Bill Gates pede vacina para acabar com a Aids e diz que não há dinheiro o suficiente para tratar todos os infectados

Da Agência de Notícias da Aids

  • AP/Carolyn Kaster

    23.jul.2012 - Bill Gates, um dos palestrantes da 19ª Conferência Internacional de Aids

    23.jul.2012 - Bill Gates, um dos palestrantes da 19ª Conferência Internacional de Aids

“A proliferação da Aids não pode ser evitada apenas com o tratamento isoladamente, e mais ferramentas de prevenção, especificamente uma vacina, são necessárias para avançarmos seriamente rumo ao fim da pandemia”, declarou o filantropo Bill Gates.

Ao mesmo tempo que o magnata da Microsoft elogiou os esforços para ampliar o acesso universal aos antirretrovirais, ele observou que é preciso mais para erradicar a doença mortal.

“Ninguém deveria achar que já temos os meios. Nós teremos os meios apenas se mantivermos em curso os investimentos científicos”, ressaltou Gates durante a Conferência Internacional de Aids.

A Fundação Bill e Melinda Gates investiu mais de US$ 2,5 bilhões em subsídios a organizações que trabalham com o HIV ao redor do mundo e também doou mais de US$ 1,4 bilhões ao Fundo Global de Luta contra a Aids, Tuberculose e Malária.

Gates falou na Conferência, a maior do mundo no gênero, como parte de um painel sobre como melhorar a eficiência do financiamento do combate à pandemia que já completou três décadas e já matou mais de 30 milhões de pessoas.

Ele falou que a pesquisa em direção a uma vacina é “muito excitante” mas enfatizou que mesmo se uma vacina fosse introduzida hoje, levaria muito tempo antes que os efeitos pudessem ser notados em uma população mais numerosa.

“Se você colocar uma vacina em uso em dez anos, o número de pessoas que você precisa colocar em tratamento vai ser reduzida somente em 18 anos”, frisou. “Infelizmente, há uma lacuna de tempo inacreditável que vem disso”.

Mais de oito milhões de pessoas em países de média e baixa renda estavam em tratamento antirretroviral em 2011, segundo dados do relatório do Unaids divulgado na semana passada, o que significa apenas metade das pessoas que precisam dele em todo o mundo.

Mas Gates advertiu que não há quantidade de financiamentos suficiente que possa levantar dinheiro para o tratamento de todos os infectados. “O mundo decidirá o quanto essas vidas são importantes. E nós vivemos neste exato momento um período inacreditável de incertezas”, lamentou. “Apenas a incerteza isolada cria uma certa instabilidade”.
 

Leia mais na Agência de Notícias da Aids

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos