Artista britânica usa papel e costura para recriar objetos do cotidiano


Papel como tecido

A artista britânica Jennifer Collier usa papéis como se fossem tecidos, para recriar objetos do cotidiano com riqueza de detalhes.

Collier costura, usa cera e outras técnicas de colagem em diversos tipos de papel para reconstruir cada uma das diferentes partes dos objetos.

Ela afirma que papéis e livros eram sua maior inspiração artística, até que decidiu torná-los também a principal matéria-prima de seu trabalho, para dar "uma nova vida" ao papel, mostrando sua beleza e história.

"Não há nada que eu goste mais do que encontrar um livro de receitas com manchas de comida ou uma capa danificada pela água, que eu possa guardar e transformar em algo bonito", disse ela à BBC Brasil.

Entre os objetos, estão uma série de câmeras fotográficas, vestidos infantis, sapatos infantis e adultos e utensílios do dia-a-dia, como xícaras, binóculos, telefones, máquinas de costura e de escrever.

"Todos eles levam tempos diferentes para serem feitos. Alguns são bem rápidos, como os vestidos e binóculos, mas alguns são um verdadeiro trabalho de amor, como a máquina de costura e as máquinas de escrever - tento ter precisão e atenção aos detalhes em cada botão e maçaneta", afirma.

A artista diz ainda que a narrativa dos livros e papéis, encontrados em mercados de pulgas e lojas de caridade, sugere os objetos que irá construir.

"A maior parte do tempo é gasta 'brincando' com os papéis, para saber como melhor manipulá-los. Todas as técnicas que eu uso em meu trabalho hoje são coisas que aprendi sozinha desde a graduação, experimentando com diferentes mídias e técnicas."

Segundo Collier, mais da metade de seu trabalho nunca vê a luz do dia. "Mas através da outra parte (que é exposta) eu descobri algo realmente único", diz.



Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos