Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2012/08/02/o-julgamento-do-mensalao-em-frases.htm
  • totalImagens: 172
  • fotoInicial: 95
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20120802162522
    • Mensalão [27959]; Julgamento do Mensalão [60607];
    • STF [12604]; Frases do mensalão [63909];
Fotos
2.ago.2012 - "Nós temos que levar a sério e não podemos deixar de lado uma questão de ordem", disse o ministro do STF Ricardo Lewandowski ao responder ao colega Joaquim Barbosa sobre o desmembramento do processo do mensalão STF Mais
2.ago.2012 - "Isso é deslealdade", disse o ministro Joaquim Barbosa após Ricardo Lewandowski defender o desmembramento do julgamento por parte dos réus não terem foro privilegiado; o ministro alega que Lewandowski poderia ter se manifestado sobre o assunto antes, e não no dia do julgamento STF Mais
02.ago.2012 - Após o primeiro bate-boca com Joaquim Barbosa, o ministro Ricardo Lewandowski disse que Barbosa dá indícios de que "julgamento será tumultuado". Lewandowski também reclamou do termo "deslealdade": "Acho que é um termo um pouco forte o que Vossa Excelência está usando" Alan Marques/Folhapress Mais
02.ago.2012 - "Por que não trouxe a questão há dois anos?", questiona o relator do mensalão, Joaquim Barbosa, referindo-se à defesa de Ricardo Lewandowski pelo desmembramento do processo Alan Marques/Folhapress Mais
02.ago.2012 - "Não vamos fazer a discussão descambar para o lado pessoal", disse o ministro Marco Aurélio Mello durante discussão entre Joaquim Barbosa e Ricardo Lewandowski Lula Marques/Folhapress Mais
2.ago.2012 - "Se estivesse espalhado por aí, o destino [do processo] era a prescrição", disse o ministro Gilmar Mendes ao votar contra o desmembramento do processo do mensalão Sergio Lima/Folhapress Mais
2.ago.2012 - "Nós temos um longo caminho pela frente", disse o ministro Ayres Britto, presidente do STF, ao pedir que os colegas resumissem seus votos Lula Marques/Folhapress Mais
2.ago.2012 - "Senti os nervos à flor da pele", disse o advogado Thomaz Bastos, que defende o ex-diretor do Banco Rural José Roberto Salgado, ao comentar as discussões realizadas no primeiro dia do julgamento Roberto Jayme/UOL Mais
3.ago.2012 - "Foi, sem dúvida, o mais atrevido e escandaloso caso de corrupção e desvio de dinheiro público registrado no Brasil", disse o procurador-geral da República ao ler a acusação contra os réus, no segundo dia do julgamento do mensalão no STF Nelson Jr./STF Mais
3.ago.2012 - "Era uma sofisticada organização criminosa com o objetivo espúrio de comprar votos de parlamentares", disse ainda o procurador-geral Roberto Gurgel ao ler a acusação contra os réus do mensalão Nelson Jr./STF Mais
3.ago.2012 - "Pode-se dizer, sem risco de cometer injustiça, que José Dirceu foi a principal figura de tudo que apuraram. Nada, absolutamente nada, acontecia sem a prévia autorização de José Dirceu", disse o procurador-geral Roberto Gurgel ao se referir ao ex-ministro José Dirceu, apontado pela Procuradoria como o "chefe do grupo" Roberto Jayme/UOL Mais
3.ago.2012 - "O que interessa, e isso está provado nos autos, é que houve um acordo político em troca de apoio financeiro", resumiu o procurador-geral, Roberto Gurgel, ao ler a acusação contra os réus Lula Marques/Folhapress Mais
3.ago.2012 - "Alguns dos saques feitos pela quadrilha impuseram que carros-fortes fossem contratados tamanha era a magnitude dos valores", citou o procurador-geral, Roberto Gurgel, ao mencionar como funcionava o suposto esquema do mensalão Lula Marques/Folhapress Mais
3.ago.2012 - "Talvez não tenhamos fôlego fisiológico (...). Talvez mais 15 minutos sejam ruins para as necessidades fisiológicas dos ministros", afirmou Marco Aurélio ao comentar a pergunta do presidente do STF, Ayres Britto, direcionada ao procurador-geral. Britto sugeriu um intervalo na leitura da acusação de Gurgel, que já falava por mais de duas horas, e o procurador pediu mais 15 minutos Roberto Jayme/UOL Mais
3.ago.2012 - "Jamais enfrentei nada sequer comparável à onda de ataque a partir do momento que aleguei acusações finais", disse o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, na conclusão de seu discurso de acusação, que encerrou o segundo dia de julgamento do caso do mensalão Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr Mais
3.ago.2012 - "Jamais um delírio foi tão solidamente, tão concretamente, tão materialmente documentado e provado", disse o procurador-geral, Roberto Gurgel, ao comentar o discurso de que o mensalão não passou de um "delírio" Felipe Sampaio/STF Mais
6.ago.2012 - "Meu cliente não é quadrilheiro, não é chefe de uma organização criminosa, e quem diz isso são os autos", afirmou o advogado de José Dirceu, José Luís Mendes de Oliveira Lima, ao negar a tese da Procuradoria de que Dirceu era o líder do suposto esquema do mensalão Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Foram tomados mais de 600 depoimentos e nenhum deles incrimina José Dirceu", disse o advogado de José Dirceu, José Luís Mendes de Oliveira Lima, ao citar que não há provas contra seu cliente Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Ele [José Dirceu] teve quebra de sigilo, fiscal e telefônico. Talvez tenha sido, nos últimos cinco anos, a pessoa mais investigada e nada, absolutamente nada, se provou ou se comprovou na relação dele com Marcos Valério", alegou o advogado de Dirceu, José Luís Mendes de Oliveira Lima Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Roberto Jefferson é um homem eloquente, um belo orador, que conseguiu fazer um bom teatro", o disse o advogado de José Dirceu, José Luís Mendes de Oliveira Lima, sobre o delator do suposto esquema do mensalão; Jefferson revelou o esquema em entrevista ao jornal "Folha de S.Paulo", em 2005 Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Os dois contratos em que Genoino foi avalista foram negociados e firmados com o conhecimento de toda a diretoria do PT. São absolutamente legítimos, não são falsos (...), não têm nada a ver com o fantasioso e inventado mensalão", disse o advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, ao negar a existência do mensalão Andre Borges/Folhapress Mais
6.ago.2012 - "O mensalão nunca existiu. Há nos autos alguma prova do que dizia o Roberto Jefferson? Não há", afirmou o advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, ao negar a existência do mensalão Reprodução Mais
6.ago.2012 - "É o direito penal nazista. Se é judeu, mata. Foi presidente do PT, então tem que ir para a cadeia", afirmou o advogado de Genoino, Luiz Fernando Pacheco, negando que haja provas contra seu cliente STF Mais
6.ago.2012 - "O mínimo de prova tem que haver", ressaltou o advogado de Delúbio Soares, Arnaldo Malheiros, ao negar que haja provas contra seu cliente no processo do mensalão Lula Marques/Folhapress Mais
6.ago.2012 - "O PT não podia fazer transferência bancária porque o dinheiro era ilícito mesmo", afirmou o advogado de Delúbio Soares, Arnaldo Malheiros, alegando que havia prática de caixa dois, mas não de compra de voto de parlamentares STF Mais
6.ago.2012 - "A prova é pífia, é esgarçada, é rala", disse o advogado de Delúbio Soares, Arnaldo Malheiros, ao negar que haja provas contra seu cliente no processo do mensalão Andre Borges/Folhapress Mais
6.ago.2012 - "É fruto de criação mental do acusador", disse Marcelo Leonardo, advogado de Marcos Valério, sobre a acusação de corrupção no contrato publicitário que Valério firmou com a Câmara dos Deputados Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Ele [Marcos Valério] foi ridicularizado por ter corte de cabelo zero", disse Marcelo Leonardo, advogado de Valério sobre o fato de seu cliente ter sido careca à época do mensalão; segundo ele, seu cliente cortou o cabelo em solidariedade ao filho, que passava por tratamento contra um câncer Roberto Jayme/UOL Mais
6.ago.2012 - "Marcos Valério não é troféu ou personagem para ser sacrificado em altar midiático", afirmou Marcelo Leonardo, advogado de Marcos Valério, ao concluir sua defesa no STF Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Cristiano Paz só virou réu no processo do mensalão porque era sócio de Marcos Valério", alegou o advogado de Paz, Castellar Modesto Guimarães Filho Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Nos autos, faltavam provas para embasar o seu pedido de condenação", afirmou o advogado do réu Cristiano Paz, Castellar Modesto Guimarães Filho Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Essa denúncia é roteiro para novela das 8", disse o advogado do réu Rogério Tolentino, Paulo Sérgio Abreu e Silva, ao criticar a denúncia apresentada pelo procurador-geral da República Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Algum auxiliar do eminente procurador, que sustentou essa denúncia, que eu tenho para mim como ruim e fraca, teve preguiça mental de ler os autos", afirmou o advogado do réu Rogério Tolentino, Paulo Sérgio Abreu e Silva Carlos Humberto/STF Mais
7.ago.2012 - "A denúncia formou três quadrilhinhas pra formar o quadrilhão", disse o advogado do réu Rogério Tolentino, Paulo Sérgio Abreu e Silva , referindo-se aos três núcleos (político, operacional e financeiro) apontados pela Procuradoria José Cruz/Agência Brasil Mais
7.ago.2012 - "As saidinhas de banco acontecem toda hora. (...) Não há nada de anormal nisso [uso de carro-forte para levar grandes quantias]", disse o advogado Leonardo Isaac Yarochewski, que defende Simone Vasconcelos, ex-gerente de uma das agências de Marcos Valério; ele afirmou que Vasconcelos entregou várias quantias em dinheiro para parlamentares, mas não sabia quem eram esses parlamentares Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012- "Até na novela das 8 a Carminha disse que ia processar a Rita por formação de quadrilha", brincou o advogado Leonardo Isaac Yarochewski, defensor de Simone Vasconcelos; para ele, a Procuradoria banalizou a acusação Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Ela era uma funcionária mequetrefe. Geiza cumpria ordens, trabalhava no terceiro ou quatro escalão. Era uma batedeira de cheque", alegou o advogado de Geiza Dias, Paulo Sérgio Abreu e Silva (o mesmo que defendeu Rogério Tolentino); Geiza era gerente financeira da agência SMP&B, de Marcos Valério Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Ela foi escorraçada pela família. Os familiares não admitiam a presença dela [em BH]", disse o advogado de Geiza Dias, Paulo Sérgio Abreu e Silva (o mesmo que defendeu Rogério Tolentino), ao comentar as consequência da acusação contra sua cliente André Borges/Folhapress Mais
7.ago.2012 - "É preferível julgar um rio, mas não Cachoeira. Um rio pode ter caráter constitucional", afirmou o advogado de Geiza Dias, Paulo Sérgio Abreu e Silva (o mesmo que defendeu Rogério Tolentino), ao argumentar que o processo do mensalão, assim como o de Carlinhos Cachoeira, não deveria ser julgado no STF, que tem caráter constitucional André Borges/Folhapress Mais
7.ago.2012 - "Ela [Kátia Rabello] é bailarina, (...) é uma artista. O que acontece é que sua irmã, que havia sido preparada pelo pai para ser banqueira, faleceu em um desastre de helicóptero", disse o advogado de Kátia Rabello, José Carlos Dias, ao evocar o passado da cliente e negar envolvimento no mensalão Roberto Jayme/UOL Mais
7.ago.2012 - "Uma moça séria (...) que hoje está com a sua liberdade em risco", disse o advogado de Kátia Rabello, José Carlos Dias, sobre a sua cliente, que era presidente do Banco Rural e é apontada pela Procuradoria como responsável por transferir recursos ilegalmente para as empresas de Marcos Valério Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "É um julgamento de bala de prata, feito uma vez só", disse Márcio Thomaz Bastos, que defende José Roberto Salgado, ex-diretor e ex-vice presidente do Banco Rural Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "Mensalão é marca de fantasia", alegou Márcio Thomaz Bastos, que defende José Roberto Salgado, ex-diretor e ex-vice presidente do Banco Rural Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "Como ela poderia saber que estaria se envolvendo numa trama diabólica (...) se documentos oficiais não a comunicavam de eventuais irregularidades?", alegou o advogado de Ayanna Tenório, Antonio Cláudio Mariz Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "Saber [das irregularidades] como? Por osmose? Por adivinhação??, afirmou o advogado de Ayanna Tenório, Antonio Cláudio Mariz Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "É kafkiana a acusação contra ela", disse o advogado de Ayanna Tenório, Antonio Cláudio Mariz, ao defender sua cliente Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "É diferente de alguém que mandou o feirante, que mandou o pintor. Ele mandou a mulher", alegou o advogado do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), Alberto Toron, ao afirmar que os R$ 50 mil sacados pela mulher do parlamentar na época do suposto mensalão não seriam fruto de corrupção Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "Eu queria dizer mais coisas, mas o tempo me come", disse o advogado do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), Alberto Toron, ao ver que faltavam poucos minutos para terminar sua sustentação oral Roberto Jayme/UOL Mais
8.ago.2012 - "A ideia de lavagem de dinheiro em relação a João Paulo Cunha é fantasmagórica", afirmou o advogado do deputado João Paulo Cunha (PT-SP), Alberto Toron José Cruz/Agência Brasil Mais
8.ago.2012 - "Dizem que ele foi magnânimo, (...) mas foi mesquinho", disse o advogado do ex-ministro Luiz Gushiken, José Roberto Leal de Carvalho, referindo-se ao procurador-geral, Roberto Gurgel, que pediu a absolvição de seu cliente Roberto Jayme/UOL Mais
9.ago.2012 - "[Denúncia] é um ilusionismo jurídico", disse o advogado de Henrique Pizzolato, Marthius Sávio Cavalcante Lobato, ao criticar o procurador-geral, Roberto Gurgel Roberto Jayme/UOL Mais
9.ago.2012 - "O Ministério Público, utilizando-se de um espelho côncavo, mostrou um objeto distorcido. E, como estava distorcido, fez ver naquele objeto uma mácula", disse o advogado de Pedro Corrêa, Marcelo Leal de Lima Oliveira Roberto Jayme/UOL Mais
9.ago.2012 - "O próprio Ministério Público não acredita na lista que funda sua acusação", disse o advogado de Pedro Corrêa, Marcelo Leal de Lima Oliveira Roberto Jayme/UOL Mais
9.ago.2012 - "O defendente não passa de um grão de sal", disse o advogado de João Cláudio Genú, Maurício Maranhão de Oliveira, ao comentar que seu cliente apenas cumpria ordens Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "A acusação sofre de uma fragmentação lógica", disse o advogado de Breno Fischberg, Guilherme Alfredo de Moraes Nostre, rebatendo a Procuradoria Geral da República Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "É como ter de um lado um boxeur, preparado para o combate [a PGR], e, do lado de cá, um réu indefeso", disse o defensor público de Carlos Alberto Quaglia, Haman Tabosa de Moraes e Córdova sobre seu cliente Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "É difícil se defender de notas de rodapé. Isso deveria estar estampado no meio do processo em letras garrafais", afirmou o defensor público de Carlos Alberto Quaglia, Haman Tabosa de Moraes e Córdova sobre a citação do réu nos autos Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "Que quadrilha é essa que não se conhece? Que quadrilha é essa que pratica um único crime? Me parece extravagante", questionou o advogado de Valdemar Costa Neto, Marcelo Luiz Ávila de Bessa, sobre uma das acusações ao seu cliente Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "Gostaria que vossas excelências separassem mensageiros de mensaleiros", afirmou o advogado de Jacinto Lamas, Délio Lins e Silva Júnior Roberto Jayme/UOL Mais
10.ago.2012 - "Jacinto Lamas era um zero à esquerda em questões políticas", afirmou o advogado de Jacinto Lamas, Délio Lins e Silva Júnior, ao alegar que ele não sabia do esquema Roberto Jayme/UOL Mais
13.ago.2012 - "Disse Roberto Jefferson que o presidente [Lula] se deu por surpreso e chegou a lacrimejar", afirmou o advogado de Roberto Jefferson, Luiz Francisco Corrêa Barbosa, sobre o momento em que o ex-presidente teria ficado sabendo do mensalão Carlos Humberto/STF Mais
13.ago.2012 - "Lula não só sabia como ordenou o encadeamento de tudo isso que essa ação penal escrutina", acusou o advogado de Roberto Jefferson, Luiz Francisco Corrêa Barbosa, durante sua sustentação oral Carlos Humberto/STF Mais
13.ago.2012 - "Vossa excelência [Roberto Gurgel] tem uma aparência agradável, gentil, lembra até um pouco o jeito do Jô Soares", disse o advogado de Emerson Palmieri, Itapoã Prestes de Messias, dirigindo-se ao procurador-geral da República Carlos Humberto/STF Mais
13.ago.2012 - "Os textos produzidos estão cheios de furos e esparadrapos. (...) As provas não são robustas, são anêmicas", alegou o advogado de José Borba, Inocêncio Martires Coelho, ao criticar a denúncia da Procuradoria Fellipe Sampaio/STF Mais
14.ago.2012 - "Se o dinheiro foi lavado, ele chegou limpo ao diretório do PT [no Pará]", afirmou o advogado do ex-deputado Paulo Rocha, João dos Santos Gomes Filho, negando que seu cliente tenha lavado dinheiro Nelson Jr./STF Mais
14.ago.2012 - "A opinião pública não é a voz da Justiça", disse o advogado do ex-deputado Paulo Rocha, João dos Santos Gomes Filho, pedindo a absolvição de seu cliente Antonio Araújo/UOL Mais
14.ago.2012 - "Precisamos aqui de uma bomba que produza calma e jurisprudência", pediu o advogado de Anita Leocádia, Luís Maximiliano Mota, aos ministros do STF Nelson Jr./STF Mais
14.ago.2012 - "Acho que o Chico [Buarque] já deu o que tinha que dar", falou o advogado de Anita Leocádia, Luís Maximiliano Mota, ao quase citar o artista, mas recuando; obras de Chico Buarque já foram mencionadas ao menos duas vezes durante o julgamento Antonio Araújo/UOL Mais
14.ago.2012 - "Senhor procurador, a tua piscina está cheia de ratos, mas a sua ideia não corresponde aos fatos", disse o advogado de Anita Leocádia, Luís Maximiliano Mota, ao procurador-geral, Roberto Gurgel, citando o cantor Cazuza Antonio Araújo/UOL Mais
14.ago.2012 - "É hora dessa sociedade perceber que o fato de ser político não é crime", disse o advogado de Professor Luizinho, Pierpaolo Cruz Bottini Nelson Jr./STF Mais
14.ago.2012 - "Ele gozava de uma amizade tão grande com o Delúbio a ponto de ser chamado de 'Zé Linguiça' por ele", afirmou o advogado de Professor Luizinho, Pierpaolo Cruz Bottini, ao alegar que o assessor de seu cliente sacou dinheiro de forma independente Antonio Araújo/UOL Mais
14.ago.2012 - "Só faltou a Odete Roitman e o Bin Laden. Tudo foi imputado [a José Dirceu]", disse o advogado de João Magno, Sebastião Tadeu Reis, ao citar que o ex-ministro da Casa Civil, também réu no mensalão, foi alvo de uma campanha difamatória na mídia Felipe Sampaio/STF Mais
15.ago.2012 - "Duda e Zilmar não são mensaleiros", disse o advogado de Duda Mendonça e Zilmar Fernandes, Luciano Feldens Reprodução Mais
15.ago.2012 - "Duda Mendonça saiu da Bahia para ganhar o mundo, mas a Bahia não saiu dele", disse o advogado de Zilmar Fernandes e Duda Mendonça, Antonio Carlos Castro, conhecido como Kakay Roberto Jayme/UOL Mais
15.ago.2012 - "Não é ladainha! (...) Respeite a responsabilidade de defender um cidadão", disse o advogado de Zilmar Fernandes e Duda Mendonça, Antonio Carlos Castro, criticando a fala do procurador-geral, Roberto Gurgel Antonio Araújo/UOL Mais
15.ago.2012 - "A acusação tratou os dois [Duda e Zilmar] como sendo um só, como [a dupla sertaneja] Leandro & Leonardo", disse o advogado de Zilmar Fernandes e Duda Mendonça, Antonio Carlos Castro, o Kakay Roberto Jayme/UOL Mais
15.ago.2012 - "Dirceu é um homem íntegro, um homem honesto, um homem duro", disse o advogado de Zilmar Fernandes e Duda Mendonça, Antonio Carlos Castro, ao comentar o envolvimento do ex-ministro José Dirceu no caso Antonio Araújo/UOL Mais
15.ago.2012 - "Pode não ter agredido a mim, mas agrediu esta Suprema Corte e este país", disse o ministro Joaquim Barbosa ao responder a críticas de advogados dos réus Carlos Humberto/STF Mais
15.ago.2012 - "Não sei o que poderiam falar sobre mim", brincou o ministro Marco Aurélio ao comentar que advogados chamaram o relator Joaquim Barbosa de "midiático" Antônio Araújo/UOL Mais
15.ago.2012 - "Não me preocupa a angústia do tempo", respondeu o ministro Celso de Mello quando o presidente do STF, Ayres Britto, quis resumir seu voto sobre uma preliminar do voto do relator Alan Marques/Folhapress Mais
15.ago.2012 - "Eu quero eliminar as abobrinhas", disse o ministro Joaquim Barbosa se referindo às preliminares apresentadas pelas defesas dos réus do mensalão e que são alvo de votação dos ministros Antonio Araújo/UOL Mais
16.ago.2012 - "Isso é uma ofensa", disse o ministro-relator Joaquim Barbosa ao revisor Ricardo Lewandowski, que criticou a forma como Barbosa apresentaria seu voto Roberto Jayme/UOL Mais
16.ago.2012 - "Como revisor, eu me oponho a adotar os núcleos, assim estaremos admitindo que existem núcleos", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao criticar a forma de votação do relator, Joaquim Barbosa, seguindo os núcleos firmados pela Procuradoria (núcleos político, operacional e financeiro) Antonio Araújo/UOL Mais
16.ago.2012 - "João Paulo Cunha sabia que os recursos por ele recebidos eram repassados pelas empresas de Marcos Valério", disse o ministro Joaquim Barbosa ao votar pela condenação dos dois réus nos crimes de corrupção passiva e ativa Roberto Jayme/UOL Mais
20.ago.2012 - "Determinadas coisas não convencem", disse o relator Joaquim Barbosa, ao citar depoimento de Henrique Pizzolato na CPI que investigou o caso do mensalão Roberto Jayme/UOL Mais
20.ago.2012 - "Os acusados estavam efetivamente participando de um esquema de desvios públicos", afirmou o relator Joaquim Barbosa ao votar pela condenação do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato e de Marcos Valério e seus ex-sócios, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach Fellipe Sampaio/STF Mais
20.ago.2012 - "Os acusados desviaram recursos do Banco do Brasil e, mediante lavagem de dinheiro, distribuíram a parlamentares e a si próprios", disse o ministro Joaquim Barbosa ao votar pela condenação do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato e de Marcos Valério e seus ex-sócios, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach Nelson Jr./STF Mais
22.ago.2012 - "A argumentação desenvolvida pela defesa não possui nenhuma importância para os efeitos penais", afirmou o ministro-revisor Ricardo Lewandowski sobre a defesa do réu Henrique Pizzolato Roberto Jayme/UOL Mais
22.ago.2012 - "Vejam a total balbúrdia que reinava neste setor do Banco do Brasil", afirmou o ministro-revisor Ricardo Lewandowski ao comentar que não havia sistemática prévia para a autorização do pagamento de antecipações no setor de marketing, onde atuava o réu Henrique Pizzolato Roberto Jayme/UOL Mais
22.ago.2012 - "O sapateiro foi além da sandália", afirmou o ministro-revisor Ricardo Lewandowski ao afirmar que a agência de Marcos Valério, a DNA propaganda, "extrapolou" valores do contrato com o Banco do Brasil Roberto Jayme/UOL Mais
22.ago.2012 - "Decidi rever provas do processo e me deparei com documentos que me levaram a dar uma guinada de 180º", disse o ministro-revisor Ricardo Lewandowski ao votar pela condenação do ex-diretor do Banco do Brasil Henrique Pizzolato pelo crime de peculato Roberto Jayme/UOL Mais
22.ago.2012 - "Foi mais um pesponto que um contraponto", brincou o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, ao comentar que o voto do ministro-revisor, Ricardo Lewandowski, não foi contrário ao do relator, Joaquim Barbosa Roberto Jayme/UOL Mais
23.ago.2012 - "Penso que ficou bem demonstrado que o réu solicitou os R$ 50 mil ao partido para pagar uma pesquisa eleitoral efetivamente realizada", disse o ministro Ricardo Lewandowski ao votar pela absolvição do réu João Paulo Cunha Roberto Jayme/UOL Mais
23.ago.2012 - "Causa-me perplexidade a curiosa circunstância de que o Ministério Público, embora convicto, não tenha denunciado também o jornalista Luiz Carlos Pinto", afirmou o ministro Lewandowski ao comentar a acusação de que João Paulo Cunha tenha forjado a contratação do assessor Luiz Carlos Pinto Roberto Jayme/UOL Mais
23.ago.2012 - "Se houver réplica, deve haver tréplica", afirmou o ministro-revisor Ricardo Lewandowski após o relator Joaquim Barbosa dizer que vai fazer considerações sobre o voto do colega Roberto Jayme/UOL Mais
23.ago.2012 - "Se ficarmos no vai e vem não terminaremos nunca", ponderou o presidente do STF, ministro Ayres Britto, ao comentar o pedido de tréplica de Ricardo Lewandowski Roberto Jayme/UOL Mais
27.ago.2012 - "Quanto maior o poder ostentado pelo criminoso, mais fácil esconder o ilícito", disse a ministra Rosa Weber ao proferir seu voto Alan Marques/Folhapress Mais
27.ago.2012 - "Eu dou a mão à palmatória, foi de muita prudência de vossa excelência [Joaquim Barbosa] fatiar o voto", disse o ministro Luiz Fux sobre a metodologia de votação Carlos Humberto/STF Mais
27.ago.2012 - "Só não muda de opinião quem já morreu", disse o ministro Luiz Fux durante seu voto Roberto Jayme/UOL Mais
27.ago.2012 - "A defesa não é obrigada a comprovar as suas versões", alegou o ministro Dias Toffoli ao votar pela absolvição de João Paulo Cunha; para o ministro, quem deve provar os crimes é quem faz a denúncia, no caso, a Procuradoria Geral da República Alan Marques/Folhapress Mais
27.ago.2012 - "Estava às claras para esconder", ironizou a ministra Cármen Lúcia ao comentar que o saque da mulher do réu João Paulo Cunha teria sido feito "às claras" Roberto Jayme/UOL Mais
29.ago.2012 - "A alegação é absolutamente inverossímil", disse o ministro Cezar Peluso ao comentar a afirmação de que os R$ 50 mil recebidos pela mulher de João Paulo Cunha seriam usados para pagar pesquisas eleitorais em Osasco Roberto Jayme/UOL Mais
29.ago.2012 - "Por que não receber o dinheiro em uma agência na própria Câmara? Por que não mandou um assessor? Por que mandou a mulher?", questionou o ministro Cezar Peluso ao condenar João Paulo Cunha Roberto Jayme/UOL Mais
29.ago.2012 - "Nenhum juiz verdadeiramente digno de sua vocação condena ninguém por ódio", afirmou o ministro Cezar Peluso ao se despedir da Corte; ele se aposenta no dia 3 de setembro Carlos Humberto/STF Mais
29.ago.2012 - "Pretendo dar um voto republicano. Nem parcimônia, nem justiçamento", disse o ministro Marco Aurélio de Mello ao proferir seu voto contra os réus Roberto Jayme/UOL Mais
29.ago.2012 - "São os infratores do erário, que trazem consigo o estigma da desonestidade", disse o ministro Celso de Mello ao defender que os funcionários públicos que cometem crimes devem ser rigorosamente punidos Roberto Jayme/UOL Mais
30.ago.2012 - "As posições funcionais de João Paulo Cunha e Henrique Pizzolato, na Câmara dos Deputados e no Banco do Brasil, foram decididamente utilizadas para beneficiar ilicitamente as empresas de Marcos Valério", disse o ministro Ayres Britto ao condenar os réus Roberto Jayme/UOL Mais
30.ago.2012 - "Algo de vinagre, algo de fel, fica no céu da boca do magistrado que se vê na obrigação de condenar alguém", disse o ministro Ayres Britto Roberto Jayme/UOL Mais
30.ago.2012 - "Somos todos pesquisadores, investigadores, analistas, intérpretes de dispositivos jurídicos", afirmou o ministro Ayres Britto durante seu voto Roberto Jayme/UOL Mais
3.set.2012 - "Os bancos não são instituições filantrópicas", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao votar pela condenação de dois réus ligados ao Banco Rural Antonio Araujo/UOL Mais
3.set.2012 - "Me parece que houve não um empréstimo, mas um negócio de pai para filho", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao citar que os empréstimos concedidos pelo Banco Rural eram fraudulentos Roberto Jayme/UOL Mais
5.set.2012 - "Ela era uma simples empregada", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao absolver a ré Ayanna Tenório, do Banco Rural Roberto Jayme/UOL Mais
5.set.2012 - "[Samarane] não era gestor e não podia ser agente do crime de gestão fraudulenta", disse o ministro Ricardo Lewandowski ao absolver o réu Vinícius Samarane, do Bando Rural Antonio Araujo/UOL Mais
5.set.2012 - "A pessoa que é vice-presidente assina um contrato nessas condições é evidente que não podemos considerar com candura uma pessoa assim", alegou o ministro Joaquim Barbosa ao questionar a absolvição de Ayanna Tenório pelo ministro Ricardo Lewandowski Sergio Lima/Folhapress Mais
5.set.2012 - "O crime cometido pelos réus não deveria ser gestão temerária nem gestão fraudulenta, deveria ser gestão tenebrosa", afirmou o ministro Luiz Fux ao condenar três réus do Banco Rural Roberto Jayme/UOL Mais
5.set.2012 - "Na verdade, infelizmente, a entidade serviu de uma verdadeira lavanderia de dinheiro", disse o ministro Luiz Fux ao condenar dirigentes do Banco Rural Antonio Araujo/UOL Mais
5.set.2012 - "A Justiça é uma ponte por onde passam todas as misérias e todas as aberrações", afirmou o ministro Luiz Fux durante a leitura de seu voto sobre os réus do Banco Rural Roberto Jayme/UOL Mais
5.set.2012 - "Colocaram uma verdadeira laranja", disse o ministro Dias Toffoli ao condenar três réus do mensalão e absolver Ayanna Tenório, aqui citada como suposta "laranja" do esquema Roberto Jayme/UOL Mais
6.set.2012 - "Se pudesse usar um rótulo a esses empréstimos usaria 'empréstimos de gaveta'", disse o ministro Marco Aurélio sobre os empréstimos do Banco Rural a Marcos Valério e ao PT Antonio Araújo/UOL Mais
6.set.2012 - "Eu diria, no jargão carioca, haja coração ante o fatiamento", disse o ministro Marco Aurélio sobre a metodologia que está sendo seguida no julgamento do mensalão Antonio Araújo/UOL Mais
6.set.2012 - "Antes ter um culpado solto do que um inocente preso", disse o ministro Marco Aurélio sobre os réus do julgamento do mensalão Antonio Araújo/UOL Mais
6.set.2012 - "No fundo, figuras principais desse julgamento somos todos nós [do STF]", disse o ministro Celso de Mello Antonio Araújo/UOL Mais
6.set.2012 - "Nunca esqueçamos os ataques de que fui objeto durante estes últimos sete anos, os ataques velados, sempre tendo como pano de fundo este processo", relembrou o ministro Joaquim Barbosa Antonio Araujo/UOL Mais
6.set.2012 - "Os descuidos foram em quantidades enlouquecidas", afirmou o ministro Ayres Britto sobre os empréstimos do Banco Rural Antonio Araújo/UOL Mais
10.set.2012 - "Marcos Valério mentiu. É interessante observar que ele muda de versão conforme as circunstâncias", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao ler seu voto sobre o crime de lavagem de dinheiro Nelson Jr./STF Mais
10.set.2012 - "Foram identificadas e comprovadas 46 operações de lavagem de dinheiro", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao ler seu voto sobre o crime que teria sido cometido por integrantes do Banco Rural e o grupo de Marcos Valério Nelson Jr./STF Mais
10.set.2012 - "Não se trata de empresário mequetrefe, como se sustentou a outra ré", ironizou o ministro Joaquim Barbosa ao lembrar da defesa de Geiza Dias Sergio Lima/Folhapress Mais
10.set.2012 - "Acho que talvez fosse conveniente estudarmos sessões extras exclusivamente para esse julgamento", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao pedir mais sessões ao presidente do STF Antonio Araujo/UOL Mais
12.set.2012 - "Isso é um absurdo. Em qualquer país decentemente organizado, um delegado desse estaria suspenso", disse o ministro Joaquim Barbosa ao criticar o delegado da PF que presidiu a investigação do mensalão e deu entrevistas Roberto Jayme/UOL Mais
12.set.2012 - "Vamos parar com esse jogo de intrigas. Faça o seu voto de maneira sóbria", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao criticar o colega Ricardo Lewandowski Roberto Jayme/UOL Mais
12.set.2012 - "Estou perplexo com a afirmação de vossa excelência. Eu não me canso de elogiar seu voto (...) Há pontos que obviamente discordamos", respondeu o ministro Ricardo Lewandowski ao ser criticado pelo colega Joaquim Barbosa Roberto Jayme/UOL Mais
12.set.2012 - "Este fatiamento me deixou um pouco, digamos assim, desorganizado", disse o ministro Ricardo Lewandowski sobre a apresentação dos votos de forma separada Antonio Araujo/UOL Mais
12.set.2012 - "Simone Vasconcellos distribuía dinheiro vivo até em quartos de hotéis. Seria pueril, por parte da defesa, negar estes fatos", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao condenar a ré Nelson Jr./STF Mais
13.set.2012 - "Tolentino era companheiro de todas as horas de Valério", disse o ministro Joaquim Barbosa ao comentar a relação entre o réu Rogério Tolentino e Marcos Valério, apontado como operador do mensalão Nelson Jr./STF Mais
13.set.2012 - "Assim como o rio é rio desde a nascente até a foz, a denúncia é a mesma de ponta a ponta", disse o ministro Ayres Britto ao discutir a condenação de Rogério Tolentino Antonio Araujo/UOL Mais
13.set.2012 - "Há muito método nessa loucura", afirmou o ministro Ayres Britto, citando Shakespeare enquanto ministros falavam sobre a lavagem de dinheiro Antonio Araujo/UOL Mais
13.set.2012 - "O dinheiro lícito e o ilícito não são como água e óleo, eles se misturam", afirmou o ministro Luiz Fux ao votar sobre o crime de lavagem de dinheiro Antonio Araujo/UOL Mais
13.set.2012 - "A denúncia conseguiu comprovar o valerioduto (...). Aquilo que a imprensa chamou de mensalão são cenas que assistiremos no próximo capítulo", alegou o ministro Dias Toffoli ao apresentar seu voto Roberto Jayme/UOL Mais
13.set.2012 - "Geiza era a frentista do posto de gasolina em que o dono colocava combustível falso", alegou o ministro Dias Toffoli ao absolver Geiza Dias Dorivan Marinho/STF Mais
13.set.2012 - "Eu conheço uma pessoa que foi condenada por um beijo: Jesus Cristo", disse o ministro Dias Toffoli ao absolver Geiza Dias, que mandava beijos ao fim de e-mails enviados durante o suposto esquema Nelson Jr./STF Mais
13.set.2012 - "Só o coração bom do ministro Toffoli para entender que ela foi condenada por um beijo. Se tivesse, era o beijo da morte que ela dava no final dos e-mails", disse o ministro Luiz Fux se referindo à ré Gelza Dias Antonio Araujo/UOL Mais
13.set.2012 - "Aos 66 anos, não posso acreditar em Papai Noel", afirmou o ministro Marco Aurélio ao condenar a ré Geiza Dias por envolvimento no crime de lavagem de dinheiro Dorivan Marinho/STF Mais
13.set.2012 - "Já estou rouco e cansado de ouvir", disse o ministro Gilmar Mendes ao começar seu voto depois de mais de quatro horas de julgamento sem intervalo Roberto Jayme/UOL Mais
17.set.2012 - "Eu nunca tinha ouvido isso, entrega de dinheiro a domicílio", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao ler seu voto sobre os réus do mensalão ligados ao PP Nelson Jr./STF Mais
17.set.2012 - "Percebemos que as acusações estão muito distantes de mera vingança política de [Roberto] Jefferson", disse o ministro Joaquim Barbosa ao comentar a denúncia de Jefferson sobre o esquema do mensalão Nelson Jr./STF Mais
19.set.2012 - "Não só [Jacinto Lamas] tinha conhecimento do caráter criminoso do Valdemar Costa Neto como queria auxiliá-lo na prática criminosa", disse o ministro Joaquim diz Barbosa sobre os réus do PL no julgamento do mensalão STF Mais
20.set.2012 - "Não vejo como divorciar os pagamentos realizados da atividade do parlamentar [José Borba] na Câmara dos Deputados", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao condenador o ex-deputado José Cruz/Agência Brasil Mais
20.set.2012 - "O que houve foi a compra de parlamentares para consolidar a base de apoio do governo (...) A lealdade, de fato, é uma arma dos parlamentares", disse o ministro Joaquim Barbosa ao entender que houve compra de votos no mensalão Antonio Araujo/UOL Mais
20.set.2012 - "Estou assustado com o conceito que está sendo veiculado de lavagem de dinheiro", alegou o ministro Marco Aurélio ao questionar entendimento do relator Joaquim Barbosa sobre o crime Nelson Jr./STF Mais
20.set.2012 - "Na maior parte dos casos, o que ocorreu: houve um acordo entre partidos para financiamento de campanhas", alegou o ministro Ricardo Lewandowski ao votar sobre os parlamentares que teriam recebido dinheiro no suposto esquema do mensalão Alan Marques/Folhapress Mais
24.set.2012 - "Não há necessidade que todos os integrantes se conheçam", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao condenar três réus pelo crime de formação de quadrilha Roberto Jayme/UOL Mais
24.set.2012 - "Não há uma prova sequer de que o réu tenha apertado um botão", alegou o ministro Ricardo Lewandowski ao votar pela absolvição de Breno Fischberg Gervásio Baptista/STF Mais
24.set.2012 - "Acho que o senhor Valdemar Costa Neto vai reclamar e com razão", afirmou o ministro Joaquim Barbosa ao comentar o voto de Ricardo Lewandowski pela condenação do réu por corrupção e lavagem de dinheiro; o voto difere de outros de Lewandowski, que absolveu de lavagem alguns réus que também receberam dinheiro Antonio Araujo/UOL Mais
24.set.2012 - "Essa Guaranhuns é uma verdadeira lavanderia de dinheiro", disse o ministro Ricardo Lewandowski sobre a empresa acusada de participar de lavagem de dinheiro no mensalão Antonio Araujo/UOL Mais
26.set.2012 - "Quem quiser ouvir meu voto tem que estar aqui em plenário e ouvir o que estou dizendo", disse o ministro Ricardo Lewandowski em resposta ao ministro Joaquim Barbosa Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Ninguém passa recibo de corrupção", afirmou o ministro Ricardo Lewandowski ao proferir seu voto sobre o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Foi a lavagem mais deslavada que eu já vi", disse o ministro Luiz Fux sobre o voto em relação ao ex-deputado José Borba Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "É interessante a hipótese, mas nós não estamos num happy hour", disse o ministro Luiz Fux sobre a fala do ministro Lewandowski citando um exemplo de punição referente à Lei Seca Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Nós, como ministros do Supremo, não podemos fazer vista grossa", disse o ministro Joaquim Barbosa ao criticar o colega Ricardo Lewandowski Sergio Lima/Folhapress Mais
26.set.2012 - "Ninguém faz vista grossa. Aguarde a manifestação dos colegas (...). Policie sua linguagem", disse o ministro Marco Aurélio ao colega Joaquim Barbosa, que discutiu com o ministro-revisor, Ricardo Lewandowski Nelson Jr./STF Mais
26.set.2012 - "Vossa excelência está num colegiado de alto nível. Vamos respeitar os colegas. O senhor não está respeitando a instituição", repreendeu o ministro Marco Aurélio o colega Joaquim Barbosa, que discutiu com o ministro-revisor, Ricardo Lewandowski Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Eu estou usando muito bem o vernáculo, só não admito hipocrisia", afirmou o ministro Joaquim Barbosa em resposta ao colega Marco Aurélio, que pediu que ele "policiasse" a linguagem na Corte Sergio Lima/Folhapress Mais
26.set.2012 - "Estou estupefato e perplexo", responde o ministro Ricardo Lewandowski às críticas recebidas de Joaquim Barbosa Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Se vossa excelência não admite a controvérsia (...) deveria pedir que abolisse a figura do revisor", respondeu o ministro Ricardo Lewandowski ao ser criticado pelo colega Joaquim Barbosa Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Eles viajaram um do ladinho do outro", disse o ministro Ayres Britto referindo-se a uma viagem até Portugal feita pelos réus Marcos Valério, Rogério Tolentino e Emerson Palmieri --este último absolvido por Ricardo Lewandowski Roberto Jayme/UOL Mais
26.set.2012 - "Esta viagem é esdrúxula (...) é bizarra", alegou o ministro Joaquim Barbosa ao criticar voto do ministro Ricardo Lewandowski Roberto Jayme/UOL Mais
27.set.2012 - "Se o dinheiro é público, como falar de caixa dois?", disse o ministro Ayres Britto ao citar a tese da defesa; para Britto, caixa dois sempre foi associado historicamente a dinheiro privado Roberto Jayme/UOL Mais
27.set.2012 - "A política é necessária (...). Não queria que o jovem desacreditasse da política por causa do erro de um ou de outro (...). Isso não significa que a política seja sempre corrupta", disse a ministra Cármem Lúcia, que também é presidente do TSE Carlos Humberto/STF Mais
27.set.2012 - "É o eufemismo dos eufemismos", disse o ministro Gilmar Mendes ao criticar a tese da defesa de que pagamento do mensalão era proveniente de caixa dois eleitoral Nelson Jr./STF Mais
1.out.2012 - "O ato de corrupção constitui um gesto de perversão de ética", afirmou o ministro Celso de Mello ao condenar a corrupção em um longo discurso Roberto Jayme/UOL Mais
1.out.2012 - "Estamos aqui a julgar e não a pré-julgar", afirmou o ministro Marco Aurélio durante seu voto Roberto Jayme/UOL Mais
1.out.2012 - "A lavagem de dinheiro é uma prática escamoteada própria", alegou o ministro Marco Aurélio ao votar pela absolvição do crime de lavagem de dinheiro imputado aos réus do mensalão Roberto Jayme/UOL Mais

O julgamento do mensalão em frases

Últimos álbuns de Notícias



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos