Cadastro para o Bilhete Único Mensal começa em 15 de abril em São Paulo

Guilherme Balza
Do UOL, em São Paulo

O cadastramento dos usuários do bilhete único mensal começará a ser feito pela internet no dia 15 de abril próximo, segundo informou a Prefeitura de São Paulo nesta terça-feira (2). O bilhete, uma das promessas de campanha do prefeito Fernando Haddad (PT), deve entrar em vigor em novembro deste ano.

O anúncio foi oficializado em uma entrevista coletiva dada pelo secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, acompanhado do prefeito.

ENTENDA O NOVO SISTEMA

1º passo O usuário se cadastra na internet para receber o bilhete único mensal
2º passo Cadastrado, ele vai pagar um valor fixo, que ainda não foi definido,  por mês. Em troca, pode usar o bilhete para viagens ilimitadas durante 30 dias.
3º passo O bilhete único mensal funcionará como o atual cartão, mas para impedir fraudes a prefeitura quer que as catracas dos ônibus tenham leitores biométricos (de impressão digital)

Segundo a administração municipal, o bilhete único mensal permitirá ao usuário dos ônibus municipais fazer quantas viagens quiser pagando um valor fixo por mês. 

O usuário que quiser ter o bilhete deverá adquirir um novo cartão, já que os cartões atuais só irão servir para a modalidade atual.

O custo mensal do bilhete ainda não foi definido pela prefeitura, mas, durante a campanha, Haddad o estimou em R$ 140 mensais. Considerando o valor atual da tarifa (R$ 3), daria para fazer, atualmente, 46 viagens de ônibus (com direito a transferência gratuita para até três ônibus em três horas).

Antes de entrar em vigor, o bilhete mensal passará por uma fase piloto, na qual o serviço estará disponível para portadores de deficiência, idosos e estudantes.

Os cerca de 7 milhões de usuários dos ônibus da cidade terão de fazer pessoalmente o cadastro no novo sistema. A cidade tem, atualmente, cerca de 22 milhões de bilhetes únicos ativos --que também são usados no metrô e nos trens.

Já o cartão do Bilhete Único Mensal também poderá ser utilizado na modalidade atual.

O cadastramento dos interessados no Bilhete Único Mensal começará no dia 15 de abril e será feito pela internet, em um página criada pela SPTrans.

Os usuários deverão informar seus dados de identificação e endereço e enviar uma foto. O cartão será enviado pelo Correio.

Além do cadastramento na internet, a prefeitura fará o cadastramento de forma presencial em postos das SPTrans e em outros locais a serem definidos.

A fase de cadastramento será permanente, mesmo após o Bilhete Único Mensal entrar em vigor. Entretanto, para que o passageiro tinha acesso à modalidade logo que começar, terá que se cadastrar em novembro.

O cartão do Bilhete Único Mensal poderá ser carregado pela internet, com cartão de crédito ou em postos físicos da SPTrans.

Caso perca o cartão, o usuário terá de pagar um valor equivalente a sete tarifas vigentes para ter a segunda via (atualmente este valor seria de R$ 21). No caso de estudante, que paga metade da tarefa, valor será de dez viagens (R$ 15).

Integração com o metrô depende de decisão política, diz Haddad

Segundo Tatto, os novos cartões terão monitoramento online e contarão com chips para evitar fraudes. "Vamos conseguir acompanhar uma anomalia de um fraudador. Teremos os dados de todos os usuários."

Até o Bilhete Único Mensal entrar em vigor, o sistema irá passar por "uma fase de atualização tecnológica", segundo afirmou Haddad.

A prefeitura abrirá licitação para contratar a empresa que irá implantar o sistema. De acordo com Tatto, com a implantação do Bilhete Único Mensal, os subsídios pagos às empresas de ônibus devem subir em R$ 400 milhões por ano.

Inicialmente, o Bilhete Único Mensal só deverá ser utilizado nos ônibus municipais. De acordo com Haddad, prefeitura e governo do Estado estão se reunindo com frequência para viabilizar a integração com o metrô e com a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), que já ocorre na modalidade atual.

"[Integrar com Metrô e CPTM] é uma decisão técnica e política. Não posso responder porque não cabe a mim. Nós, da prefeitura, estamos 100% convencidos que é uma medida boa para São Paulo se pudéssemos integrar o bilhete. Tecnologicamente falando, não haveria obstáculos. Tecnicamente falando, envolve questões de Orçamento e outras coisas que não posso adiantar", disse.

O prefeito não acredita que o Bilhete Único Mensal provocará aumento significativo nos usuários do metrô e da CPTM, caso a integração ocorra, nem irá sobrecarregar os ônibus municipais.

"Nossa percepção é de que o afluxo de novos passageiros deve ocorrer nos horários em que o sistema está ocioso. A passagem para o trabalho e o estudo vai continuar basicamente sendo a mesma. Estamos prevendo que nos horários ociosos provavelmente vamos ter mais passageiros", afirmou.

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos