UOL NewsUOL News
UOL BUSCA
FALE COM UOL NEWS

05/07/2006 - 19h59
Vacinas e receita médica em inglês: dicas que podem salvar as suas férias

Veja o programa "Consulta Médica" em vídeo

Da Redação

Cuidados básicos podem evitar que as férias ou a viagem de fim de semana sejam interrompidas por uma doença ou mal estar. Mesmo que o destino seja um país de primeiro mundo, há riscos: a Europa, por exemplo, continua tendo surtos de sarampo, que agora atingem mais os países centrais, como a Alemanha e a Polônia.

É por isso que as autoridades de vigilância sanitária estão avisando os brasileiros que foram assistir à Copa do Mundo para ficarem atentos a sintomas de sarampo. "Esses sintomas aparecem de uma a três semanas depois. Os principais são febre, manchas vermelhas no corpo, podendo aparecer conjuntivite e dores musculares", explicou o infectologista Jessé Alves.

Convidado do programa "Consulta Médica" desta quarta-feira, Alves é integrante do Núcleo de Medicina do Viajante do Hospital Emílio Ribas e assessora o 'check-up do viajante' no centro de medicina diagnóstica Fleury. Respondendo às dúvidas dos internautas (leia as perguntas e respostas), ele lembrou que as precauções dependem tanto do destino da viagem como das condições de saúde da pessoa.

Segundo Alves, é importante conversar com o seu médico sobre a viagem, de preferência semanas antes de ir, pois vacinas como a da febre amarela exigem 10 dias da 'janela' antes que a pessoa se exponha ao local de risco.

Enjôo em navio

Junto a um médico também é possível obter orientações contra a cinetose --aquele enjôo típico de situações de movimento, como o balanço do navio. "Existem algumas medicações que vão diminuir a ação do movimento sobre o órgão do equilíbrio, que é o labirinto. Há remédios que pode trazer mais conforto ou tratar o paciente numa fase mais aguda", explicou o infectologista.

Problemas na alfândega

Quem está em tratamento não pode esquecer de levar os medicamentos em quantidade suficiente para tomar durante todo o tempo em que estiver fora de casa. "É muito difícil comprar medicações em outros países sem receita médica", alertou Alves. A receita pode ser indispensável também para entrar em países estrangeiros portando medicamentos. "Indivíduos que usam medicamentos injetáveis, como insulina, podem ter problemas para justificar a entrada desse tipo de medicação nas alfândegas. É bom levar a receita em inglês ou com o nome genérico da droga."

Clique aqui para ler as perguntas e respostas do bate-papo com Jessé Alves

ÍNDICE DE NOTÍCIAS  IMPRIMIR  ENVIE POR E-MAIL

20/04/2014

20h05- Novos vídeos de The Crew mostram visão do cockpit e mapa gigantesco

18h07- 15 minutos com: Trials Fusion - Não se rale no mundo virtual

17h24- Você sabia que os índios norte-americanos tiveram um papel crucial na Segunda Guerra?

16h05- Rockstar adiciona 10 novos "trabalhos verificados" para GTA Online

15h58- Luzes de LED acabam com o truque do branco brilhante dos detergentes

15h28- Monóculo eletrônico usa biofeedback para monitorar seus sites favoritos

13h46- Campanha reverte views no YouTube em doações para crianças carentes

13h29- Motorola lança smartphone com carcaça de madeira inspirado na Amazônia

13h05- Cesar cria curso de extensão à distância para desenvolvimento de apps para Windows Phone

12h18- Octodad: Dadliest Catch chega ao PS4 na terça-feira, dia 22


Shopping UOL

Conversor DigitalMelhore sua TV Home TheaterAs principais marcas pelos menores preços. Clique TV LG Scarlet 42Nova! FULL HD. Faça de sua sala um cinema! Confira as promoções.