UOL Notícias Fotos

Jornalista procura filho desaparecido há 26 anos

27/06/2011

Informações sobre o álbums
  • editoria:Geral
  • galeria: Jornalista procura filho desaparecido há 26 anos
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/110627escoteiro_album.jhtm
  • totalImagens: 36
  • fotoInicial: 35
  • imagePath: http://n.i.uol.com.br/ultnot/album/
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20110628093306
Fotos
Na casa da família Simon, em Artur Alvim, zona leste de São Paulo, caixas guardam recortes de jornal e documentos sobre o desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio, em 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
Na época do sumiço, cartazes com a foto do escoteiro desaparecido foram afixados em postes e muros de mais de 20 cidades na região do Pico dos Marins, entre Minas Gerais e São Paulo. Até hoje, apenas trotes com informações sobre o rapaz foram recebidos pela família Shin Shikuma/UOL Mais
Página do inquérito policial mostra o relevo do Pico dos Marins, local em que Marco Aurélio foi visto pela última vez. As investigações foram arquivadas pela Justiça em 1990, por falta de provas. Peritos atestaram que o jovem teria fugido, alegação negada pelo pai do escoteiro, Ivo Simon Shin Shikuma/UOL Mais
Foto mostra o rosto de Marco Aurélio na época de seu desaparecimento, em 1985. Mistério que dominou as manchetes dos jornais na década de 80, o sumiço do escoteiro no Pico dos Marins (SP) pode até virar um longa metragem Shin Shikuma/UOL Mais
Nos arquivos da família, dezenas de lembranças de Marco Aurélio são guardadas há 26 anos. Na foto, documentos do jovem desaparecido em 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
Fotos de aquivo da família Simon mostram passagens da vida do jovem desaparecido em 1985, durante excursão ao Pico dos Marins, em São Paulo. Pai do garoto ainda não desistiu de encontrar o filho Shin Shikuma/UOL Mais
Nos 26 anos que aguarda por notícias do filho desaparecido, o jornalista Ivo Simon já esteve em inúmeros programas de televisão. Todas as fitas com as gravações das entrevistas estão guardadas na casa da família, na zona leste de São Paulo Shin Shikuma/UOL Mais
O inquérito policial sobre o sumiço do escoteiro Marco Aurélio tem 400 páginas. Para preservar o documento e facilitar a pesquisa, os volumes foram encadernados. O pai do menino relê a investigação anualmente, mas continua sem respostas para o sumiço do garoto Shin Shikuma/UOL Mais
Detalhe do inquérito policial mostra fotografia tirada pelos peritos criminais na época do desaparecimento, em 1985. Mistério que dominou as manchetes dos jornais na década de 80, o sumiço do escoteiro no Pico dos Marins (SP) está sendo novamente esmiuçado pela família do rapaz Shin Shikuma/UOL Mais
Foto de aquivo da família Simon mostra passagem da vida do jovem desaparecido em 1985, durante excursão ao Pico dos Marins, em São Paulo. Pai do garoto ainda não desistiu de encontrar o filho Shin Shikuma/UOL Mais
Reportagem de novembro de 1985 do extinto jornal Folha da Tarde cita o desaparecimento de Marco Aurélio. Na época, a imprensa já chamava a atenção para os mistérios do caso, que segue sem solução até hoje Shin Shikuma/UOL Mais
No total, mais de 300 homens, entre policiais, bombeiros e alpinistas, participaram das operações de resgate de Marco Aurélio. Como mostra recorte de jornal da época, no entanto, as buscas nunca tiveram resultado prático Shin Shikuma/UOL Mais
Chamada de capa na Folha de S. Paulo da década de 80 mostra foto de Marco Aurélio e cena das buscas pelo garoto no Pico dos Marins. Sumiço foi destaque da imprensa na época e mobilizou o país Shin Shikuma/UOL Mais
Desde a época do sumiço, suspeitas recaem também sobre o guia da excursão, Juan Bernabeu Céspedes, que poderia ter desejos sexuais pelo garoto. Foi ele o último a ter contato com o escoteiro. Na imagem, chamada de capa do Jornal da Tarde debate a hipótese de crime Shin Shikuma/UOL Mais
As especulações sobre as causas do sumiço do escoteiro Marco Aurélio foram muitas. Padres, videntes, espíritas e cientistas foram ouvidos para explicar o desaparecimento. Na imagem, capa do extinto jornal Notícias Populares sugere que o adolescente teria morrido, e estaria se comunicando com a família por meio de uma carta Shin Shikuma/UOL Mais
Menos de 10 dias após o sumiço do escoteiro no Pico dos Marins, o jornal O Estado de S. Paulo já declaraca que as buscas pelo menino eram feitas em um contexto de "pouca esperança". Até hoje, não há pistas claras sobre o que ocorreu naquela tarde de 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
Após o sumiço, todos os rios do Pico dos Marins foram percorridos. Cartazes foram afixados em mais de 20 cidades. "Não encontraram o corpo até hoje. Não encontraram sequer um fio de cabelo. Nem uma blusa, uma fivela do cinto. Nada", diz o pai do jovem, Ivo Simon Shin Shikuma/UOL Mais
Reportagem de capa do jornal O Estado de S. Paulo mostra que a polícia suspeitava que o guia Juan Bernabeu Céspedes tivesse participação no sumiço. Céspedes optou por enviar Marco Aurélio, sozinho, para buscar ajuda após um dos outros três escoteiros do grupo ter torcido o tornozelo Shin Shikuma/UOL Mais
Ao saber do desaparecimento do filho em 1985, o pai do escoteiro mudou-se para Piquete (SP), cidade que dá acesso ao Pico dos Marins, ponto do sumiço. Mais de 20 cidades foram visitadas por ele, que colocava cartazes em postes e muros. Até hoje, nenhuma informação verdadeira ajudou a esclarecer o mistério Shin Shikuma/UOL Mais
Jornal da época (década de 80) discute as dificuldades no trabalho de resgate do escoteiro sumido. Hipóteses para o desaparecimento nunca não faltaram. Para alguns, alienígenas levaram o menino. Para outros, uma seita chamada Borboleta Azul sequestrou o adolescente. Especulou-se até que um animal, como uma onça, poderia ter devorado o escoteiro Shin Shikuma/UOL Mais
Manchete de jornal estampa notícia sobre o desaparecimento de Marco Aurélio. "O que pode ter acontecido? Eu não sei. A única coisa que eu sei é que a gente não sabe nada", diz o pai do escoteiro, que há 26 anos lê e relê o inquérito do caso Shin Shikuma/UOL Mais
Na época do desaparecimento, jornais mandaram correspondentes especiais para cobrir as operações de busca. Os relatos dos jornalistas eram publicados diariamente. Até hoje, no entanto, nem a polícia nem a família sabem o que aconteceu com o escoteiro Shin Shikuma/UOL Mais
Por muito tempo, o líder da excursão Juan Bernabeu Céspedes foi tido como principal suspeito do desaparecimento. Segundo o inquérito, ele teria negado ajuda de um guia da região e, de forma equivocada, solicitado que Marco Aurélio buscasse ajuda sozinho Shin Shikuma/UOL Mais
Reportagem de 2005 do jornal Vale Paraibano lembra o mistério do sumiço de Marco Aurélio. Pai do então garoto irá abrir um blog para eternizar as informações sobre o desaparecimento do jovem em 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
Foram feitas três reconstituições do sumiço do escoteiro. Na última, concluída mais de 4 anos após o desaparecimento, o perito afirma que Marco Aurélio deve ter fugido por conta própria Shin Shikuma/UOL Mais
Mais de 300 homens, além de helicópteros, foram usados nas operações de busca por Marco Aurélio no Pico dos Marins (SP). Na foto, imagem publicada por jornal da época mostra as tentativas de encontrar o garoto no meio da mata Shin Shikuma/UOL Mais
Na época do sumiço, cartazes com a foto do escoteiro desaparecido foram afixados em postes e muros de mais de 20 cidades na região do Pico dos Marins, entre Minas Gerais e São Paulo. Até hoje, apenas trotes com informações sobre o rapaz foram recebidos pela família Shin Shikuma/UOL Mais
Reportagem da revista Veja debate as suspeitas sobre o desaparecimento do escoteiro Marco Aurélio. Desde a época do sumiço até hoje, nenhuma pista foi conclusiva para esclarecer o episódio de 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
Entre os documentos da época guardados pela família do escoteiro, está um mapa em que estão anotados as cidades (pequenas bolas vermelhas) em que cartazes com a foto de Marco Aurélio foram pregados em muros e postes Shin Shikuma/UOL Mais
Marco Aurélio é irmão gêmeo de Marco Antônio, jovem que aparece à direita na imagem ao lado. Como são idênticos, a família sempre acreditou que a foto do irmão ajudaria no trabalho de busca. Em vão. Até hoje, não há pistas sobre o escoteiro desaparecido em 1985 Shin Shikuma/UOL Mais
O jornalista Ivo Simon, 71, procura há 26 anos o filho desaparecido em uma excursão ao Pico dos Marins, em 1985. As hipóteses para o sumiço incluem alienígenas, seitas secretas, assassinato e fuga. Hoje, ele tem planos de escrever um longa metragem sobre a história de Marco Aurélio Shin Shikuma/UOL Mais
Na casa da família de Marco Aurélio, na zona leste de São Paulo, são caixas e mais caixas repletas de recortes de jornal e documentos sobre o sumiço do escoteiro, em 1985. No destaque, o pai do então menino, o jornalista Ivo Simon Shin Shikuma/UOL Mais
O jornalista Ivo Simon, 71, segura imagem que mostra o rosto de seu filho Marco Aurélio na época em que desapareceu, em 1985. Ele pretende abrir um blog para não deixar a história do escoteiro ser esquecida. "Eu daqui a pouco vou morrer. Mas não vou deixar o assunto morrer." Shin Shikuma/UOL Mais
Neste mês de junho, quando o sumiço de seu filho Marco Aurélio completou 26 anos, Ivo Simon decidiu deixar o conformismo de lado e dar um novo fôlego às buscas que marcaram a sua vida. Após mais de 20 anos do arquivamento do inquérito, ele anunciou que contratará um perito para, novamente, esmiuçar o desaparecimento Shin Shikuma/UOL Mais
Ivo Simon, pai do escoteiro Marco Aurélio, desaparecido em 1985, mostra cartazes da época em que as buscas oficiais pelo garoto ainda eram conduzidas pelas autoridades. Mistério que dominou as manchetes dos jornais na década de 80, o sumiço do escoteiro no Pico dos Marins (SP) pode até virar um longa metragem Shin Shikuma/UOL Mais
O escoteiro desaparecido Marco Aurélio tem um irmão gêmeo, Marco Antônio (foto). Seu rosto foi estampado em inúmeros cartazes espalhados em mais de 20 cidades pelo país nesses 26 anos. Até hoje, nenhuma pista concreta levou até o jovem que sumiu no Pico dos Marins (SP) em 1985 Arquivo pessoal Mais

Últimos álbuns publicados

Hospedagem: UOL Host