UOL Notícias Notícias
 
09/05/2011 - 20h25

Bolívia em alerta, mas despreparada para terremoto de grande magnitude

LA PAZ, 9 Mai 2011 (AFP) -A Bolívia não está preparada para enfrentar o possível terremoto de até 8,9 graus de magnitude previsto por especialistas na Europa, de acordo com cientistas locais ouvidos pela AFP. A previsão tem causado medo entre os bolivianos.

"Definitivamente, hoje não estamos preparados para um tremor desta magnitude", afirma a diretora do Observatório de San Calixto, María Estela Minaya, consultada sobre o relatório recente da revista científica britânica Nature, que alertou para o possível terremoto.

O especialista americano Michael Bevis concentra a atenção no Chaco boliviano, principalmente nas fronteiras com Paraguai e Argentina, onde se encontra a falha de Mandeyapecua.

A pior devastação aconteceu em 22 de maio de 1998, quando foi registrado um abalo de 6,5 graus na escala Richter no centro da Bolívia, nas cidades rurais de Aiquile, Mizque e Totora. Morreram 80 pessoas devido aos desabamentos das casas de construção precária.

Dois milhões de bolivianos estariam expostos ao perigo do terremoto de magnitude de 8,9 graus. Um abalo 125 vezes mais forte do que apontavam as estimativas anteriores, segundo o estudo publicado domingo.

A descoberta, divulgada na revista Nature, foi recebida com surpresa até mesmo para os próprios pesquisadores.

"Ninguém suspeitava que as estimativas anteriores subestimassem o terremoto", destaca Benjamin Brooks, geofísico da Universidade do Havaí em Manoa e principal autor do estudo.

Segundo os cálculos feitos até agora, a magnitude de um terremoto no leste da região dos Andes centrais não excederia os 7,5 graus.

Entretanto, uma análise mais cuidadosa dos cálculos com GPS (sigla em inglês para Sistema de Posicionamento Global) feitos no lado leste da montanha, sugeriu que as tensões subterrâneas que se acumularam ao longo de séculos poderiam causar um terremoto de magnitude entre 8,7 e 8,9 graus na escala Richter.

Estes cálculos mostram que a zona situada no oeste da falha de Mandeyapecua, no sentido norte-sul, teria se movimentado muito mais do que no lado leste. Segundo os pesquisadores, uma seção relativamente rasa da falha está bloqueada a 100 km e é ali que as tensões se concentram, provocadas pela confluência das placas tectônicas sob a região.

A separação de toda esta seção, durante um tremor, poderia culminar num terremoto de magnitude de 8,9 graus, como estima Brooks.

No entanto, é impossível saber quando vai ocorrer ou se vai ocorrer algum dia. Uma série de terremotos menos potentes podem aliviar as tensões sem causar um grande tremor.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h59

    -0,18
    2,224
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h16

    -0,22
    57.695,72
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host