Primeiros depoimentos da CPI do Cachoeira serão sigilosos, decidem parlamentares

Maurício Savarese
Do UOL, em Brasília

Os membros da CPI mista (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) que investigam as relações do bicheiro Carlinhos Cachoeira com políticos e empresários ouvirão em sigilo, nesta terça-feira (8), o delegado da Polícia Federal Alexandre Marques de Souza, responsável pelas investigações da Operação Vegas. A decisão, tomada mais cedo pela maioria em reunião, foi referendada por 17 votos a 11 mais tarde.

O mesmo se repetirá quando falar o delegado responsável pela Operação Monte Carlo, Matheus Mella Rodrigues, na próxima quinta-feira (10). A informação é do gabinete do presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Em outra sessão falarão à CPI, também em sigilo, os procuradores da República Daniel de Rezende Salgado e Lea Batista de Oliveira, que acompanham a operação pelo Ministério Público Federal.

De acordo com membros da comissão, os depoimentos sigilosos inviabilizam os holofotes para parlamentares que possam estar mais interessados na audiência de televisão do que em extrair informações importantes. Além disso, informações da operação Vegas ainda não divulgadas permaneceriam seguras. O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) discordou: "Tudo que for aqui falado vai vazar".

Os próprios delegados já haviam sinalizado à CPI que prefeririam ser ouvidos em uma sessão sigilosa, mas não enviaram um pedido formal. "Se transformássemos essa sessão em algo público poderá não haver nenhum efeito", disse o deputado Paulo Teixeira (PT-SP). A sugestão da reunião secreta foi feita pela senadora Kátia Abreu (PSD-TO) e pelo deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF).

Os parlamentares que integram a comissão já têm acesso ao inquérito em uma sala monitorada por câmeras de segurança. De acordo com a secretaria da CPI, os mais de 170 requerimentos apresentados pelos integrantes da comissão só serão votados no dia 17 de maio, dois dias depois do depoimento de Carlinhos Cachoeira, que foi agendado para o dia 15.

Bom humor

Apesar de um bate-boca inicial para evitar que a sessão fosse secreta desde o início com a votação do pedido para escutar os delegados e os procuradores, o clima entre os parlamentares foi de bom humor. Depois de o deputado Silvio Costa (PTB-PE) concordar com a sugestão de uma reunião pública para ouvir os organizadores das operações, Miro elogiou: "Pela primeira vez numa CPI você acertou! Tem vodca nesse seu copo aí?"

Os parlamentares também se divertiram com a demora do presidente da comissão para contar os votos no requerimento. Os únicos irritados foram a senadora Abreu e o deputado Ônyx Lorenzoni (DEM-RS), que teriam sugerido a sessão secreta para ouvir os delegados e procuradores, mas na hora da votação acabaram acompanhando o pedido por uma sessão aberta.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos