Projeto de cinema itinerante na periferia de Teresina recebe prêmio nacional


Tudo começou com uma televisão de 14 polegadas, levada para o meio da rua para exibir filmes em comunidades da periferia de Teresina, no Piauí.

"Eu tinha uma vontade muito grande de tirar o cinema do centro e levar para as comunidades, onde as pessoas não têm dinheiro para pagar nem a entrada nem o transporte", diz Francisco Júnior, coordenador da ONG Movimento pela Paz na Periferia (MP3).

Primeiro, Júnior conseguiu alugar uma van com ajuda de católicos, depois de espíritas, até que enfim conseguiu juntar dinheiro para comprar a Kombi que é a marca registrada da ação que idealizou: o "Cineperiferia", um cinema itinerante que exibe filmes ao ar livre nos subúrbios e áreas rurais nos arredores da capital piauiense.

O projeto foi eleito na última terça-feira, no Rio de Janeiro, como uma das três melhores ações sociais no Brasil pelo Prêmio Anu. Criado pela Central Única das Favelas (Cufa), o prêmio consagra ações desenvolvidas em favelas e comunidades carentes de todo o País.

Lazer gratuito

O Cineperiferia foi fundado oficialmente em 2004, e segue crescendo. Hoje, pega a estrada seis noites por semana.

As sessões são sempre de graça e proporcionam um momento coletivo de lazer e entretenimento para comunidades onde há pouca ou nenhuma oferta cultural, segundo Júnior.

Mas o projeto também tem outro objetivo: afastar jovens da violência de gangues ou do envolvimento com drogas que, de acordo com ele, vem crescendo na periferia piauiense.

"A gente entra levando a imagem e isso nos dá a possibilidade de ver as pessoas, sentir quais são os problemas, do que elas estão precisando", disse Júnior à BBC Brasil.

A partir do cinema, ele conta que conseguiu atrair muitos jovens envolvidos com o crime para a MP3. Na sede da ONG, em Teresina, eles fazem cursos de capacitação e recebem ajuda para buscar empregos.

O coordenador da ONG esteve no Rio para a premiação da Cufa. O Cineperiferia já havia sido eleito o melhor projeto do Piauí e concorria com os vencedores de todos os outros Estados brasileiros pelo Anu Preto, que caberia aos três melhores projetos.

A iniciativa piauiense foi escolhida ao lado de uma de Santa Catarina (Cozinhas Comunitárias) e outra do Rio (Voz da Comunidade).

Agora, o objetivo de Júnior é aumentar o número de equipes e veículos para levar o cinema a quatro lugares a cada noite.

"O cinema é o melhor projeto que temos (na ONG), porque ele tem vida. As pessoas brigam com a gente quando a gente demora a ir às comunidades, mas nós não temos condições (de ir com mais frequência)", diz.

A Kombi é conhecida pelos moradores. A cada noite, chega anunciando o filme e o local da sessão nos alto-falantes, para depois parar em uma praça ou região central onde o cinema - sempre ao ar livre - é montado. Um telão é fixado na lateral do veículo para a projeção.

Em seguida, os moradores vão chegando, alguns trazendo suas próprias cadeiras e bancos, para esperar o filme começar.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos