Últimas notícias

31/08/2005 20h01

Seres humanos e chimpanzés têm 96% do DNA em comum, diz estudo



Madri, 31 ago (EFE).- Um estudo publicado na revista Nature revelou que 96% do genoma humano é igual ao dos chimpanzés, na primeira comparação exaustiva dessas seqüências de DNA.

A pesquisa foi dirigida por membros do Instituto Nacional de Saúde (NIH) e do Instituto de Pesquisas sobre o Genoma Humano (NHGRI), ambos americanos.

A Nature publicou cinco trabalhos sobre esta comparação, que se baseia em outros quatro do Projeto Genoma sobre a evolução e a variação do genoma dos primatas.

A comparação do genoma do ser humano com o dos seus "parentes mais próximos na evolução" é uma "poderosa ferramenta" para os autores desta descoberta "histórica", ansiosos para descobrir as chaves biológicas que diferenciam os homens das outras espécies, explicou na Nature o diretor do NHGRI, Francis S. Collins.

A equipe do diretor constatou as "grandes semelhanças" entre os chimpanzés e os seres humanos, 10 vezes mais parecidos que os ratos e as ratazanas e 70 vezes mais que os ratos e os próprios humanos.

O estudo usou a seqüência de DNA de um chimpanzé de 24 anos, "Clint", e os cientistas descobriram que ele compartilha 29% de suas proteínas com o homem.

Apesar das muitas semelhanças, há "grandes diferenças genéticas" como conseqüência da duplicação, um processo pelo qual diversos segmentos do código genético são copiados.

Para chegar a esta conclusão, foram estudadas 20 mil bases do DNA dos chimpanzés, comprovando que 2,7% das diferenças existentes entre os dois genomas se deve à duplicação genética e às alterações provocadas por este processo.

As outras diferenças que separam o homem do chimpanzé são resultado de outros eventos ao longo da evolução.

O estudo dos fragmentos duplicados só nos humanos revelou que algumas dessas partes do genoma estão envolvidas em doenças como a atrofia muscular espinhal ou a síndrome de Prader-Willi que, no entanto, não são encontradas no chimpanzé, porque o primata só tem elementos simples nessas áreas.

Além disso, aconteceram várias mutações em ambos os genomas durante a evolução que, segundo Collins e seus colegas, são maiores do que as ocorridas nos genomas de espécies como ratos, ratazanas e outros roedores.

Alguns genes que se desenvolvem mais rapidamente em humanos do que em chimpanzés tiveram mudanças "muito drásticas" no homem.

Outros genes que participam dos processos de inflamação também não são encontrados no genoma do chimpanzé, mas sim no humano, o que explica as diferentes respostas inflamatórias entres as duas espécies.

Por outro lado, funções como a desempenhada pelo gene caspase-12, responsável pela produção da enzima que protege os animais da doença do Alzheimer, foram perdidas no ser humano.

No futuro, os pesquisadores analisarão as causas de características específicas humanas, como a habilidade para andar em pé, elaborar linguagens complexas e o fato de ter um cérebro superior.

Leia também:
  • Saiba mais sobre o chimpanzé em UOL Bichos
  • Pesquisa anterior fala de semelhança ainda maior









  •  30/10/2006

    13h29 - Trigêmeos nascem com exatamente o mesmo peso e altura na China

     15/10/2006

    10h30 - Empresas se pintam de vermelho para lutar contra a aids

    08h54 - Alemães com câncer que não fizeram exames preventivos pagam mais

    03h36 - Estudo diz que 461 doenças podem ser tratadas pela acupuntura

     13/10/2006

    13h15 - OMS: Surto de pneumonia atinge República Democrática do Congo

     08/10/2006

    16h13 - Governo londrino apóia tratamento contra calvície

     07/10/2006

    15h22 - Estudo vincula pressão alta a distúrbios do sono em crianças

     04/10/2006

    16h21 - Vacina contra a gripe de origem aviária é testada com sucesso