08h09 12/08/2008

Hiran, o gigante, quer voltar ao Sul como professor de goleiros

Ex-jogador do Inter teve que encerrar carreira cedo, mora no Espírito Santo, mas já fez estágio no Beira-Rio e sonha com o retorno

Nico Noronha, do Pelé.Net

Hiran quer voltar para o Rio Grande do Sul. O gigante de 1,99m e pouco mais de 100kg, dono da camisa nº 1 do Internacional nos anos 2000 e 2001, diz que viveu alguns dos melhores anos de sua vida no Beira-Rio e há dois meses chegou a fazer um estágio no estádio colorado, pois decidiu investir na carreira de treinador de goleiros.

Curiosamente, Hiran fez esse estágio convivendo com Clemer, que tem 39 anos, três a mais que ele, só que esse ainda em atividade no Inter. Já ele, devido a um acidente de carro, teve de encerrar a carreira aos 32. "Não deu mais, fiquei dois anos me recuperando, quebrei a bacia, quase morri..."

Hiran Spagnol, após três anos na Ponte Preta, havia aceitado proposta e iria ao Distrito Federal assinar contrato com o Brasiliense. "O acidente ocorreu quando me dirigia para o aeroporto", lembra o goleiro, que num período de crise técnica dos jogadores de linha do Internacional, constituiu-se no ídolo da torcida e até assumiu a braçadeira de capitão por alguns momentos. Ganhou inclusive fã-clube, devido à eficiência e ao carisma.

Aquele acidente que interrompeu prematuramente sua carreira não foi o único. Em 1999 ficara praticamente toda a temporada afastado do trabalho em conseqüência de outro acidente. A carreira foi mesmo problemática, tanto que também no Internacional viveu períodos com dores no nervo ciático e chegou a fazer uma cirurgia na coluna. Parecia perseguido pelo destino.

Mas nunca reclamou disso e manteve sempre o bom humor. Também nunca foi pessoa das mais modestas e diz que foi na verdade um fenômeno. "Sou o único goleiro que marcou dois gols de cabeça na carreira", conta, gargalhando. Um deles foi pelo Guarani de Campinas, em 1996, o outro pelo Santo André, em 1999. No Inter, bem que tentou ampliar essa marca, mas não conseguiu.

Hoje, enquanto espera que seu sonho de voltar ao Sul se concretize, o goleirão é assistente no Rio Branco, em Vitória (ES) e mora com a esposa e os filhos Paola (12 anos) e Hiran (9), na praia de Manguinhos. O treinador de goleiros do Inter, Ilo Roxo, que o ajudou no período de estágio no Beira-Rio, diz que ele leva jeito para a nova carreira.

"Avisa aí que quero voltar, gosto dessa terra, pode ser para trabalhar no Interior, lá pela serra", avisou pelo telefone, na entrevista ao Pelé.Net.



  Fui um fenômeno, o único goleiro que fez dois gols de cabeça na carreira
Hiran, ex-goleiro do Inter, que teve carreira interrompida cedo devido a um acidente de carro
Hiran Spagnol

29/10/1971

Linhares-ES

Times
- Linhares - 1993
- Guarani - 1994 a 1998
- Atlético-MG - 1998 e 1999
- Santo André - 1999 e 2000
- Remo - 2000
- Inter - 2000 e 2001
- Ponte Preta - 2002 a 2004
Títulos
- Capixaba - Linhares, 1993





© Copyright Zipsports Ltda. Todos os direitos reservados

Shopping UOL