Piloto que morreu em queda de avião na Bahia ia para fazenda no Piauí

Aliny Gama
Do UOL, em Maceió

O empresário de agronegócio Dirceu Montani Filho, 30, que morreu carbonizado durante a queda do avião Elite VFR RV10, no município de Luis Eduardo Magalhães (797 km de Salvador), na manhã desta quinta-feira (25), estava viajando com destino ao Piauí.

Segundo informações do plano de voo, o piloto iria para terras de uma de suas propriedades localizada no município de Bom Jesus (589 km de Teresina), mas antes ele seguiria para Barreiras (850 km de Salvador), onde pegaria uma empresário, que iria com ele para Bom Jesus, quando ocorreu o acidente.

De acordo com relatos de testemunhas do aeroporto, o fazendeiro saiu pilotando a aeronave Elite VRF do aeroporto de Luis Eduardo Magalhães às 7h15 e, minutos depois, o avião caiu, ainda na área do aeroporto. Testemunhas contaram que minutos após a decolagem o avião começou a perder altitude e caiu ainda perto da cabeceira da pista do aeroporto Luís Eduardo Magalhães.

Não se sabe a causa do acidente. Dirceu Montani Filho viajava sozinho e morreu carbonizado. O corpo foi removido para o IML de Barreiras e ainda não foi liberado para enterro. Dirceu viajava pilotando um avião de propriedade de um amigo, o empresário Lauro Luza, pois o dele estaria em manutenção.

O produtor rural era casado e deixou uma filha de um ano de idade.Amigos de Montani afirmaram que o empresário tinha cursos de voo e costumava fazer o percurso para as propriedades que possui no Piauí. O DPT (Departamento de Polícia Técnica) vai elaborar um laudo para descobrir as causas do acidente, e a perícia deve ser concluída em 30 dias. Ainda não há informações do que provocou o acidente.

Acidentes aéreos no Brasil e no mundo
Acidentes aéreos no Brasil e no mundo

Notícias relacionadas

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos