UOL Notícias Cotidiano
 

29/05/2008 - 13h30

Índios de tribo isolada são fotografados pela primeira vez no Acre

Ana Luisa Bartholomeu*
Em São Paulo
Uma expedição aérea realizada pela Frente de Proteção Etnoambiental da Funai (Fundação Nacional do Índio) na divisa do Estado do Acre com o Peru conseguiu fotografar pela primeira vez um dos quatro povos indígenas distintos que vivem isolados naquela região. Não há registro de contato dessa tribo com a civilização.

  • Funai/AP

    Malocas de tribo foram localizadas na divisa do Acre com o Peru

  • Funai/AP

    Expedição da Funai foi recebida
    com flechas por índios isolados

    De acordo com o coordenador do grupo, o sertanista José Carlos dos Reis Meirelles Júnior, a existência desses povos já é conhecida desde 1910, por meio de registros escritos, mas as 1.200 fotos tiradas na expedição deste mês, realizada com o apoio do governo do Acre, são o primeiro registro de imagem dessas etnias.

    Para visualizar as malocas, foram necessárias 20 horas de vôo na região do rio Envira, que nasce no Peru e atravessa o Acre. "As coordenadas geográficas eu não digo por nada, nem para a Funai", ironizou Meirelles, em entrevista ao UOL, por telefone. "Não queremos que a civilização chegue até lá", completou.

    Ao avistarem os 'intrusos', os índios atiraram flechas, e as mulheres e as crianças se esconderam, segundo Meirelles. "Posso dizer que fiquei feliz com a 'recepção'. Enquanto está assim, entendemos que está tudo bem. Demonstra que não são civilizados mesmo, e é isso que queremos conservar", explicou o sertanista.

    De acordo com Meirelles, os índios vestiam apenas uma cinta de algodão, cobrindo os órgãos genitais, e tinham o corpo pintado de urucum (vermelho). "Vimos que eles plantam batata, banana, algodão e mandioca, entre outras coisas", afirmou Meirelles.

    HowStuffWorks

    Índios isolados são todos os grupos indígenas ou indivíduos que vivem sem contato com o resto da população brasileira. Habitam o interior das florestas, principalmente a Amazônia, sem estabelecer contato com as comunidades não-indígenas que os cercam.

    O sertanista, que vive e trabalha na região há mais de 20 anos, disse ter ficado satisfeito ao ver que a população dessas etnias isoladas aumentou. "Esses índios têm sido mortos desde o início da exploração da borracha na região. Ficamos surpresos ao ver mais malocas do que de outras vezes. É sinal de que nosso trabalho tem surtido efeito."

    O objetivo de divulgar as fotos, segundo Meirelles, é o de pressionar os governos do Peru e do Brasil para que desenvolvam uma política de conservação para a área, que vem sofrendo com a exploração da madeira.

    "Queremos alertar a sociedade e o governo para a violência contra os índios. Infelizmente, a sobrevivência deles depende de nós agora", completou o especialista da Funai.

    A divulgação das fotos foi feita pela Survival International, organização que apóia a política da Funai para povos isolados. A entidade estima que haja cerca de 40 grupos indígenas isolados no Brasil; no mundo todo seriam 100.

    Meirelles prega que a intenção do trabalho da Funai é "nunca fazer o contato, apenas demarcar a área e deixar os índios em paz". Segundo o sertanista, duas terras já foram demarcadas na região sem que fosse feito contato com os índios, e uma terceira nessa mesma situação está prestes a ser feita.

    *Com informações da BBC Brasil

    Siga UOL Notícias

    Tempo

    No Brasil
    No exterior

    Trânsito

    Cotações

  • Dólar comercial

    17h59

    1,65
    2,335
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h17

    -2,42
    56.927,81
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host