UOL EducaçãoUOL Educação
UOL BUSCA
ASSINE OS BOLETINS:
DICAS DE PORTUGUÊS,
UOL VESTIBULAR E
UOL LIÇÃO DE CASA


Dicas de Português
Por Thaís Nicoleti de Camargo

Aposto explicativo requer uso da vírgula

"O presidente cubano Fidel Castro passou a virada do ano em um posto de gasolina em Havana, cantando o hino acompanhado de um grupo de jovens voluntários que receberam a missão de combater a corrupção."

No fragmento acima, o redator omitiu duas vírgulas importantes. O nome Fidel Castro é aposto explicativo da expressão "presidente cubano".

Dizemos que o aposto é explicativo quando ele contém uma informação indiscutível (o presidente cubano não pode ser outra pessoa que não Fidel Castro), que apenas torna mais clara a expressão anterior.
Diferente do aposto explicativo (que requer o uso das vírgulas) é o aposto especificativo (que se liga sem vírgulas à expressão anterior). Este é o que aparece, por exemplo, numa construção como "o presidente Fidel Castro". Agora o nome "Fidel Castro" especifica um entre vários outros presidentes.

Em suma, presidentes há vários (presidente Lula, presidente Bush), mas presidente de Cuba há um só. Havendo um só, o aposto será explicativo e as vírgulas serão necessárias.

A título de observação, o adjetivo "cubano" refere-se a quem nasce em Cuba (é um adjetivo pátrio). Na expressão "presidente cubano", não é a origem de Fidel Castro que está sendo informada, mas o cargo que ele ocupa no Estado.

Veja, abaixo, uma sugestão para reformular o texto:

O presidente de Cuba, Fidel Castro, passou a virada do ano em um posto de gasolina em Havana, cantando o hino acompanhado de um grupo de jovens voluntários que receberam a missão de combater a corrupção.



Thaís Nicoleti de Camargo é consultora de língua portuguesa do UOL e autora dos livros "Redação Linha a Linha" (Publifolha) e "Uso da Vírgula" (Manole).

E-mail: thais.nicoleti@uol.com.br


PEGADINHAS
mais pegadinhas
Ditado de Palvras