Partido de Merkel enfrenta teste nas urnas em Estado alemão

O partido da chanceler alemã Angela Merkel enfrentará um duro teste nas urnas neste domingo na Renânia do Norte-Vestfália, que é considerado um dos Estados mais importantes no cenário político alemão.

Pesquisas de opinião sugerem que os sociais democratas do SPD conseguirão se reeleger, impondo uma derrota aos cristãos democratas do CDU, o partido de Merkel.

Alguns analistas acreditam que uma possível derrota seria um sinal de rejeição na Alemanha às políticas de disciplina fiscal impostas por Merkel. A chanceler alemã é considerada a principal defensora das medidas de austeridade de gastos em toda a Europa, e as eleições estaduais estariam colocando sua popularidade à prova.

A mensagem dada nas urnas na Renânia do Norte-Vestfália pode ser semelhante a de eleitores na França e na Grécia, que na semana passada rejeitaram políticos que defendem a austeridade fiscal.

Fraqueza

Recentemente, o partido de Merkel e o FDP, sigla que integra a coalizão que governa a Alemanha, foram derrotados em eleições no Estado de Schleswig-Holstein. O resultado foi o pior do CDU em 50 anos naquela região.

Agora o CDU tenta se aproveitar de um momento de fraqueza dos seus rivais em outra eleição estadual. A Renânia do Norte-Vestfália é o Estado mais populoso da Alemanha, e possui um forte peso no PIB nacional. Historicamente, a política no Estado sempre teve influência no cenário nacional.

As eleições foram convocadas em março, depois que a coalizão de governo formada pelo SPD e pelo Partido Verde quase fracassou na tentativa de aprovar o orçamento estadual.

Apesar disso, a candidata do SPD, Hannelore Kraft, deve vencer com facilidade seu rival do CDU, Norbert Roettgen, que é ministro do Meio Ambiente no governo Merkel.

Kraft enfatizou que quer fortalecer comunidades locais que estão em dívida, ao investir em educação e estímulo a empresários. Já Roettgen acusa o SPD de ser fiscalmente irresponsável. Durante a campanha, ele promoveu passeatas com uma "montanha inflável", que representava a dívida enorme do Estado.

O candidato da CDU também gerou polêmica durante a campanha ao dizer que não viraria líder da oposição no Estado caso perdesse as eleições. Roettgen não quer abrir mão de seu emprego em Berlim, no governo de Merkel.

A chanceler disse que os eleitores da Renânia do Norte-Vesfália têm a oportunidade de tentar colocar no poder um partido que não vai aumentar a dívida pública do Estado.

Analistas também estão de olho no desempenho do Partido Pirata, uma agremiação política que pede maior transparência e liberdade na internet. O movimento tem ganhado força recentemente na Alemanha.

O resultado das eleições de domingo não devem alterar o equilíbrio de poder em nível nacional, mas podem sinalizar o começo de uma mudança na política alemã. No final de 2013, o país deve passar por eleições nacionais.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos