulheres Tárlis Schneirder/AEMais
27.05.2012 - De bigode, mulher defende os direitos femininos na Marcha das Vadias em Porto Alegre Tárlis Schneirder/AEMais
27.mai.2012 - Em Porto Alegre, homens e mulheres se encontraram no Parque da Redenção para pedir igualdade entre os gêneros. A Marcha das Vadias ocorreu em diversas cidades brasileiras neste final de semana Tárlis Schneirder/AEMais
27.mai.2012 - Em Porto Alegre, homens e mulheres se encontraram no Parque da Redenção para pedir igualdade entre os gêneros. A Marcha das Vadias ocorreu em diversas cidades brasileiras neste final de semana Tárlis Schneirder/AEMais
27.mai.2012 - Marcha das Vadias realizada em Belem, no Pará Tarso Sarraf/AEMais
27.mai.2012 - Marcha das Vadias realizada em Belem, no Pará Tarso Sarraf/AEMais
26.mai.2012 - Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana precisou da intervenção da Polícia Militar durante a Marcha das Vadias no Rio de Janeiro. Em todo o Brasil, mais de dez cidades organizaram manifestações Guillermo Giansanti/UOLMais
26.mai.2012 - Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana precisou da intervenção da Polícia Militar durante a Marcha das Vadias no Rio de Janeiro. Em todo o Brasil, mais de dez cidades organizaram manifestações Guillermo Giansanti/UOLMais
Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana precisou da intervenção da Polícia Militar durante a Marcha das Vadias no Rio de Janeiro. Em todo o Brasil, mais de dez cidades organizaram manifestações Guillermo Giansanti/UOLMais
O fim da violência contra a mulher é a principal bandeira da Marcha das Vadias. O movimento começou em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A primeira passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Guillermo Giansanti/UOLMais
O fim da violência contra a mulher é a principal bandeira da Marcha das Vadias. O movimento começou em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A primeira passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Guillermo Giansanti/UOLMais
A marcha das vadias reuniu centenas no Rio de Janeiro. Um princípio de tumulto precisou da intervenção da Polícia Militar. Em todo o Brasil, mais de dez cidades organizaram manifestações Guillermo Giansanti/UOLMais
Mulheres estampam recados no corpo durante a Marcha das Vadias no rio de Janeiro Guillermo Giansanti/UOLMais
O fim da violência contra a mulher é a principal bandeira da Marcha das Vadias. O movimento começou em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A primeira passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Guillermo Giansanti/UOLMais
A Marcha das Vadias fez barulho em Copacaba, no Rio de Janeiro. Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana até precisou da interveção da Polícia Militar Guillermo Giansanti/UOLMais
26.mai.2012 - Agente da prefeitura conversa com uma das organizadoras da Marcha das Vadias no Rio de Janeiro Guillermo Giansanti/UOLMais
26.mai.2012 - O fim da violência contra a mulher é a principal bandeira da Marcha das Vadias. O movimento começou em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A primeira passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Guillermo Giansanti/UOLMais
26.mai.2012 - A Marcha das Vadias fez barulho em Copacaba, no Rio de Janeiro. Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana até precisou da interveção da Polícia Militar Guillermo Giansanti/UOLMais
A Marcha das Vadias fez barulho em Copacaba, no Rio de Janeiro. Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana até precisou da interveção da Polícia Militar Guillermo Giansanti/UOLMais
No Rio de Janeiro, mulheres estampam no corpo o recado da Marcha das Vadias Guillermo Giansanti/UOLMais
A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A passeata foi organizada depois que um policial canadense atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Guillermo Giansanti/UOLMais
A Marcha das Vadias tomou o calçadão de Copacabana neste sábado (26), no Rio de Janeiro Guillermo Giansanti/UOLMais
Um princípio de tumulto precisou da intervenção da Polícia Militar durante a Marcha das Vadias no Rio de Janeiro. Em todo o Brasil, mais de dez cidades organizaram manifestações Guillermo Giansanti/UOLMais
A descriminalização do aborto foi uma das bandeiras mais recorrentes na Marcha das Vadias pelo Brasil neste sábado (26) Guillermo Giansanti/UOLMais
Em dia ensolarado, mulher vai à Marcha das Vadias na Praia de Copacabana Guillermo Giansanti/UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres estampam recados no corpo durante a Marcha das Vadias no rio de Janeiro Guillermo Giansanti/UOLMais
Homens também participaram da Marcha das Vadias no Rio de Janeiro. Neste sábado (26), pelo menos 14 cidades brasileiras organizaram a Marcha Guillermo Giansanti/UOLMais
No Rio de Janeiro, a Marcha das Vadias começou na Praia de Copacabana. Um princípio de tumulto em frente à Igreja Nossa Senhora de Copacabana precisou da intervenção da Polícia Militar Guillermo Giansanti/UOLMais
O direito das mulheres se vestirem como querem, sem ser taxadas de "vadias", inspira a Marcha das Vadias em todo o mundo. O movimento começou em Toronto, em abril do ano passado Leandro Moraes/UOLMais
A Marcha das Vadias em São Paulo reuniu mais de 500 pessoas na acenida Paulista. Em todo o Brasil, pelo menos 14 cidades também organizaram passeatas em defesa dos direitos das mulheres Leandro Moraes/UOLMais
Mulheres pintam o corpo durante a Marcha das Vadias, em São Paulo, que começou na avenida Paulista e desceu a rua Augusta Leandro Moraes/UOLMais
O fim da violência contra a mulher é a principal bandeira da Marcha das Vadias. Leandro Moraes/UOLMais
Mais de 500 pessoas participaram da Marcha das Vadias em São Paulo neste sábado (26). Em todo o Brasil, foram pelo menos 14 cidades a organizar passeatas em favor dos direitos das mulheres Leandro Moraes/UOLMais
A Marcha das Vadias passou pela avenida Paulista e desceu a rua Augusta, em São Paulo, em defesa dos direitos das mulheres Leandro Moraes/UOLMais
A Marcha das Vadias se mistura ao trânsito do sábado (26) na rua Augusta, em São Paulo Leandro Moraes/UOLMais
A Marcha das Vadias tomou a avenida Paulista neste sábado (26) Leandro Moraes/UOLMais
A Marcha das Vadias tomou a avenida Paulista neste sábado (26). Além de São Paulo, pelo menos outras 13 cidades brasileiras aderiram ao movimento Leandro Moraes/UOLMais
Cartazes criativos na Marcha das Vadias em São Paulo, que ocupou a avenida Paulista neste sábado (26) Leandro Moraes/UOLMais
Cartazes em favor de várias causas femininas integraram a Marcha das Vadias em Brasília. Neste sábado (26), várias cidades brasileiras aderiram ao movimento Roberto Jayme/UOLMais
Em defesa dos direitos das mulheres, manifestantes fizeram top-less na Marcha das Vadias em Brasília Roberto Jayme/UOLMais
Feminista, livre ou vadia? Dê o nome que quiser Roberto Jayme/UOLMais
O protesto contra a violência dirigida à mulher é o objetivo principal da Marcha das Vadias. O movimento começou em Toronto, no Canadá, no ano passado, e desde então chegou a cidades em todo o mundo Roberto Jayme/UOLMais
Várias cidades brasileiras organizaram neste sábado a Marcha das Vadias, movimento mundial em defesa dos direitos e do respeito às mulheres Roberto Jayme/UOLMais
A passeata em Brasília reuniu centenas de pessoas em defesa dos direitos das mulheres Roberto Jayme/UOLMais
Até o "Veta Dilma" apareceu na Marcha das Vadias de Brasília Roberto Jayme/UOLMais
A primeira Marcha das Vadias aconteceu em Toronto, no Canadá, em abril do ano passado. A passeata foi organizada depois que um policial atribuiu casos de estupros ao fato de "as mulheres se vestirem como vadias" Roberto Jayme/UOLMais
Com um megafone, mulher organiza a Marcha das Vadias em Brasília. O movimento, que começou em abril do ano passado em Toronto, no Canadá, defende os direitos das mulheres Roberto Jayme/UOLMais
Cartazes defendendo diversas causas femininas foram levados à Marcha das Vadias em Brasília Roberto Jayme/UOLMais
Em defesa do respeito ao corpo das mulheres, diversas manifestantes tiraram a blusa e pintaram o corpo na Marcha das Vadias Roberto Jayme/UOLMais
Homens e mulheres participaram da Marcha das Vadias em Brasília, neste sábado (26) Roberto Jayme/UOLMais
Mulher ergue cartaz durante a Marcha das Vadias, em Brasília. Neste sábado (26), cidades em todo o Brasil aderiram ao movimento, que começou no Canadá no ano passado e se espalhou pelo mundo Roberto Jayme/UOLMais
Mulheres participam do movimento da Marcha das Vadias, em Brasília. Neste sábado (26), pelo menos 14 cidades aderiram às passeatas em favor dos direitos das mulheres Roberto Jayme/UOLMais
A Marcha das Vadias reuniu centenas na capital federal, em manifestação contra o machismo e pelos direitos das mulheres Roberto Jayme/UOLMais
A Marcha das Vadias reuniu centenas na capital federal, em manifestação contra o machismo e pelos direitos das mulheres Roberto Jayme/UOLMais
Moradoras de São José dos Campos (SP) também aderiram à Marcha das Vadias, movimento contra o machismo e violência dirigida à mulher que já mobilizou milhares de cidades desde abril do ano passado Lucas Lacaz Ruiz/Futura PressMais
No Rio de Janeiro, a Marcha das Vadias passou pela Praia de Copacabana. O movimento, que começou no Canadá no ano passado, já inspirou manifestações em várias cidades pelos direitos das mulheres Luiz Roberto Lima/Futura PressMais
A cachorrinha também participou da marcha das vadias em Florianópolis. O movimento, que começou no Canadá e se espalhou pelo mundo, é organizado coletivamente e não tem lideranças Petra Mafalda/Futura PressMais
Florianópolis é uma das 14 cidades onde acontece neste sábado (26) a Marcha das Vadias, movimento contra o machismo e a violência dirigida à mulher Petra Mafalda/Futura PressMais
A segunda edição brasileira da Marcha das Vadias acontece neste sábado (26) simultaneamente em 14 cidades do país. Na foto, manifestantes na concentração em Brasília Roberto Jayme/UOLMais
Manifestantes saem em passeata com o corpo pintado em Brasília. A Marcha das Vadias é inspirada no movimento "Slut Walk", que começou em Toronto, no Canadá, e se espalhou por várias cidades do mundo Roberto Jayme/UOLMais
A segunda edição brasileira da Marcha das Vadias acontece neste sábado (26), simultaneamente em 14 cidades do país. Na foto, manifestantes na concentração em Brasília Roberto Jayme/UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
26.mai.2012 - Mulheres pintam o corpo para participar da Marcha das Vadias, na tarde deste sábado (26), em São Paulo. O protesto contra a discriminação sexual e a violência contra a mulher acontece neste sábado em outras 13 cidades brasileiras Leandro Moraes /UOLMais
1º.out.2011- Mulheres participam da Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França. Elas protestam contra a violência sexual Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Francesas saem às ruas de Paris em protesto contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês) Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Mulheres participam da Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França. Elas protestam contra a violência sexual Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Manifestante exibe cartaz contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Manifestante usa as costas para escrever mensagens contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Franceses aderem ao protesto mundial contra a violência sexual e participam da Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Manifestantes exibem cartazes contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Francesas saem às ruas de Paris em protesto contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês) Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Manifestante exibe cartaz contra a violência sexual durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Mulheres usam bexigas em formato de coração e cartazes durante a Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França. Elas protestam contra a violência sexual Johanna Leguerre/AFPMais
1º.out.2011- Mulheres participam da Marcha das Vadias (SlutWalk, em inglês), em Paris, na França. Elas protestam contra a violência sexual Johanna Leguerre/AFPMais
13.ago.2011 - Manifestante participa de comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha) fantasiada de "Penélope Charmosa". O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro Nicholas Kamm/AFPMais
13.ago.2011 - Manifestante exibe mensagem no colo durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro Nicholas Kamm/AFPMais
13.ago.2011 - Manifestante usa barriga para mostrar indignação contra desigualdade de gênero durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro Nicholas Kamm/AFPMais
13.ago.2011 - Manifestante exibe peito durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Manifestante participa do comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha) apenas de véu de noiva. O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Manifestante participa do comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha) apenas de véu de noiva. O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Manifestante participa do comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha) apenas de véu de noiva. O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Manifestante exibe peito durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Mulher utiliza próprio corpo para pedir mais respeito durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Mulher seminuas exibem cartazes com palavras contra o abuso sexual durante o comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O movimento, também conhecido como Marcha das Vadias, critica o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Em protesto contra o abuso sexual de mulheres, manifestantes usam burca durante comício do SlutWalk, em Berlim (Alemanha). A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Comício do SlutWalk reúne centenas de pessoas em Berlim (Alemanha), em protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Em protesto contra o abuso sexual de mulheres, manifestantes participam do comício do SlutWalk, em Berlim (Alemanha), com roupas íntimas. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Manifestantes usam fantasias durante comício do SlutWalk, em Berlim (Alemanha), em protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro ReutersMais
13.ago.2011 - Mulher exibe cartaz durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
13.ago.2011 - Comício do SlutWalk reúne centenas de pessoas em Berlim (Alemanha), em protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
13.ago.2011 - Mulher seminuas participam do comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
13.ago.2011 - Mulher exibe cartaz durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
13.ago.2011 - Mulher usa roupa sexual durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de protesto contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
13.ago.2011 - Mulher deixa seios aparentes e escreve frases de ordem no próprio corpo durante comício do SlutWalk em Berlim (Alemanha). O evento, que atrai milhares de pessoas em várias cidades do mundo, é uma forma de manifestação contra o abuso sexual de mulheres e a desigualdade de gênero. A intenção é criticar o costume de culpar a vítima pelo estupro APMais
16.jun.2011 - Manifestante segura cartaz onde se lê "Sim! Sou vadia e daí" durante a Marcha das Vadias, em Seul, na Coreia do Sul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Sul-coreanas participam da Marcha das Vadias, em Seul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Truth Leem/ Reuters Mais
16.jun.2011 - Sul-coreanos dançam durante a Marcha das Vadias, em Seul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Mulher que participa da Marcha das Vadias, em Seul, escreve a expressão "não toque" no colo. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Sul-coreana que participa da Marcha das Vadias faz trocadilho com a palavra "honey". A expressão desenhada no corpo pode significar "mel (ou namorada) não comestível". O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Mulher de topless faz performance com um homem durante a Marcha das Vadias, em Seul, na Coreia do Sul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Dezenas de sul-coreanas participaram da Marcha das Vadias, em Seul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Sul-coreana mascarada participa da Marcha das Vadias, em Seul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
16.jun.2011 - Sul-coreana participa da Marcha das Vadias, em Seul. O movimento reivindica que as mulheres possam se vestir e agir como quiserem, sem serem reprimidas por sua sexualidade Park Ji-hwan/ AFPMais
4.jun.2011 - Manifestante apenas com lingerie exibe cartaz com a palavra "vadia" durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante participa da Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo), apenas com lingerie. O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Paulistanas saem às ruas em protesto contra o abuso sexual durante a Marcha das Vadias, na zona oeste de São Paulo Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestantes comem maçã - considerada a fruta do pecado - durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestantes comem maçã - considerada a fruta do pecado - durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
11.jun.2011 - Manifestante pede respeito às mulheres durante Marcha das Vadias, evento pelo respeito às mulheres, em Recife. Cerca de 200 pessoas deixaram a praça do Derby, área central do Recife, e percorreram a avenida Conde da Boa Vista Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante usa meia arrastão durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Versão paulista da Marcha das Vadias, realizada na zona oeste de São Paulo, reúne cerca de 300 pessoas. O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestantes tocam tambor durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante exibe cartaz em favor à rebeldia feminina durante a Marcha das Vadias, realizada na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante exibe cartaz contra a desigualdade de gênero durante a Marcha das Vadias, realizada na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Versão paulista da Marcha das Vadias, realizada na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo), reúne mulheres de todas as idades. O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante usa véu no rosto e diz que "estupro é questão de poder" durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Mulher se caracteriza de homem durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante exibe cartaz durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestantes comem maçã - considerada a fruta do pecado - durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante anda de bicicleta com os peitos a mostra durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Cerca de 300 pessoas participaram da Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestantes tocam tambor durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Paulistanas saem às ruas em protesto contra o abuso sexual durante a Marcha das Vadias, na zona oeste de São Paulo Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Mulheres participam versão paulista da Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo), contra abusos sexuais e as desigualdades de gênero Reinaldo Canato/UOLMais
4.jun.2011 - Manifestante exibe cartaz para fotógrafos durante Marcha das Vadias, na avenida Paulista (zona oeste de São Paulo). O protesto se inspira na 'SlutWalk', manifestação de alunas universitárias em Toronto (Canadá) no último mês de abril. Na ocasião, um policial sugeriu às alunas que não se vestissem como "vadias" para não serem vítimas de abusos sexuais Reinaldo Canato/UOLMais
16.jul.2011 - Cartaz evidencia a desigualdade entre homens e mulheres durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestantes usam fantasias exóticas durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante exibe os peitos durante Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestantes mostram união das mulheres durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante pede "mais amor" durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestantes usam fantasias exóticas durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Marcha das Vadias ganha uma versão paranaense e reúne mulheres pelas ruas de Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.mai.2011 - Criança também adere à Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante exibe palavras de ordem no próprio corpo durante Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestantes pedem "o basta" contra a desigualdade de gênero durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Paranaenses marcam presença na Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante exibe cartaz durante a versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Homens também marcaram presença na versão paranaense da Marcha das Vadias, realizada em Curitiba. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante se veste como diabo para participar da Marcha das Vadias em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante relaciona desigualdade de gênero com religião durante Marcha das Vadias em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante recorre a roupa mais ousada para se fazer ouvir durante Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Marcha das Vadias ganha uma versão paranaense e reúne mulheres pelas ruas de Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestantes exibem cartazes durante Marcha das Vadias em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Com o rosto semi-coberto com um véu, manifestante marca presença na Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Manifestante exibe cartaz durante a Marcha das Vadias, em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.mai.2011 - Manifestante exibe cartaz durante a Marcha das Vadias, em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Mulher se pinta para participar da Marcha das Vadias em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Caratcetrizada como santa, mulher participa da Marcha das Vadias, em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Com o rosto pintado, mulher grita palavras de ordem durante a Marcha das Vadias realizada em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Mulheres participam da Marcha das Vadias em Curitiba (PR). Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
16.jul.2011 - Mulher prepara cartazes durante Marcha das Vadias realizada em Curitiba, após percorrer países como EUA, Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, Holanda, Suécia, Argentina e Índia. Capitais como São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Florianópolis, Recife, Fortaleza, Porto Alegre e Natal também já receberam o protesto. A iniciativa surgiu no Canadá, onde, durante uma palestra, um policial declarou que as mulheres deveriam evitar se vestir como "vadias" para não sofrer estupros ou abuso sexual Leandro Taques/UOLMais
2.jul.2011 - Manifestante retoca o batom durante a versão carioca da Marcha das Vadias. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes Eduardo Naddar/UOLMais
2.jul.2011 - Manifestante se maquia durante a versão carioca da Marcha das Vadias. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes Eduardo Naddar/UOLMais
2.jul.2011 - Mulheres de todas as ideias aderem à Marcha das Vadias realizada no Rio de Janeiro. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes Eduardo Naddar/UOLMais
2.jul.2011 - Manifestantes recorrem a cartazes em protesto ao abuso sexual e a desigualdade de gênero durante a Marcha das Vadias realizada no Rio de Janeiro. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes Eduardo Naddar/UOLMais
2.jul.2011 - Manifestante pede mais respeito às mulheres durante a versão carioca da Marcha das Vadias. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes Eduardo Naddar/UOLMais
2.jul.2011 - Manifestante exibe os peitos durante a versão carioca da Marcha das Vadias. O movimento começou no Canadá e já foi reproduzido em mais de dez cidades americanas e outros 19 países. Trata-se de modo de protestar contra o pensamento de que vítimas de violência sexual podem ser as principais responsáveis por esses crimes