EUA pede investigação 'rápida' e sem obstáculos' sobre queda de avião

WASHINGTON, 18 Jul 2014 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta quinta-feira uma investigação "rápida" e "sem obstáculos" sobre a queda do avião da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia, que matou as 298 pessoas a bordo.

Em um telefonema ao primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, o líder americano disse que "os Estados Unidos estão dispostos a contribuir com assistência imediata para que haja uma investigação internacional rápida, completa, crível e sem obstáculos", informou a Casa Branca.

O voo MH17 entre Amsterdã e Kuala Lumpur transportava 154 holandeses, 27 australianos, 23 malaios, 11 indonésios, 6 britânicos, 4 alemães, 4 belgas, 3 filipinos e um canadense. Outros 50 passageiros não tiveram sua identidade confirmada.

O Boeing 777 da Malaysian Airlines caiu às 14h15 GMT (11h45 de Brasília), cerca de quatro horas depois da decolagem e a 50 quilômetros da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia, em uma área controlada pelos rebeldes separatistas.

Um oficial dos Estados Unidos, que pediu para não ser identificado, disse que um míssil terra-ar derrubou o avião, mas não pôde precisar se o disparo partiu dos separatistas pró-Moscou na Ucrânia, de tropas russas na fronteira ou de forças do governo ucraniano.


Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos