Corpos de pai e filho que caíram de prédio em Osasco (SP) são enterrados

Do UOL, em São Paulo

  • Marcos Bezerra/Futura Press/Estadão Conteúdo

    Fachada de prédio, em Osasco (SP), onde professor se jogou do 13º andar com o filho de seis anos

    Fachada de prédio, em Osasco (SP), onde professor se jogou do 13º andar com o filho de seis anos

Foi enterrado na manhã desta quarta-feira (19), no cemitério da Saudade, em Campinas (a 95 km de São Paulo), o corpo do professor Edemir de Mattos, 52, que pulou com o filho de seis anos do 13º andar do prédio em que moravam em Osasco (Grande São Paulo) na noite de segunda-feira. O corpo do menino Ivan Pesquero de Mattos também foi enterrado nesta quarta, no Memorial Park Alphacampus, em Jandira (também na Grande São Paulo).

Mattos se atirou do apartamento depois de agredir sua mulher, a professora universitária Celia Regina Pesquero, 49. Um vizinho tentou convencer Mattos a não se jogar com Ivan. Pai e filho morreram na hora. O caso foi registrado no 5º DP de Osasco e será investigado pelo 9º DP da mesma cidade.

De acordo com a polícia, Celia levou socos e pontapés do marido na noite de segunda (17). Com um trauma no rosto, a professora está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Municipal Antonio Giglio, em Osasco. Ela aguarda uma avaliação a respeito da necessidade de uma cirurgia bucomaxilofacial. Seu quadro é considerado estável. 

À polícia, a professora afirmou que "apanhava sempre" do marido. O casal vivia junto havia sete anos. Também relatou que preparava um lanche para o filho na noite de segunda quando Mattos começou a ameaçar se matar com a criança. Celia disse que ele era "traumatizado" por não conseguir ver a filha que teve no primeiro casamento.

Três horas antes do caso, pai e filho brincaram no pátio do condomínio. No último sábado, a família havia comemorado o aniversário do menino com uma festa.

Notícias relacionadas

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos