UOL CarrosUOL Carros
UOL BUSCA

20/11/2007 - 17h43
'Luxo', câmbio automático eleva compacto Peugeot 206 a top

Da Auto Press

O Peugeot 206 automático sofre devido a um antigo conflito: câmbio desse tipo é caro demais para um compacto. Por isso, o hatch da marca francesa com transmissão automática seqüencial só é vendido na versão topo de linha, a Féline, que custa R$ 48.800 -- preço que reforça o estigma de opcional de luxo do câmbio automático.

Os números de vendas do 206 são resultado dessa dicotomia. Das 39.642 unidades comercializadas desde março desse ano (mês da chegada do modelo automático), apenas 631 unidades deixaram a planta da PSA Peugeot Citroën, em Porto Real, no Rio de Janeiro, com o câmbio Tiptronic instalado. Ou seja, desde que foi lançada, a versão automática obteve um ínfimo 1,6% de participação nas vendas do hatch.
Pedro Paulo Figueiredo/Carta Z Notícias

Vendas do 206 automático representam menos de 2% do modelo

Mas a investida da Peugeot tem seu valor. O maior mérito está justamente no moderno câmbio Tiptronic, sistema criado pela alemã Porsche. Outro, é que pode se contar nos dedos de uma mão os compactos nacionais que oferecem versão automática -- além do 206 hatch e SW, somente o Honda Fit e a recém-lançada Chevrolet Meriva Easytronic, que usa um câmbio robotizado. Entre os importados, há o subcompacto coreano Kia Picanto automático.

FICHA TÉCNICA

Motor: Gasolina ou álcool, dianteiro, transversal, 1.587 cm³, quatro cilindros em linha, duplo comando no cabeçote e quatro válvulas por cilindro. Injeção eletrônica multiponto seqüencial e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático seqüencial de quatro velocidades à frente e uma a ré. Tração dianteira.
Potência: 110 cv com gasolina e 113 cv com álcool a 5.600 rpm.
Torque: 14,2 kgfm com gasolina e 15,5 kgfm com álcool a 4.000 rpm.
Diâmetro e curso: 78,5 mm x 82 mm. Taxa de compressão: 10,5:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais e amortecedores hidráulicos integrados. Traseira independente com barras de torção transversais, amortecedores hidráulicos, braços duplos e barra estabilizadora.
Freios: A discos ventilados na frente e a discos sólidos atrás.
Carroceria: Hatch compacto em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Com 3,83 metros de comprimento, 1,65 m de largura, 1,43 m de altura e 2,44 m de entre-eixos.
Peso: 1.027 kg em ordem de marcha.
Porta-malas: 245 litros/1.130 litros com os bancos traseiros rebatidos.
Tanque: 50 litros.
Peugeot 206 Féline Automatic 1.6 flex
O único concorrente direto do hatch da Peugeot, portanto, é o Fit, que é equipado com o avançado câmbio continuamente variável (CVT). Os preços são equivalentes: o modelo da marca francesa sai por R$ 48.800, enquanto o da Honda tem preço inicial de R$ 49.580. Um pouco acima, a Meriva é vendida por R$ 54.314. E no andar de baixo vem o Picanto, por R$ 40.900, só que com motor 1.1 litro a gasolina de 64 cv de potência -- bem mais manso que os propulsores dos rivais.

O Fit, na versão de entrada LX, traz o motor 1.4 litro a gasolina de 80 cv e a Meriva é empurrada pelo propulsor 1.8 litro flex, que produz 114 cv com álcool e 112 com gasolina. Já o 206 é movido pela unidade de força 1.6 litro flex, com 113 cv de potência com álcool e 110 cv com gasolina a 5.600 rpm.

Há, porém, muito mais que potência no carrinho da Peugeot. O 206 hatch traz farta lista de equipamentos de fábrica, os quais, na teoria, ajudam a justificar os elevados R$ 48.800 do preço.

Estão disponíveis: volante e faróis com ajuste de altura, vidros e travas elétricos, ar com controle digital, direção hidráulica, faróis de neblina, rodas de alumínio aro 14, rádio/CD com MP3 e controle na coluna de direção, computador de bordo e freios com ABS, além de bancos esportivos, sensor de luminosidade, brake-light, luzes traseiras de neblina e vidros verdes. De se estranhar é a ausência de airbags de série. Ele é opcional, vendido apenas sob encomenda.

Impressões ao dirigir
O câmbio automático deixa o Peugeot 206 muito agradável de conduzir. Sobretudo na cidade, onde os congestionamentos exigiriam repetidos movimentos de troca de marchas. O motor 1.6 litro flex, com 113 cv com álcool e 110 cv com gasolina, é muito bem disposto, embora o câmbio automático seqüencial Tiptronic de quatro marchas roube um pouco de sua agilidade.

Há delays nas trocas de marcha, principalmente quando se pisa fundo no pedal do acelerador. Mas diante dos 1.027 kg do hatch, a performance se mantém viril, e as acelerações e retomadas, fortes. O modelo vai de zero a 100 km/h em bons 9,8 segundos.

O desempenho robusto encontra fôlego também no estilo arrojado e no ambiente confortável. Acabamento com design antiguinho, mas bem-feito, bom isolamento acústico e ergonomia correta garantem momentos agradáveis a bordo do hatch. O fácil acesso aos comandos também é notável. (por Diogo de Oliveira)

O PEUGEOT 206 AUTOMÁTICO, DE ZERO A 100
Desempenho - A combinação entre motor 1.6 flex e o câmbio automático Tiptronic tem seus prós e contras no 206. O hatch compacto tem desempenho interessante. Os 113 cv com álcool deixam rápidas as acelerações e retomadas. O zero a 100 km/h é feito em 9,8 segundos, a recuperação de 60 km/h a 100 km/h em D se dá em 12,3 s e a máxima é de 195 km/h. Mas o câmbio de quatro marchas não permite muitas estrepolias. O escalonamento é muito aberto, com muita diferença de giros entre as marchas, e apresenta trancos. Nota 7
Estabilidade - O 206 tem um bom ajuste de suspensão. Tanto em baixa quanto em velocidades mais altas, o hatch se mantém estável. No limite, porém, solta a traseira - e como a tração é dianteira, a correção não é tão fácil. A flutuação surge só após os 150 km/h. Nota 7
Interatividade - O 206 é bem-resolvido em relação a comandos e regulagens. Os botões e alavancas ficam ao alcance do motorista. A leitura do painel é simples e direta, o computador de bordo oferece uma boa quantidade de informações e a ergonomia é correta. A manobrabilidade sofre um pouco pela grossa coluna traseira. Nota 8
Consumo - O modelo avaliado fez média elevada de 6,4 km/l com álcool em percurso que mesclou 2/3 na cidade e 1/3 na estrada. Nota 6
Conforto - Dos hatchs compactos nacionais, o Peugeot 206 é dos mais confortáveis. A suspensão absorve bem as irregularidades, o espaço interno é bom e o isolamento acústico, eficiente. E os bancos esportivos da versão automática seguram muito bem o corpo. Nota 8
Tecnologia - O câmbio automático é o ponto alto da versão topo de linha do Peugeot 206, mas apresenta delays nas passagens e o fato de ter apenas quatro marchas impede que se explore plenamente o bom motor 1.6 16V. No mais, computador de bordo, ABS e outros apetrechos servem para justificar o salgado preço. A ausência de airbag, no entanto, é injustificável num modelo de quase R$ 50 mil. Nota 7
Habitabilidade - Apesar de compacto, o espaço no 206 é bem aproveitado. Não há sobras, mas o habitáculo também não provoca claustrofobia. Acessos amplos, boa iluminação e vasta quantidade de porta-objetos ajudam. O porta-malas leva razoáveis 245 litros. Nota 7
Acabamento - Nem mesmo a predominância de plásticos no 206 é capaz de causar desconforto. As texturas agradam aos olhos e ao toque, assim como os tecidos dos bancos e forro das portas. Só mesmo o desenho antiguinho deixa má impressão. Nota 7

Design - O estilo do 206 é um de seus trunfos desde a estréia no Brasil. As linhas são características da Peugeot, com faróis afilados na diagonal e lanternas que lembram olhos de felino. Está defasado em relação à Europa, onde o sucessor 207 já roda há mais de ano, embora o 206 permaneça como modelo de entrada. Nota 7
Custo/benefício - Os R$ 48.800 pedidos são demasiados, ainda mais porque o 206 automático não tem sequer airbag. Nota 6
Total - O 206 automático somou 70 pontos em 100. NOTA FINAL: 7




ÚLTIMAS NOTÍCIAS
10/04/2008

19h38- Tesla Roadster será vendido na Europa

18h30- Salão chinês revela o novo Hyundai Elantra

18h20- Concessionária liquida estoques de carros zero

18h12- Volvo tem 85% de carros recicláveis

18h02- Quer uma massagem? Vá de Volvo

17h56- Motores e combustíveis tradicionais podem poluir menos

17h44- Scion transforma tC em carro de Drift

17h12- Toyota terá esportivo barato em 2011

17h06- Promoção sorteia Corvette inspirado em Speed Racer

17h03- Cai tabu: autobhan alemã tem limite de 120 km/h

Mais Notícias