Após recontagem, número de presos mortos em briga no Maranhão cai para 9

Aliny Gama
Do UOL, em Maceió

Uma briga entre integrantes de facções criminosas rivais que estão presos na Cadet (Casa de Detenção) no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís (MA), ocorrida na noite desta quarta-feira (9), deixou nove presos mortos e 20 internos feridos. Não há registro de agentes penitenciários ou policiais atingidos durante o tumulto.

Inicialmente, o Estado informou que eram 13 mortos e 30 feridos, mas o número foi revisado após a recontagem dos presos feita nesta manhã de quinta-feira.

Os corpos dos nove presos foram encaminhados para o IML (Instituto Médico Legal) de São Luís e cinco deles já foram identificados.

Segundo o IML, os presos identificados até o momento são: Carlos Eduardo Oliveira da Silva, Daniel Fonseca Rodrigues, Natanael de Souza do Espírito Santo, Uvani Duarte de Farias e Idenilson Gaspar Santos Viana.

A Polícia Civil, a Ouvidoria e a Corregedoria da Sejap (Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária) estão investigando o motim.

A Sedihc (Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Cidadania) também está acompanhando o caso.

As primeiras informações apontam que a briga envolveu integrantes das facções" Bonde dos 40" e "PCM (Primeiro Comando do Maranhão)", mas, pode haver outras facções envolvidas no tumulto.

"A confusão teria se dado em consequência da guerra de facções no presídio e do desmonte do bando conhecido como Bonde dos 40, um dos maiores do Estado, com a prisão de 16 integrantes nesta semana em ação da polícia em São Luís", disse a Sejap.

A briga ocorreu no Pavilhão 2 do Bloco F quando os agentes penitenciários estavam realizando um procedimento de revista padrão.

Segundo a Sejap, os internos se recusaram a passar pela revista e se confrontaram com agentes penitenciários. Durante o confronto, os presos se desentenderam e iniciaram a briga.

Durante a revista, os agentes encontraram um túnel escavado pelos presos, que pretendiam fugir na madrugada desta quinta-feira.
Com as nove mortes ocorridas nesta quarta-feira, sobe para 14 presos assassinados este mês dentro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

No último dia 2, mais cinco presos foram mortos durante dois motins entre integrantes do "Bonde dos 40" e do "PCM", que se confrontaram devido à chegada de grupo de 18 detentos, que estava custodiado na CCPJ (Central de Custódia Preso de Justiça) do Anil, no dia 30.

Ônibus queimados

Durante o tumulto, dois ônibus foram incendiados em São Luís. O vandalismo está sendo investigado pela polícia, mas ainda não foi informado se as depredações foram ordenadas por presos do Complexo de Pedrinhas.

Segundo o Ciops (Centro Integrado de Operações de Segurança) da Polícia Militar, os ônibus incendiados estavam circulando pelos bairros de São Cristóvão e do Maracanã.

A polícia registrou ainda quatro tentativas de incêndio a coletivos --na Cohab, na Janaína, no Monte Castelo e no Tibiri.

As condições dos presídios brasileiros
As condições dos presídios brasileiros

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos