Ex-aluno é indiciado por chacina em faculdade da Califórnia

Laird Harrison
Em Oakland

  • Alameda County Sheriff's/AFP

    Responsável pelo tiroteio em universidade de Oakland foi indiciado nesta quarta-feira

    Responsável pelo tiroteio em universidade de Oakland foi indiciado nesta quarta-feira

Um ex-estudante de enfermagem foi indiciado nesta quarta-feira (4) por ter assassinado sete pessoas e ferido três nesta semana numa pequena faculdade cristã de Oakland, na Califórnia.

O suspeito One Goh, de 43 anos, compareceu ao tribunal vestindo um macacão vermelho, numa rápida audiência em que as acusações foram lidas por um juiz.

Ele é acusado de abrir fogo contra alunos e funcionários da Universidade Oikos, na segunda-feira, no pior incidente com armas em um campus universitário norte-americano desde o massacre de 2007 na Universidade Virignia Tech, onde um aluno matou 32 pessoas e feriu 25 antes de cometer suicídio.

Após o incidente de segunda-feira, Goh disse a investigadores que foi à faculdade com uma pistola .45 e quatro cartuchos de munição, segundo uma "declaração de causa possível" anexada pela polícia ao processo.

O documento diz que Goh admitiu ter coagido uma mulher a ir de sua sala na faculdade até uma sala de aula, e que lá ele baleou várias pessoas antes de pegar as chaves do carro de umas das vítimas e fugir com o veículo.

Goh se rendeu logo depois, entregando-se ao segurança de um supermercado a vários quilômetros do local.

A promotora Nancy O'Malley disse que Goh responderá por sete casos de homicídio doloso qualificado, e três de tentativa de homicídio.

"A enormidade e devastação desses casos não tem precedentes no Condado Alameda", disse ela.

A motivação do massacre não foi esclarecida, mas a polícia disse que Goh tinha problemas com a "gestão da raiva".

Uma nova audiência judicial no caso foi marcada para o dia 30.

Goh permaneceu calado durante a audiência, que durou poucos minutos. Na terça-feira, o chefe da polícia de Oakland, Howard Jordan, disse que o acusado estava colaborando com as autoridades, mas não demonstrava remorso.

Jordan disse que Goh foi à faculdade com a intenção de atacar um administrador escolar e colegas que ele considerava que o haviam tratado injustamente. O administrador que ele procurava não estava no local, mas seis estudantes e uma secretária foram mortos. As três vítimas feridas tiveram alta na terça-feira.

Conhecidos de Goh disseram que ele havia passado por uma fase turbulenta, perdendo a mãe e um irmão em menos de um ano. Prontuários judiciais mostraram que ele se envolveu em uma disputa com proprietários de um apartamento na Virgínia que o despejaram sob a alegação de atrasar o pagamento do aluguel.

titulo-box Shopping UOL

UOL Cursos Online

Todos os cursos