Petroleiro italiano sequestrado em dezembro é libertado

Em Roma

O navio petroleiro italiano Enrico Ievoli, que foi sequestrado por piratas nas proximidades do litoral de Omã no dia 27 de dezembro de 2011, foi libertado nesta segunda-feira (23), informou o Ministério de Relações Exteriores da Itália.

O titular italiano de Relações Exteriores, Giulio Terzi, expressou sua "grande satisfação" pela libertação do navio, um resultado "positivo que foi perseguido com tenacidade, determinação e grande profissionalismo", segundo um comunicado.

O Enrico Ievoli, pertencente à companhia armadora Marnavi Spa, de Nápoles (sul da Itália), conta com uma tripulação formada por 18 pessoas, entre elas seis italianos.

De acordo com Terzi, "o sequestro do Enrico Ievoli confirma, mais uma vez, a gravidade da ameaça à segurança representada pelo fenômeno da pirataria".

Ele reiterou o compromisso da Itália para conseguir uma coordenação cada vez maior nas ações de luta contra este fenômeno por parte da comunidade internacional, tanto de um ponto de vista bilateral como nos principais foros multilaterais.

Em dezembro, o armador Domenico Ievoli explicou que o comandante do navio sequestrado, Agostino Musumeci, conversou com ele por telefone e disse: "os piratas subiram a bordo, mas estamos bem".

Já em março de 2006, um grupo de piratas tentou sequestrar o Enrico Ievoli enquanto ele navegava no litoral de Áden, no Iêmen.

Os piratas, em vários barcos, se aproximaram do petroleiro, mas o comandante deu o alarme e a rápida intervenção da fragata da Marinha Militar italiana Euro, que se encontrava na região, evitou o sequestro. Naquela ocasião, bastou o sobrevoo de um helicóptero da Euro para afastar os piratas.

O sequestro do Enrico Ievoli, no dia 27 de dezembro, aconteceu seis dias após outro petroleiro italiano, o Savina Caylyn, ter sido libertado após o sequestro em fevereiro de 2011, enquanto navegava pelo Oceano Índico com 22 pessoas a bordo.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos