UOL Notícias Notícias
 
04/06/2011 - 22h03

Erupção vulcânica alarma Chile e cinzas chegam à Argentina

Santiago do Chile, 4 jun (EFE).- O complexo vulcânico Puyehue-Cordón Caulle entrou em erupção neste sábado no sul do Chile e forçou as autoridades a evacuarem cerca de 3,5 mil pessoas nos arredores, enquanto a coluna de fumaça já atinge dez quilômetros de altura e as cinzas começaram a chegar à Argentina.

Embora as primeiras informações indicassem que a erupção tinha ocorrido no vulcão Puyehue, fontes do Escritório Nacional de Emergência (Onemi) assinalaram à Agência Efe que acreditam que a nuvem emerge de uma fratura próxima, localizada também no complexo Puyehue-Cordón Caulle.

Esse complexo vulcânico está situado no lado chileno da Cordilheira dos Andes, cerca de 950 quilômetros ao sul de Santiago. No fim de abril, ele começou a registrar atividade vulcânica, que se intensificou nas últimas horas.

Na manhã deste sábado, detectou-se uma média de 230 sismos por hora, o que levou o Governo chileno a decretar alerta vermelha e a determinar a evacuação de aproximadamente 600 pessoas diante do risco de erupção.

Apenas três horas depois desse anúncio, as autoridades informaram sobre uma explosão, que provocou uma coluna de gases de aproximadamente dez quilômetros de altura e de cinco quilômetros de extensão.

Por isso, o ministro do Interior, Rodrigo Hinzpeter, ordenou ampliar a área de evacuação, levando 3,5 mil pessoas a deixar suas casas em áreas próximas ao vulcão, nas regiões de Los Ríos e Los Lagos.

Hinzpeter exerce esses dias o cargo de vice-presidente da República porque o líder, Sebastián Piñera, se encontra de viagem à Europa, mas seu retorno ao país está previsto para a manhã deste domingo.

Já o ministro de Energia e Mineração, Laurence Golborne, afirmou que "o nível de alerta vulcânico muda de nível 5 para nível 6, vermelho", o que significa que se trata de "uma erupção moderada".

O complexo vulcânico se estende ao longo de 15 quilômetros entre as duas regiões meridionais, em uma área de pouca densidade demográfica, e um de suas principais crateras é o Puyehue, de 2.240 metros de altitude, cuja última erupção data de 1960.

A emergência deste sábado obrigou também o fechamento da estrada fronteiriça Cardenal Samoré para permitir a evacuação dos trabalhadores. Aqueles que quiserem atravessar a fronteira rumo à Argentina poderão utilizar a estrada de Pino Hachado, situada mais ao norte.

Segundo o Serviço Nacional de Geologia e Mineração (Sernageomin), há informações de que caíram cinzas em uma zona chamada Fundo Caulle, embora o vento esteja impulsionando essa nuvem em direção ao leste e sudeste, rumo ao território argentino.

A cidade argentina de Bariloche, cerca de 1,6 mil quilômetros ao sudoeste de Buenos Aires, foi até agora a mais afetada pela nuvem de fumaça e cinzas, que forçou o fechamento do aeroporto local devido à pouca visibilidade na região.

O corpo de bombeiros da cidade, que é um dos destinos turísticos mais belos e importantes do país, recomendou a emissão do alerta vermelho para a região, enquanto o prefeito, Marcelo Cascón, convocou as forças armadas e a defesa civil para um comitê de emergência.

A Prefeitura pediu calma à população e recomendou cuidar da água e permanecer dentro das casas porque a chuva de cinzas pode se prolongar por algum tempo. Também se recomendou, em caso de necessidade, o uso de máscaras para proteger o rosto.

No Chile, o Exército mobilizou vários caminhões para evacuar a população afetada e, por enquanto, a operação está se desenvolvendo com normalidade, sem que se tenham registrado situações de emergência, segundo indicou o Escritório Nacional de Emergência.

O Onemi enviou à região de Los Ríos três caminhões com colchonetes, cobertores e geradores elétricos e habilitou dois abrigos, um na região de Los Lagos, com capacidade para 150 pessoas, e outro em Los Ríos, para 400.

O intendente de Los Ríos, Juan Andrés Varas, destacou à rádio "Cooperativa" que, nas localidades próximas, há um forte "cheiro de enxofre e cinzas" e que, dali, se percebe "um foco de incêndio e uma coluna de fumaça".

Segundo dados do Sernageomin, há mais de 2 mil vulcões no Chile, dos quais cerca de 125 são considerados geologicamente ativos e cerca de 60 tiveram algum tipo de atividade eruptiva histórica nos últimos 450 anos.

Até agora, o episódio mais relevante ocorrido nos últimos anos tinha sido a erupção, em maio de 2008, do vulcão Chaitén, que obrigou a evacuar os mais de 6 mil habitantes da cidade homônima, também na região de Los Lagos, que ficou praticamente devastada.

Além disso, o vulcão Llaima, situado na região da Araucanía, cerca de 600 quilômetros ao sul do Chile, e considerado um dos mais ativos da América do Sul, entrou em erupção no dia 1º de janeiro de 2008 e, durante um ano e meio, lançou material incandescente de forma esporádica.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h59

    0,26
    2,245
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h18

    -0,24
    61.141,27
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host