65 pessoas foram executadas no Iraque em 2012

Do UOL, em São Paulo

Nos primeiros 40 dias de 2012, 65 pessoas foram executadas no Iraque, segundo um relatório da organização de direitos humanos Human Rights Watch (HRW). Na última quarta-feira, 14 pessoas - criminosos condenados - foram executadas no país.

Joe Stork, chefe da organização no Oriente Médio, disse que as autoridades iraquianas parecem ter dado "sinal verde para as execuções".

Segundo a HRW, os julgamentos que vêm ocorrendo no país estão violando os padrões internacionais. Muitos réus não têm direito a questionar as evidências contra eles e a maioria é coagida a confessar.

"O governo precisa declarar imediatamente uma morátoria imediata sobre todas as execuções e começar uma revisão de seu sistema judicial falho", disse Stork, que por meio da organização pediu o fim da pena de morte no país.

No mês passado, a Alta Comissária dos direitos humanos das Nações Unidas, Navi Pillay, já havia manifestado preocupação com a aplicação frequente da pena de morte no país.

"Mesmo se for constatado que todos os julgamentos foram honestos, este seria um número de execuções inaceitável para um mesmo dia", declarou ela se referindo ao dia em que 34 pessoas foram executadas no Iraque, em janeiro.

No Iraque, a pena de morte é aplicada a 50 crimes, entre eles terrorismo, sequestro e homicídios, mas também vem sendo usado para condenar ofensas e a depredação do bem público. De acordo com a ONU, mais de 1.200 pessoas foram condenadas à morte no Iraque desde 2004.

As informações são do jornal britânico "The Guardian" e da Associated Press.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos