Incêndio em depósito na zona leste de São Paulo durou mais de 24 horas

Do UOL, em São Paulo

Um incêndio em depósito comercial na Mooca, zona leste de São Paulo, na rua Clark, durou mais de 24 horas. O Corpo de Bombeiros foi acionado às 10h de quarta-feira (31), e até as 11h desta quinta-feira (1º) dez carros da corporação ainda combatiam as chamas. Por volta das 13h, o fogo foi controlado e teve início a operação de rescaldo dos destroços para evitar o surgimento de novos focos.

No local funciona um depósito de três andares da loja Armarinhos Fernando. A grande quantidade de material inflamável estocado dificultou a contenção das chamas.

De acordo com os Bombeiros, não há registro de vítimas civis. Um cabo da corporação de Itaquera, que apoiava a ocorrência, teve uma fratura no punho direito, mas foi medicado e liberado.

Ainda na quinta-feira, 350 moradores de dois prédios vizinhos foram orientados a deixar os apartamentos para evitar contaminação pela fumaça. A restrição não é mais necessária. Ruas da região seguiam interditadas nesta manhã.

O depósito tem aproximadamente 7.000 metros quadrados.

Cerca de 30 funcionários estavam no local e todos conseguiram deixar o prédio ilesos, segundo a Folha. Ainda não há informações sobre como o incêndio começou.

Segundo a assessoria de imprensa da rede Armarinhos Fernando, as instalações "estão de acordo com as normas vigentes". Ainda não há cálculo do prejuízo.

Segundo os bombeiros, mais de 76 homens e 22 carros foram empregados na tentativa de controlar as chamas no galpão durante a quinta-feira.

Em janeiro deste ano, o local já havia sido atingido por outro incêndio.

Explosões durante a noite

Os moradores de imóveis vizinhos que optaram por permanecer em casa durante a noite, como o advogado Carlos Alberto Beatriz, 52, ouviram explosões.

"Apesar de os bombeiros terem controlado o incêndio, ainda há muito material inflamável. Alguns materiais, como vidros de esmaltes, foram lançados para o meu prédio", afirmou.

Outros moradores reclamaram de vidros de janelas quebrados por causa do calor e batentes de plástico derretidos. "O principal problema é que é a segunda vez que isso acontece, então é preciso tomar uma providência", disse o aposentado Miguel Fernandes, de 72 anos.

Segundo o coordenador da defesa civil da Mooca, Francisco de Almeida Dias, o playground do Condomínio Edifício Verona, na Rua Clark, teve de ser interditado, pois há risco de desabamento da parede, que é colada ao galpão. "Engenheiros irão ao local ainda hoje para avaliar a situação do muro. Os outros prédios vizinhos foram todos liberados." (Com Estadão Conteúdo)

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos