UOL Notícias Notícias
 
22/07/2011 - 06h34

Goran Hadzic pode ser extraditado ao Tribunal de Haia ainda nesta sexta-feira

Belgrado, 22 jul (EFE).- O suposto criminoso de guerra Goran Hadzic, capturado na quarta-feira na Sérvia, pode ser extraditado nesta sexta ao Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), em Haia.

Hadzic não recorreu da decisão das autoridades sérvias de extraditá-lo e expira hoje o prazo para uma eventual mudança de opinião, pelo que se considera que sua extradição pode produzir-se em questão de horas.

O último requisito pendente é a assinatura da ministra da Justiça, Snezana Malovic, no documento de extradição.

No entanto, por motivos de segurança, as autoridades sérvias se negaram a precisar a data exata da extradição de Hadzic e outros detalhes da operação.

O antigo líder dos sérvios da Croácia foi detido na quarta-feira na localidade de Krusedol, no monte Fruska Gora, cerca de 80 quilômetros de Belgrado. No momento da captura, Hadzic se reunia com um "contato" para, segundo se acredita, recolher o dinheiro que o ajudaria a continuar se escondendo.

Hadzic era o último acusado pelo TPII que seguia em liberdade, após a detenção, em maio, na Sérvia, do ex-comandante militar sérvio-bósnio Ratko Mladic.

Após a captura, Hadzic foi levado às dependências do departamento especial de crimes de guerra do Tribunal de Belgrado, onde ontem e hoje foi visitado por membros de sua família e seus advogados.

Hadzic deixou hoje a prisão em meio a um forte esquema de segurança para visitar sua mãe, gravemente doente, na cidade de Novi Sad, segundo informou a imprensa sérvia.

Não houve confirmação oficial dessa visita nem se o acusado voltará ao Tribunal de Belgrado ou se será levado diretamente ao aeroporto da capital sérvia para ser transferido a Haia.

Entre 1992 e 1993, Hadzic foi o presidente da rebelde República Sérvia de Krajina, um território da Croácia povoado por sérvios que se declararam independentes depois que os croatas proclamaram sua separação da ex-Iugoslávia em 1991.

Hadzic é acusado de crimes de guerra e contra a Humanidade, pela expulsão da população croata de Krajina, assassinatos, perseguições, torturas e tratamento desumano durante a guerra croata (1991-1995).

A plena cooperação da Sérvia com o TPII, que supunha também a captura e extradição de Hadzic, é uma das condições para a aproximação do país balcânico à União Europeia.

A Sérvia aspira obter ainda este ano o status de país candidato à adesão comunitária.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h59

    0,92
    2,394
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h18

    -1,68
    56.818,11
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host