Aumento no Bolsa Família encobre "más notícias" do governo, diz líder do PSDB

Camila Campanerut
Do UOL Notícias
Em Brasília

O líder do PSDB na Câmara dos Deputados, Duarte Nogueira (SP), criticou na noite desta terça-feira (1º) o anúncio do aumento no programa Bolsa Família logo depois dos cortes no Orçamento e do reajuste do salário mínimo, mantido em R$ 545. 

“Apoiamos o aumento do Bolsa família, acho importante para o país, mas não acho justo ele ser apenas como desvio e  pano de fundo, depois de tantas más notícias para a sociedade brasileira”, afirmou.

A presidente Dilma Rousseff anunciou, na cidade de Irecê (BA), um reajuste de 45% no Bolsa Família, ressaltando que este percentual contemplará apenas famílias com filhos menores, na faixa de zero a 15 anos, matriculadas na rede pública.As outras parcelas da população que recebem o benefício terão seus valores aumentados, em média, em 19,4%. O reajuste significará um aporte estimado em R$ 2,1 bilhões.

"A gente não fez política com o Bolsa Família em ano de eleição", afirma Dilma

 “Me parece estranho o aumento de 19,4% depois que o governo cobra austeridade, impondo um arrocho salarial através de um salário mínimo que não teve aumento algum”, disse Nogueira. 

O tucano prevê que a "próxima má notícia" é o aumento da taxa básica de juros, a Selic, na reunião do Copom (Comitê de Política Monetária), que acontece nesta semana.

Já o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), argumenta que a medida do governo, além de ser uma ação social, gera repercussão positiva na economia do país.

“Nós temos que governar para o Brasil inteiro, não só para os que ganham salário mínimo ou para aqueles que ganham 50 salários mínimos, ou aqueles que ganham 80 salários mínimos”, afirmou.

 

Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos