Oposição síria quer reunião da ONU após ataques a Hama

BEIRUTE, 26 Abr 2012 (AFP) -O Conselho Nacional Sírio (CNS), principal coalizão da oposição síria, pediu nesta quinta-feira uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU, depois de vários dias de bombardeios e ataques em Hama, centro do país.

"Pedimos uma reunião de urgência para que se possa adotar uma resolução para proteger os civis do povo sírio", afirma um comunicado do CNS.

"Nós do CNS responsabilizamos a comunidade internacional, representada pela ONU e o Conselho de Segurança, pelo que acontece", completa a nota, que denuncia o "silêncio generalizado".

"Rejeitamos claramente o novo prazo dado pela comunidade internacional ao regime para que continue com as matanças. Asseguramos que o regime não tem respeitado até agora nenhum dos pontos do plano do emissário internacional Kofi Annan", afirma o comunicado.

Segundo o CNS, a cidade de Hama "foi cenário nos últimos dias, e inclusive durante a visita dos observadores internacionais, de uma série de crimes, como a destruição de residências sobre as cabeças de seus habitantes e a morte de mais de 100 civis".

A ONG de oposição Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) informou que quase 40 civis morreram na segunda-feira em Hama, ao mesmo tempo em que dezenas foram feridos em bombardeios das forças oficiais.

A Liga Síria dos Direitos Humanos (LSDH, com sede no Egito) informou que nove manifestantes morreram na segunda-feira em ações das forças do regime após reuniões com observadores da ONU.

Quinze observadores estão na Síria para verificar o cumprimento do cessar-fogo, que entrou oficialmente em vigor em 12 de abril. Dois observadores seguiram para Homs, dois para Hamas e os demais permaneceram em Damasco.


Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos