Manifestações hoje e amanhã em São Paulo homenageiam vítimas de crimes violentos

Do UOL, em São Paulo

  • Reprodução

    Vídeo mostra homem atirando em funcionário do Colégio Sion em SP

    Vídeo mostra homem atirando em funcionário do Colégio Sion em SP

A onda de violência que já deixou a 481 mortos apenas nos quatro primeiros meses deste ano na cidade de São Paulo, entre homicídios dolosos e latrocínios (roubo seguido de morte), será tema de duas manifestações marcadas para este final de semana na capital paulista.

O primeiro deles será uma passeata marcada para as 11h na avenida Interlagos (zona sul) para lembrar a memória da estudante Gabriela Teixeira de Souza, 17, assassinada em um ponto de ônibus na região no mês passado. Aluna do ensino médio, a adolescente levou uma facada no pescoço e não resistiu à hemorragia. O principal suspeito pelo crime foi preso nessa quinta-feira (6).

Segundo os organizadores, o protesto terá a presença de familiares e amigos da jovem, ONGs e movimentos sociais. O objetivo será "chamar a atenção do poder público para a adoção de medidas mais rigorosas que evitem tragédias como a ocorrida com a estudante".

Onda de crimes no Estado de São Paulo
Onda de crimes no Estado de São Paulo

No domingo (9), um ato pela paz no Alto de Pinheiros, zona oeste da capital, lembrará as mortes de outras duas vítimas recentes da violência no Estado: o dentista Alexandre Peçanha Gaddy, 41, de São José dos Campos (a 97 km de SP), e o funcionário do colégio Sion Eduardo Paiva, 39.

Gaddy morreu esta semana após um suposto ataque de assaltantes ao consultório em que ele trabalhava, no último dia 27. Com mais da metade do corpo queimada da ação, ele não resistiu. Até agora, a polícia não identificou possíveis suspeitos.

Já Paiva foi alvo da chamada "saidinha de banco" próximo ao colégio, no bairro de Higienópolis (área nobre da capital), logo após sacar R$ 3.000 de um banco na avenida Angélica. Na tentativa de fugir dos criminosos, que estavam de moto, ele foi baleado e morreu. Também neste caso, os suspeitos ainda não foram identificados.

O ato, batizado de "Caminhada pela Paz", é organizada pelos familiares e amigos do dentista e acontecerá na praça Comendador Manuel Mendes Pimenta, às 9h30.

No caso do funcionário do Sion, a direção do colégio informou que a instituição realizará também uma missa em homenagem ao funcionário neste sábado, às 10h30, na capela da instituição. Após a cerimônia religiosa, alunos, pais e funcionários farão uma homenagem a Paiva dentro da instituição, na qual ele trabalhava há oito anos.

Notícias relacionadas

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos