UOL Últimas NotíciasUOL Últimas Notícias
UOL BUSCA


 

30/09/2006 - 10h47
Destroços de avião da Gol indicam queda vertical

BRASÍLIA (Reuters) - O brigadeiro José Carlos Pereira, presidente da Infraero, relatou neste sábado que a visualização aérea dos destroços do Boeing 737-800 da Gol estão concentrados, o que indica queda na posição vertical. Ele evitou, no entanto, avaliar as possibilidades de sobreviventes. O avião transportava 155 pessoas.

"A experiência mostra que quando há destroços concentrados significa que o avião bateu na posicão vertical. Imagina a velocidade que ele chega ao solo, caindo de uma altitude 36 mi pés", afirmou.

Arte/Folha
Veja mapa com local do provável acidente
VEJA FOTOS
TRAJETÓRIA DO VÔO DA GOL
Os destroços foram localizados nas proximidades da Fazenda Jarinã, 200 quilômetros a sudeste da cidade de Peixoto de Azevedo, divisa do Pará com Mato Grosso.

A empresa aérea Gol confirmou neste sábado a localização dos destroços de um de seus aviões, desaparecido desde a tarde de sexta-feira, 30 quilômetros a leste do município de Peixoto de Azevedo, em Mato Grosso.

A empresa comunicou, no entanto, que ainda não há informações sobre sobreviventes.

O avião, um Boeing 737-800 com 155 pessoas a bordo, deixou Manaus às 15h35 (horário de Brasília) com destino ao aeroporto internacional do Rio de Janeiro.

Os destroços foram localizados em meio a mata fechada no Mato Grosso, anunciaram a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a Infraero, que disseram ser impossível informar, por enquanto, se há sobreviventes.

A diretora da Anac Denise Abreu disse a jornalistas que houve identificação visual dos destroços na Fazenda Jarinã, a 200 quilômetros da cidade de Peixoto de Azevedo. Não foi identificado fogo no local.

Segundo a Anac, há forte indicação de que houve colisão do Boeing 737-800 da Gol com um jato de médio porte Legacy.

Buscas
As buscas do avião da Gol contaram com cinco helicópteros e três aeronaves, além de 100 militares.

As buscas aérea e terrestre cobriram uma área de 500 quilômetros (Km) quadrados entre o sul do Pará e norte do Mato Grosso. Em Brasília, Rio de Janeiro e Manaus, de onde partiu o vôo, cerca de 200 pessoas trabalham na operação de apoio, entre civis e militares.

As informações são da assessoria de imprensa da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que acrescentou não estar ainda confirmada a colisão entre o Boeing 737-800 da segunda maior companhia aérea do país e um jato de médio porte Legacy, fabricado pela Embraer.

A versão da colisão foi divulgada na noite de sexta pelo presidente da Infraero, José Carlos Pereira, e não foi descartada pelo ministro da Defesa, Waldir Pires.

O vôo 1907 transportava 155 pessoas e perdeu contato com a torre de controle às 15h35 (horário de Brasília), quando sobrevoava região norte do Mato Grosso.

MAIS
Deixe sua mensagem aos familiares das vítimasGrupos de Discussão UOL

ÍNDICE DE ÚLTIMAS NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

Folha Online
Reforma visual da Folha facilita a leitura; conheça as mudanças
UOL Esporte
Após fiasco de público, CBF reduz preços de ingressos para partida
UOL Economia
Bovespa reduz ritmo de perdas
perto do fim dos negócios

UOL Tecnologia
Fãs do iPhone promovem encontro no Brasil; veja mais
UOL Notícias
Chuvas deixam quatro mortos e afetam mais de 4 mil no Paraná
UOL Vestibular
Cotista tem nota parecida com de não-cotista aponta Unifesp
UOL Televisão
Nova novela da Record terá máfia e Gabriel Braga Nunes como protagonista
UOL Música
Radiohead entra em estúdio para trabalhar em disco novo
UOL Diversão & Arte
Escritor indiano Aravind Adiga ganha o Booker Prize
UOL Cinema
Novo filme dos irmãos
Coen tem maior bilheteria nos EUA