Óleo de peixe ou de semente de linhaça: qual o melhor para a saúde?

Por C. Clairborne Ray
The New York Times

  • Thinkstock

    A semente de linhaça contém ômega-3, mas em menor quantidade que o óleo de peixe

    A semente de linhaça contém ômega-3, mas em menor quantidade que o óleo de peixe

Como o óleo de semente de linhaça se compara ao óleo de peixe, em termos de benefícios nutricionais?

Acredita-se que o óleo de semente de linhaça e o de peixe tenham benefícios nutricionais semelhantes, mas é preciso uma quantidade muito maior de óleo de semente de linhaça para obter esses possíveis benefícios, diz o Dr. Sheldon Hendler, coeditor do PDR for Nutritional Supplements, referência na área.

A maior evidência, a partir de estudos de ácidos graxos ômega-3 em óleo de peixe, é uma redução de triglicérides, uma forma de gordura encontrada no sangue. Outros possíveis benefícios incluem atividade anti-inflamatória; ação contra coágulos de sangue e placas arteriais; e proteção dos neurônios e da retina.

Ambos os óleos contêm ácidos graxos ômega-3. No óleo de peixe, os principais são o EPA (ácido eicosapentaenoico) e o DHA (ácido docosaexaenoico). Já no óleo de semente de linhaça, o principal é o ALA (ácido alfa-linoleico), um precursor do EPA e do DHA, que é convertido para esses ácidos graxos no corpo.

Os possíveis benefícios à saúde são principalmente atribuídos ao EPA e ao DHA, disse Hendler. “O efeito mais estudado é sua capacidade de diminuir níveis absurdamente altos de triglicérides, um fator de risco para doença cardiovascular, especialmente em pessoas com diabetes”, ele disse.

A quantidade recomendada de EPA e DHA para essa condição é de 4g por dia, cerca de uma colher de chá, disse Hendler. Porém, são necessários 40g, ou cerca de três colheres de sopa ou mais, de ALA para produzir 4g de EPA e DHA no corpo.

© 2010 New York Times News Service
 

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos