Sem-teto invadem prédio abandonado no centro de São Paulo; ocupações acontecem também em outras capitais

Janaina Garcia
Do UOL Notícias
Em São Paulo

Cerca de 300 pessoas ocuparam nesta terça-feira (4) um prédio na avenida Cásper Líbero, 430, no centro de São Paulo, como parte da “Jornada Nacional de Luta pela Reforma Urbana”. O movimento, segundo seus organizadores, conta com ocupações de terrenos e outros imóveis em diversas capitais brasileiras e tem como principal objetivo a cobrança do governo federal pela agilidade na liberação de verbas a programas habitacionais como o “Minha Casa, Minha Vida”.

Só na cidade de São Paulo, desde a madrugada do último domingo (2) para segunda (3), ao todo são três imóveis ocupados: além do prédio particular na Cásper, os sem-teto invadiram também duas áreas do INSS (Instituto Nacional de Seguridade Social) --um terreno na rua Martins Fontes, também no centro, e um prédio na rua Cristóvão Colombo, na zona sul. Nas três, são cerca de mil pessoas envolvidas.

“São ocupações em caráter permanente, até que se encaminhem as negociações. Enquanto isso, essas ações vão continuar”, disse o advogado Benedito Roberto Barbosa, da União dos Movimentos de Moradias de São Paulo.

De acordo com ele, além das ações de ocupação --que transcorrem em idades como Porto Alegre (RS), Curitiba (PR), Recife (PE) e Manaus (AM)--, a jornada conta ainda com uma mobilização em Brasília em prol da “reforma urbana”, referente a imóveis abandonados em grandes centros, e da rapidez nos recursos do "Minha Casa, Minha Vida".

“Semana que vem, se tudo der certo, queremos entregar essas reivindicações à presidente Dilma [Rousseff, atualmente em viagem à Europa]. O governo tem que garantir terrenos para moradias sociais”, afirmou Barbosa, segundo o qual a maioria dos ocupantes dos imóveis em São Paulo são oriundos de antigos cortiços da região central e de parte da zona leste da capital.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos