Publicidade



:
China e Japão, cruzando a fronteira
Entrosada, defesa do Brasil não pode falhar contra o Paraguai, diz Parreira
Lucro da Eletrobrás cai 71% e fica em R$ 323 milhões em 2003
MSN reformula portal para brigar com Google e Yahoo!
'Scooby-Doo 2' lidera bilheterias dos EUA no fim de semana
Índia de Roraima vai à OEA contra governo brasileiro

Índice
Envie esta
notícia por email

As datas mais importantes de Angola desde a independência em 1975
20h29 - 15/03/2002






LUANDA, 15 Mar (AFP) - O Exército angolano e os rebeldes da Unita se comprometeram nesta sexta-feira a acabar com a violência em todo território nacional, durante um encontro realizado em Moxico, no centro do país, revelou a presidência angolana à AFP.

Angola, ex-colônia portuguesa, vive práticamente desde 1975 em estado de guerra civil, apesar da assinatura em 1994 de um acordo de paz que não surtiu grandes efeitos.

Estas são as datas que marcaram a história de Angola desde sua independência:



--1975--

- 11 novembro: Independência de Angola depois de uma guerra de libertação contra os colonizadores portugueses iniciada em 1961.

Desde outubro havia também uma guerra civil entre o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA, pró-soviético), a União Nacional para a Independância Total de Angola (UNITA) e a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA, pró-ocidental).

A África do Sul do apartheid enviou tropas para apoiar a UNITA contra o MPLA, ajudado este último por um contingente cubano.



--1979--

- 20 setembro: José Eduardo dos Santos chega a presidência depois da morte de Agostinho Neto.



--1984--

- 16 fevereiro: Acordo entre Luanda e Pretória para a retirada das forças sul-africanas, que acabará em 1988.



--1988--

- 20 dezembro: Criação da Missão de Verificação das Nações Unidas (UNAVEM).

- 22 dezembro: Acordo em Nova York para a retirada dos 50.000 soldados cubanos (efetivada em 1991) que apóiam o regime.



--1991--

- 26 março: Instauração do multipartidarismo.

- 31 maio: Assinatura de um acordo de paz entre o presidente Dos Santos e o líder da UNITA, Jonas Savimbi, em Bicesse (Portugal), que prevê a convocação de eleições livres.



--1992--

- 26 agosto: Revisão da Constituição: a República Popular de Angola é rebatizada de República de Angola.

- 29-30 setembro: Primeiras eleições gerais democráticas supervisionadas pela ONU, e vencidas pelo MPLA. UNITA contesta os resultados.

Em outubro, reinício da guerra.



--1993--

- Janeiro-março: os combates pela tomada e posse de Huambo (centro) pela UNITA deixam um saldo de 12.000 mortos.

- 19 maio: Os Estados Unidos reconhecem o regime do presidente Dos Santos. Segundo a ONU, 25.000 pessoas morreram em 1993 em Kuito (centro).



--1994--

- 20 novembro: Assinatura dos acordos de paz de Lusaka.



--1995--

- 6 maio: Primeira cúpula Dos Santos/Savimbi em Lusaka desde finais de 1992.

- 18 maio: Savimbi aceita o resultado das eleições de 1992.



--1996--

- 8 maio: Promulgação de uma lei de anistia.



--1997--

- 9 abril: Posse dos deputados da UNITA, eleitos em 1992.

- 11 abril: Primeiro governo de unidade nacional.

- 30 outubro: Sanções da ONU contra a UNITA por não respeitar os acordos de paz.



--1998--

- 11 março: A UNITA é oficialmente reconhecida como partido político.

- 2 setembro: Antigos aliados de Savimbi rompem com ele e formam o Comitê de Renovação. O governo rompe o diálogo com a UNITA de Savimbi e reconhece os dissidents como únicos interlocutores válidos.

- Fimn 1998, reinício da guerra civil em grande escala.



--1999--

- 29 janeiro: Presidente Dos Santos decide assumir plenos poderes.

- 26 fevereiro: A ONU põe fim a Missão de Observação das Nações Unidas em Angola (MONUA).

- 14 setembro: Início de uma importante ofensiva do exército em vários feudos rebeldes no centro do país, sem conseguir acabar com a guerrilha.

Em dezembro, a Namíbia autoriza Angola de intervir em seu território para perseguir a UNITA.



--2000--

- 10 março: Uma comissão de investigação da ONU acusa chefes de estados africanos de envolvimento no tráfico de armas e diamantes com a UNITA, violando assim as sanções da ONU.

- 18 agosto: O presidente Dos Santos reconhece a existência de "focos de resistência" da UNITA. Desde julho acontecem violentos combates, principalmente na província de Moxico (extremo-leste), onde a população isolada passa fome.

- 2 outubro: O MPLA afirma que não se reunem as condições necessárias para a celebração de eleições-gerais em 2001, tal e como exige a oposição civil.

- 30 novembro: O Parlamento aprova a lei de anistia geral que se aplica aos rebeldes da UNITA e a seu líder Jonas Savimbi. A Unita repudia essa lei e mantém sua exigência de negociações diretas com Luanda.

No terreno militar, os ataques contra cidades, povoados, e estradas principais atribuidos aos rebeldes se multiplicam. O exército faz ofensivas cotnra a guerrilha em praticamente todas as províncias.



--2001--

- 3 junho: Jonas Savimbi reconhece a derrota de seu movimento na guerra que libera contra o regime de Luanda.

- 10 agosto: Um ataque contra um trem de passageiros na província de Cuanza Sul (norte), reivindicado pelos rebeldes da UNITA, causou 259 mortos e 412 desaparecidos.

-28 setembro: Angola vive uma situação de "catástrofe humanitária", segundo a organização humanitária britânica Oxfam.



--2002--

- 22 fevereiro: O líder da UNITA, Jonas Savimbi, morre durante um choque entre o exército angolano e uma coluna de seu movimento rebelde na província de Moxico (centro-oeste).

- 12 de março: O Exército confirma a morte do general Antonio Dembo, sucessor potencial de Savimbi.

- 13 de março: O governo ordena ao Exército que suspenda a ofensiva contra a UNITA, dentro de um plano de reconciliação, e manifesta sua disposição de decretar uma anistia em favor dos insurgentes.



Índice
LEIA SÓ
NOTÍCIAS DE:
Folha Online
UOL News
UOL Esporte
UOL Economia
UOL Tablóide
Mundo Digital
Veja Online
Vestibuol
UOL Diversão e Arte
UOL Música
Exame
BBC
The New York Times
Cox News Service
El País
Financial Times
Le Monde
Hearst Newspapers
The Boston Globe
TNYT News Service
USA Today
Consultor Jurídico
AFP Internacionais
AFP Negócios
AFP Esporte
AFP Diversão
Reuters Geral
Reuters Negócios
Reuters Esporte
Reuters Diversão
Lusa
UOL Rádios e TVs
UOL Corpo e Saúde
Notícias sobre o UOL
Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 2001 Agence France-Presse. Todas as informações
reproduzidas são protegidas por direitos de propriedade intelectual detidos pela AFP. Por conseguinte, nenhuma
destas informações pode ser reproduzida, modificada, armazenada, redifundida, traduzida, explorada comercialmente
ou reutilizada sem o consentimento prévio por escrito da AFP.