Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2015/01/07/sede-de-revista-e-atacada-em-paris.htm
  • totalImagens: 270
  • fotoInicial: 269
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20150107110323
    • Paris [5638]; França [5639];
    • Internacional [35978]; Atentados terroristas [9365]; Atentados terroristas na França [75912]; Islamismo [36702];
Fotos

7.jan.2015 - Antes do tiroteio desta quarta-feira (7), a revista francesa "Charlie Hebdo" já havia sofrido um ataque em 2011. Em 2 de novembro de 2011 o escritório da revista foi destruído por um incêndio criminoso com bombas de gasolina em Paris, na França. O ataque aconteceu na venda da publicação com uma charge do profeta Maomé na capa, quando a revista decidiu, para "celebrar a vitória" do partido islamita Ennahda nas eleições na Tunísia, fazer do profeta o editor da edição que recebeu o título especial de "Sharia Hebdo". A sharia é lei islâmica. "Cem chicotadas se você não morrer de rir", adverte a capa da revista, que também teve o site atacado pela ação de hackers. Na foto do dia 2 de novembro de 2011, o diretor e chargista Charb (Stephane Charbonnier) fala ao telefone enquanto mostra a edição da Charlie Hebdo Alexander Klein/ AFP Mais

7.jan.2015 - A revista francesa "Charlie Hebdo" é conhecida por ter publicado caricaturas de Maomé. A edição do dia 19 de setembro de 2012 publicou várias caricaturas zombando do profeta Maomé e o retratando nu durante um contexto de instabilidade em todo o mundo islâmico. As autoridades francesas, que haviam feito um apelo à revista para que não publicasse os cartuns, fecharam temporariamente suas embaixadas e escolas em 20 países após a publicação por temerem que o material causasse protestos no mundo islâmico. Após a venda da revista, uma pesquisa feita pelo instituto TNS Sofres afirmou que 39% dos franceses desaprovaram a publicação das caricaturas, 37% aprovam e 24% não opinaram. Fred Dufour/ AFP Mais

7.jan.2015 - Bombeiros resgatam um ferido depois que homens armados invadiram o escritório da revista satírica "Charlie Hebdo", em Paris, na França. Ao menos 12 pessoas morreram durante o ataque. O jornal sofreu atentados no passado após publicar charges em 2011 com piadas sobre líderes muçulmanos Philippe Dupeyrat/AFP Mais

7.jan.2015 - Um vítima do tiroteio na sede da revista francesa "Charlie Hebdo" recebe ajuda de paramédicos nesta quarta-feira (7) em Paris, na França. Homens armados abriram fogo contra funcionários na sede da revista, matando ao menos 12 pessoas. O número de vítimas foi confirmado em entrevista coletiva pelo presidente François Hollande. "Eles foram mortos covardemente. Onze pessoas estão mortas, quatro em situação de urgência absoluta. Há 40 pessoas que estão protegidas e salvas", declarou Hollande logo após o ataque Marin Bureau/ AFP Mais

7.jan.2015 - Um vítima do tiroteio na sede da revista francesa "Charlie Hebdo" recebe ajuda de paramédicos nesta quarta-feira (7) em Paris, na França. Homens armados abriram fogo contra funcionários da revista satírica, matando ao menos 12 pessoas. O número de vítimas foi confirmado em entrevista coletiva pelo presidente francês François Hollande, que já está no local Thibault Camus/ AP Mais

7.jan.2015 - O presidente francês, Francois Hollande (ao centro), acena nesta quarta-feira (7) ao chegar ao escritório da revista satírica "Charlie Hebdo" em Paris, após tiroteio que deixou 12 mortos. "Eles foram mortos covardemente. Onze pessoas estão mortas, quatro em situação de urgência absoluta. Há 40 pessoas que estão protegidas e salvas", declarou Hollande. O presidente da França afirmou que o ataque foi um ato de "terrorismo". "A França está em choque por um atentado terrorista porque foi isso que aconteceu", disse Remy De La Mauviniere/ AP Mais

7.jan.2015 - Um vídeo registrou o momento em que dois homens armados e encapuzados abriram fogo contra funcionários da revista francesa "Charlie Hebdo", em Paris, nesta quarta-feira (7), matando ao menos 12 pessoas. Em um primeiro momento, o presidente da França, François Hollande, confirmou 11 mortos, em entrevista coletiva no local, mas a promotoria atualizou o número para 12 vítimas, sendo dois policiais entre elas Reprodução Mais

7.jan.2015 - Homens armados e encapuzados abriram fogo contra funcionários da revista francesa "Charlie Hebdo", em Paris, nesta quarta-feira (7), matando ao menos 12 pessoas. Em um primeiro momento, o presidente da França, François Hollande, confirmou 11 mortos, em entrevista coletiva no local, mas a promotoria atualizou o número para 12 vítimas, sendo dois policiais entre elas Anne Gelbard/ AFP Mais

7.jan.2015 - Um vídeo registrou o momento em que dois homens armados e encapuzados atiram em um policial e o matam nesta quarta-feira (7) na sede da revista francesa "Charlie Hebdo", em Paris. Ao menos 12 pessoas morreram no ataque, incluindo dois policiais Reprodução Mais

7.jan.2015 - Policial francês analisa os danos de um carro de polícia que foi alvo de tiros durante um ataque armado à sede da revista semanal "Charlie Hebdo" em Paris. Homens armados e encapuzados invadiram o escritório da publicação e abriram fogo contra funcionários, matando 12 pessoas nesta quarta-feira (7) Dominique Faget/ AFP Mais

7.jan.2015 - Um carro de polícia fica com o vidro cheio de buracos de balas nesta quarta-feira (7), após homens armados e encapuzados realizarem um ataque à sede da revista francesa "Charlie Hebdo" em Paris. Doze pessoas foram mortas, incluindo dois policiais AFP Mais

7.jan.2015 - Sobreviventes do ataque ao escritório da revista francesa "Charlie Hebdo" se abraçam nesta quarta-feira (7) entre as equipes de bombeiros e paramédicos que ajudavam as vítimas em Paris, na França. Homens armados e encapuzados abriram fogo contra os funcionários da revista francesa. Doze pessoas morreram, incluindo dois policiais Remy de la Mauviniere/ AP Mais

7.jan.2015 - O cartunista francês Jean Cabut, conhecido como Cabu, está entre as vítimas do ataque terrorista à revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. A imagem é de arquivo e foi tirada no dia 12 de outubro de 2012. Homens armados e encapuzados invadiram o escritório da publicação satírica e atiraram contra funcionários, matando ao menos 12 pessoas Bertrand Guay/ AFP Mais

7.jan.2015 - O cartunista e editor da revista francesa "Charlie Hebdo", Stephane Charbonnier, conhecido como Charb, morreu nesta quarta-feira (7) em um tiroteio no escritório da revista em Paris, na França. A imagem é de arquivo e foi tirada no dia 12 de outubro de 2012. Homens armados e encapuzados invadiram a sede da publicação satírica semanal e atiraram contra funcionários, matando ao menos 12 pessoas Francois Guillot/ AFP Mais

7.jan.2015 - O cartunista francês Georges Wolinski morreu nesta quarta-feira (7) em um tiroteio na sede da revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. A imagem é de arquivo e foi tirada no dia 15 de novembro de 2006. Homens armados e encapuzados atiraram contra funcionários na sede da revista francesa e mataram ao menos 12 pessoas Guillaume Baptiste/ AFP Mais

7.jan.2015 - O cartunista francês Bernard Verlhac, conhecido como Tignous, morreu nesta quarta-feira (7) em um tiroteio na sede da revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. A imagem é de arquivo e foi tirada no dia 2 de novembro de 2011. Homens armados e encapuzados abriram fogo contra funcionários na sede da revista francesa, matando 12 pessoas Alexander Klein/ AFP Mais

8.jan.2015 - Michel Renaud está entre as vítimas do ataque terrorista à revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. Renaud tinha sido convidado pelo cartunista Jean Cabut, conhecido como Cabu, para participar da reunião de pauta, após lhe entregar desenhos que haviam sido emprestados para uma exposição, segundo o jornal "Le Monde" Danyel Massacrier/AFP Mais

8.jan.2015 - O cartunista Philippe Honore está entre as vítimas do ataque terrorista à revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. Ele foi o autor da última charge tuitada pela conta da revista, retratando o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi François Guillot/AFP Mais

8.jan.2015 - Bernard Maris, economista e jornalista, era um dos sócios da revista "Charlie Hebdo" e escrevia na publicação com o pseudônimo "Oncle Bernard". Ele está entre as vítimas do ataque terrorista à sede da publicação em Paris, na França Christophe Abramowitz/EFE Mais

8.jan.2015 - Ahmed Merabet, 42, é um dos policiais mortos pelos terroristas responsáveis pelo atentado contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", em Paris. Merabet era muçulmano e foi executado com tiros Reprodução/Twitter Mais

8.jan.2015 - Imagem divulgada pelo jornal francês "Le Monde" mostra como o escritório da revista satírica "Charlie Hebdo" ficou após o ataque que matou 12 pessoas, em Paris Reprodução/Le Monde Mais

7.jan.2015 - O presidente da França, François Hollande (à direita; ao centro), discursa durante uma reunião interministerial de crise no Palácio do Eliseu, em Paris, na França, para discutir as ações que serão tomadas após o tiroteio no escritório da revista francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 mortos Reprodução/ Twitter Mais

7.jan.2015 - Mais de 100 mil pessoas se reuniram na Place de la Republique (Praça da República), em Paris, para homenagear as vítimas do ataque terrorista feito por homens armados que dispararam contra funcionários e mataram 12 pessoas na sede da revista "Charlie Hebdo", na capital francesa nesta quarta-feira (7). Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas em Paris, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Joel Sajet/ AFP Mais

7.jan.2015 - Multidão se reúne em frente à Prefeitura de Rennes, a sudoeste de Paris, em solidariedade às vítimas do ataque feito por um grupo armado à sede da revista semanal satírica "Charlie Hebdo", na capital francesa nesta quarta-feira (7). Alguns manifestantes exibem cartazes com a mensagem "eu sou Charlie". Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas em Paris, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Damien Meyer/ AFP Mais

7.jan.2015 - Milhares de pessoas prestam solidariedade às vítimas do ataque terrorista à sede da revista satírica "Charlie Hebdo" nesta quarta-feira (7), na Place Royale, em Nantes (no oeste da França). Homens armados e encapuzados dispararam contra funcionários da publicação semanal, matando ao menos 12 pessoas. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas em Paris, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Georges Gobet/ AFP Mais

7.jan.2015 - Centenas de franceses reúnem-se em solidariedade às vítimas do ataque terrorista à revista satírica "Charlie Hebdo", em Toulouse (no sul da França). Homens armados e encapuzados abriram fogo e mataram ao menos 12 pessoas na sede da revista em Paris nesta quarta-feira (7). Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas na capital francesa, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Eric Cabanis/ AFP Mais

7.jan.2015 - Mensagem luminosa sobre multidão que presta homenagem, em Paris, às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira, pede para que as pessoas não tenham medo. Os três suspeitos de terem perpetrado o atentado já foram identificados pela polícia, segundo agências internacionais. Eles continuam foragidos Thibault Camus/ AP Mais

Bandeiras da França e da União Europeia são colocadas a meio mastro na Assembleia Nacional de Paris, nesta quarta-feira (7), após um atentado contra a sede da revista satírica "Charlie Hebdo". Homens armados invadiram o escritório da publicação semanal e mataram 12 pessoas, incluindo dois policiais. A revista já havia sido ameaçada anteriormente por fazer sátiras ao islamismo. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas em Paris, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Jacky Naegelen/Reuters Mais

7.jan.2015 - Guardas de honra protegem o palácio do Eliseu (residência oficial do presidente francês, François Hollande), em Paris. Fitas pretas foram colocadas nas bandeiras da França e da União Europeia, em homenagem às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira. Os três suspeitos de terem perpetrado o atentado já foram identificados pela polícia, segundo agências internacionais. Eles continuam foragidos Michel Euler/ AP Mais

7.jan.2015 - Velas são colocadas diante de um cartaz com a mensagem "eu sou Charlie", em homenagem às vítimas do ataque feito por homens armados que invadiram o escritório da revista satírica "Charlie Hebdo", na capital francesa nesta quarta-feira (7). O grupo atirou contra funcionários da publicação, matando 12 pessoas, incluindo dois policiais. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos de terem cometido o atentado. Apenas em Paris, o contingente policial mobilizado nas buscas soma mais de 2.200 agentes Martial Trezzini/ EFE Mais

7.jan.2015 - Grupo solidário às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, acendem velas perto da embaixada francesa em Tunis, capital da Tunísia. Em manifestações espontâneas convocadas em redes sociais, milhares de pessoas em cidades europeias saíram às ruas para repudiar o atentado terrorista à sede da revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira Mohamed Messara/ Efe Mais

7.jan.2015 - Centenas de velas em homenagem às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, iluminam uma escadaria em Lyon, no leste francês. Em manifestações espontâneas convocadas em redes sociais, milhares de pessoas em cidades europeias saíram às ruas para repudiar o atentado terrorista que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira (7) Jeff Pachoud /AFP Mais

7.jan.2015 - Jovem segura, durante ato silencioso na Place de la Republique (Praça da República), em Paris, ilustração da capa de uma edição da revista satírica francesa "Charlie Hebdo", em que Maomé aparece beijando cartunista com o texto "o amor, mais forte do que o ódio". Em manifestações espontâneas convocadas em redes sociais, milhares de pessoas em cidades europeias saíram às ruas para repudiar o atentado terrorista à sede da revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira Joel Saget/ AFP Mais

7.jan.2015 - Dezenas de pessoas se reúnem na praça Luxemburgo, em Bruxelas, na Bélgica, para homenagear as vítimas do ataque terrorista que deixou 12 mortos na sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris nesta quarta-feira (7). Um fã do cartunista Wolinski, um dos mortos no atentado, segura livros do ídolo durante a manifestação Julien Warnand/ EFE Mais

7.jan.2015 - Grupo solidário às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, se reúne em frente à embaixada da França em Madri. Pelo menos 12 pessoas morreram no atentado. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos Gerard Julien/ AFP Mais

7.jan.2015 - Grupo solidário às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, se reúne em frente à embaixada da França em Madri, capital da Espanha. Pelo menos 12 pessoas morreram no atentado. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos Gerard Julien/ AFP Mais

7.jan.2015 - Ingleses reunidos na praça Trafalgar, no centro de Londres, seguram canetas e cartazes com a mensagem "eu sou Charlie" em homenagem às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris. Em manifestações espontâneas convocadas em redes sociais, milhares de pessoas em cidades europeias saíram às ruas para repudiar o atentado terrorista que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira (7) Matt Dunham/ AP Mais

7.jan.2015 - Ingleses reunidos na praça Trafalgar, no centro de Londres, exibem canetas e cartazes em solidariedade às vítimas do ataque a sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris. O nome da praça onde ocorre a reunião é uma homenagem à batalha de Trafalgar, um confronto naval que ocorreu entre a França e Espanha contra o Reino Unido em1805. Pelo menos 12 pessoas morreram no atentado. Todos os serviços de segurança da França procuram pelos três homens suspeitos Matt Dunham/ AP Mais

7.jan.2015 - Cidadãos franceses e brasileiros participam de uma vigília homenagem às vítimas do ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo", nesta quarta-feira (7), no Rio de Janeiro. 12 pessoas foram mortas, incluindo dois policiais, no ataque contra a sede da publicação em Paris Marcelo Sayão/EFE Mais

8.jan.2015 - No Rio de Janeiro, mulher escreveu no braço a expressão "Eu sou Charlie" durante manifestação de apoio à revista "Charlie Hebdo" na noite desta quarta-feira (7) Leo Correa/AP Mais

7.jan.2015 - O site da revista satírica francesa "Charlie Hebdo" divulgou imagem de luto pelo atentado terrorista, ocorrido nesta quarta-feira (7), contra sua sede em Paris. Na imagem, a mensagem diz "eu sou Charlie", frase que ganhou forças nas redes sociais em solidariedade às vítimas do ataque, que deixou 12 mortos Reprodução Mais

7.jan.2015 - Jornalistas da agência de notícias francesa AFP (Agence France Presse) seguram placas com a mensagem "Eu sou Charlie" enquanto fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do ataque à revista satírica "Charlie Hebdo", nesta quarta-feira, em Paris. Os três suspeitos de terem perpetrado o atentado já foram identificados pela polícia, segundo agências internacionais. Eles continuam foragidos Bertrand Guay/AFP Mais

7.jan.2015 - Desenho com a mensagem "o lápis é a arma mais pacífica, não mexa com humor" é pendurado no portão da embaixada da França em Buenos Aires, em homenagem às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, nesta quarta-feira (7). Os três suspeitos de terem perpetrado o atentado já foram identificados pela polícia, segundo agências internacionais. Eles continuam foragidos Natacha Pisarenko/ AP Mais

7.jan.2015 - Mulher exibe suas mãos pintadas com a mensagem "não tenha medo", durante ato silencioso na Place de la Republique (Praça da República), em Paris, em homenagem às vítimas do ataque à sede da revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas, das quais oito eram jornalistas, nesta quarta-feira (7). Os três suspeitos de terem perpetrado o atentado já foram identificados pela polícia, segundo agências internacionais. Eles continuam foragidos Thibault Camus/ AP Mais

7.jan.2015 - Um agente da polícia francesa divulgou em redes sociais a reprodução de documentos com fotos dos irmãos suspeitos do atentado. Na foto, Said Kouachi Reprodução Mais

7.jan.2015 - Um agente da polícia francesa divulgou em redes sociais a reprodução de documentos com fotos dos irmãos suspeitos do atentado. Na foto, Chérif Kouachi Reprodução Mais

8.jan.2015 - A polícia francesa divulgou imagens dos irmãos suspeitos do ataque. Cherif Kouachi (esq.) e Said Kouachi (dir.) são apontados como os responsáveis diretos pelos tiros que deixaram 12 mortos na sede da revista francesa "Charlie Hebdo" Polícia da França/AFP Mais

8.jan.2015 - Um homem com um colete à prova de balas e uma metralhadora disparou na manhã desta quinta-feira (8) perto de Paris, na França, contra policiais municipais, ferindo gravemente um deles. Um suspeito foi detido logo após o tiroteio, ocorrido em Montrouge, município ao sul de Paris. O tiroteio ocorre um dia após o atentado contra a revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas Thomas Samson/AFP Mais

8.jan.2014 - O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve (ao centro), chega em Montrouge, ao sul de Paris, na França, onde aconteceu um tiroteio nesta quinta-feira (8). Por volta das 8h (5h no horário de Brasília), um homem que vestia colete à prova de balas e carregava uma arma curta e um fuzil automático atirou contra policiais que atuavam em um acidente de trânsito. Duas pessoas ficaram gravemente feridas, um agente e um funcionário da limpeza, segundo fontes policiais Yoan Valat/ EFE Mais

8.jan.2014 - Um homem se ajoelha nesta quinta-feira (8) em um memorial próximo ao escritório da revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França, para homenagear os mortos no tiroteio desta quarta-feira (7). Homens armados e encapuzados invadiram a sede da revista francesa e atiraram contra funcionários em um ataque que matou ao menos 12 pessoas, segundo informações das autoridades locais. Vários suspeitos foram detidos por relação com o atentado contra a "Charlie Hebdo" e os dois principais procurados já estavam sendo monitorados pelas forças da ordem Martin Bureau/ AFP Mais

8.jan.2014 - Uma mulher se ajoelha para acender uma vela nesta quinta-feira (8) ao lado de canetas e lápis colocados de forma que montam o símbolo da paz e do amor sobre os nomes dos cartunistas franceses mortos no ataque ao escritório da revista "Charlie Hebdo" nesta quarta-feira (7) em Paris, na França. Homens armados e encapuzados invadiram a sede da revista francesa e atiraram contra funcionários em um ataque que matou ao menos 12 pessoas, segundo informações das autoridades locais. Vários suspeitos foram detidos por relação com o atentado contra a "Charlie Hebdo" e os dois principais procurados já estavam sendo monitorados pelas forças da ordem Martin Bureau/ AFP Mais

8.jan.2014 - Uma mulher coloca flores nesta quinta-feira (8) em memória as vítimas do ataque à publicação francesa "Charlie Hebdo" nos portões da Embaixada da França em Moscou, na Rússia. O primeiro-ministro da França, Manuel Valls, informou que várias pessoas foram detidas por suspeita de ter relação com o atentado contra a revista e que os dois principais suspeitos procurados estavam sendo monitorados pelas forças da ordem Sergei Ilnitsky/ EFE Mais

8.jan.2015 - Nicolas Sarkozy (à esquerda) voltou pela primeira vez ao Palácio do Eliseu depois de sua derrota na eleição presidencial de 2012 para se encontrar com o socialista e atual presidente da França, François Hollande. Depois da reunião, Sarkozy falou à imprensa que era seu dever ter comparecido ao palácio para mostrar que o momento do país é de união em torno dos valores da República Ian Langsdon/EFE Mais

8.jan.2015 - Policial orienta um muçulmano durante o trabalho de perícia perto de uma mesquita no bairro de Sablons de Le Mans, no oeste da França. Tiros foram disparados e granadas foram lançadas contra o templo pouco depois da meia-noite, sem deixar vítimas. Nenhuma ligação foi ainda estabelecida com o atentado contra a revista satírica "Charlie Hebdo" Jean-François Monier/AFP Mais

8.jan.2015 - Os principais jornais espanhóis destacaram o ataque de homens armados contra o escritório da revista francesa "Charlie Hebdo" em Paris, que matou 12 pessoas. A França decretou luto e busca os suspeitos do atentado Gerard Julien/AFP Mais

8.jan.2015 - Sjuul Paradijs (à esquerda), editor-chefe do jornal holandês "Telegraaf", faz um minuto de silêncio junto com sua equipe em memória às vítimas do atentado contra a revista francesa "Charlie Hebdo", em Amsterdã Remko de Waal/AFP Mais

8.jan.2015 - A bandeira francesa é colocada a meio mastro em frente ao Parlamento Europeu, em Estrasburgo, no leste da França, em respeito às vítimas do ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas Frederick Florin/AFP Mais

8.jan.2015 - Oficiais fazem dois minutos de silêncio na sede da Scotland Yard (a polícia metropolitana londrina), em Londres, na Inglaterra. A França está no nível máximo de alerta de segurança depois do atentado contra a revista satírica "Charlie Hebdo" em Paris Peter Macdiarmid/AFP Mais

8.jan.2015 - O presidente francês, François Hollande (ao centro), acompanhado por autoridades do país, faz um minuto de silêncio em frente a Prefeitura de Paris, em homenagem às vítimas do ataque contra a sede da revista satírica "Charlie Hebdo" Remy de la Mauviniere/AFP Mais

8.jan.2015 - Membros do Parlamento Europeu seguram cartazes dizendo "eu sou Charlie" enquanto fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado contra a revista francesa "Charlie Hebdo", em Bruxelas, na Bélgica Emmanuel Dunand/AFP Mais

8.jan.2015 - Belga segura um cartaz dizendo "eu sou Charlie" no meio da multidão, que faz um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado contra a revista francesa "Charlie Hebdo", em frente ao Parlamento da União Europeia, em Bruxelas François Lenoir/Reuters Mais

8.jan.2015 - Jornalistas seguram cartazes dizendo "eu sou Charlie" enquanto fazem um minuto de silêncio em frente a sede da revista "Charlie Hebdo", em Paris, um dia depois do atentado contra o semanário, que deixou 12 mortos François Mori/AP Mais

8.jan.2015 - Lápis de cor e flores são colocados em homenagem às vítimas do ataque contra o escritório da revista "Charlie Hebdo" em frente da embaixada francesa em Berlim, na Alemanha Markus Schreiber/AP Mais

8.jan.2015 - Francesa beija bebê enquanto participa de uma vigília em homenagem às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas, em Hong Kong Philippe Lopez/AFP Mais

8.jan.2015 - O artista indiano Sudarsan Pattnaik faz uma escultura de areia em homenagem às vítimas do ataque contra a sede da revista satírica francesa "Charlie Hebdo", em Puri Asit Kumar/AFP Mais

8.jan.2015 - Peruanos fazem uma vigília em homenagem às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas, no Parque Kennedy, em Lima Enrique Castro-Mendivil/Reuters Mais

8.jan.2015 - Frase "eu sou Charlie" é exibida em um display no telhado da sede do grupo editorial alemão Springer, que publica o jornal diário mais vendido da Europa, o "Bildem", em Berlim. A mensagem foi homenagem às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas Stephanie Pilick/AFP Mais

8.jan.2015 - Francesa se emociona enquanto segura um lápis em homenagem às vítimas do ataque contra a sede da revista satírica "Charlie Hebdo", em frente à Catedral de Notre Dame, em Paris Jacky Naegelen/Reuters Mais

8.jan.2015 - Estudantes do ensino médio da escola Paul Bert, em Bayonne, sudoeste da França, fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do ataque contra a sede da revista satírica "Charlie Hebdo" Bob Edme/AP Mais

8.jan.2015 - Funcionários do Palácio de Eliseu fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado contra o escritório da revista satírica "Charlie Hebdo", em Paris Philippe Wojazer/Reuters Mais

8.jan.2015 - Jornalistas da agência de notícias AFP (Agence France-Presse) seguram cartazes dizendo "eu sou Charlie" enquanto fazem um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do atentado contra a revista "Charlie Hebdo", em Paris François Xavier Marit/AFP Mais

8.jan.2015 - Francês pendura uma faixa que mostra as vítimas do atentado contra a revista "Charlie Hebdo", na cidade de Nice, no sul da França. O atentado teve 12 mortos, incluindo cartunistas, funcionários e policiais Eric Gaillard/Reuters Mais

8.jan.2015 - Multidão faz um minuto de silêncio em frente à Prefeitura de Toulouse, na França, em homenagem às vítimas do ataque à revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas Remy Gabalda/AFP Mais

8.jan.2015 - Um cidadão francês segura um lápis durante uma manifestação nesta quinta-feira (8) em Tarbes, no sul da França, em memória das vítimas do ataque terrorista à revista semanal satírica "Charlie Hebdo", realizado um dia antes. Homens armados e encapuzados invadiram o escritório da publicação e mataram 10 jornalistas e dois policiais no que foi considerado o maior massacre em 50 anos no país. Por toda França, cidadãos estão saindo às ruas para participar de vigílias e protestos contra a violência. "Charlie Hebdo" é uma revista semanal conhecido por sua postura irreverente em relação a religião, que levou seus diretores a publicar charges polêmicas envolvendo o profeta Maomé Laurent Dard/AFP Mais

8.jan.2015 - O policial francês Philippe Brinsolaro (ao centro), irmão do policial morto Franck Brinsolaro, uma das vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", faz um minuto de silêncio em Marselha. A vítima era responsável pela segurança do diretor da publicação, Stephane Charbonnier Boris Horvat/AFP Mais

8.jan.2015 - Papa Francisco encontra o cardeal André Vingt Trois, arcebispo de Paris, durante uma audiência privada no Vaticano. O pontífice celebrou uma missa em memória das vítimas do atentado contra a revista francesa "Charlie Hebdo". Francisco pediu orações para as vítimas no início da missa e disse: "pedimos também por aqueles que são cruéis para que o Senhor possa mudar os seus corações" AP Mais

8.jan.2015 - O rei de Espanha, Felipe 6º, faz um minuto de silêncio pelas vítimas do ataque contra a revista francesa "Charlie Hebdo", no palácio da Zarzuela, em Madri Panoramic/Zumapress/Xinhua Mais

9.jan.2015 - O príncipe britânico Harry assina um livro de condolências na embaixada francesa em Londres, Inglaterra, em homenagem às vítimas do atentado à revista "Charlie Hebdo", que ocorreu na quarta-feira (7), na França Bem Stansall/AFP Mais

8.jan.2015 - O livro de condolências às vítimas do ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo" foi assinado pela chanceler alemã Angela Merkel na embaixada da França, em Berlim Odd Andersen/AFP Mais

8.jan.2015 - Oficiais investigam uma loja de kebab que foi alvo de explosão perto de uma mesquita, em Villefranche-sur-Saône, no leste da França. O medo se espalhou no país após o atentado contra o escritório da revista "Charlie Hebdo", matando 12 pessoas Jean-Philippe Ksiazek/AFP Mais

8.jan.2015 - Investigador inspeciona um restaurante de kebab alvo de explosão, perto da mesquita Houda em Villefranche-sur-Saône, na França. O medo se espalhou no país após o atentado contra o escritório da revista "Charlie Hebdo", matando 12 pessoas Emmanuel Foudrot/Reuters Mais

8.jan.2015 - Policial fica de guarda na estrada Porte de la Villette, em Paris, após um policial ser morto e um funcionário da cidade ficar gravemente ferido durante um novo tiroteio nesta quinta-feira. O atirador fugiu, disse o ministro do Interior francês Eric Feferberg/AFP Mais

8.jan.2015 - Polícia especial francesa realiza buscas de casa em casa em Longpont, a nordeste de Paris. A operação faz parte das buscas pelos suspeitos de terem cometido o ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo", mantando 12 pessoas Pascal Rossignol/Reuters Mais

8.jan.2015 - Soldados fazem patrulha na estação de trem Gare du Nord, em Paris, na França. A polícia francesa está em busca dos dois irmãos suspeitos de terem cometido o ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo" Thibault Camus/AP Mais

8.jan.2015 - Posto de gasolina em Villers-Cotterets, ao nordeste de Paris, onde os suspeitos do ataque contra a revista "Charlie Hebdo" foram vistos em um carro é isolado pela polícia. O dono de posto teria reconhecido os irmãos Kouachi, que tiveram suas fotos divulgadas pela polícia e são descritos como "armados e perigosos" Pascal Rossignol/Reuters Mais

8.jan.2015 - Policiais das forças especiais patrulham região de Corcy, no norte da França, como parte das buscas pelos suspeitos de terem cometido o ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo", mantando 12 pessoas François lo Presti/AFP Mais

8.jan.2015 - Integrantes da GIPN e RAID, forças especiais da polícia francesa, patrulham as ruas de Corcy, no norte da França, nesta quinta-feira (8), durante operação para encontrar os terroristas responsáveis pelo massacre na revista semanal "Charlie Hebdo", realizada um dia antes. Uma grande operação foi montada em todo o país para encontrar os dois irmãos suspeitos de matar 12 pessoas em um ataque ao conteúdo satírico da publicação François Lo Presti/AFP Mais

8.jan.2015 - Policial patrulha área de Fleury, ao norte de Paris, na França. A operação faz parte das buscas pelos suspeitos de terem cometido o ataque contra a revista satírica "Charlie Hebdo", mantando 12 pessoas Thibault Camus/AP Mais

8.jan.2015 - Franceses acendem velas durante um vigília na praça da República, em Paris, em homenagem às 12 vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo". O massacre que ocorreu em 7 de janeiro é o mais sangrento do país em meio século, desencadeando manifestações de solidariedade em todo o mundo Kenzo Tribouillard/AFP Mais

8.jan.2015 - Italianos seguram cartazes dizendo "eu sou Charlie" (em tradução do francês) em homenagem às 12 vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", em frente à embaixada francesa em Roma Alessandro Bianchi/Reuters Mais

8.jan.2015 - Francês acende uma vela ao lado de uma imagem do cartunista Bernard Verlhac, conhecido como Tignous, morto durante o ataque à revista satírica "Charlie Hebdo", durante vigília na praça da República, em Paris Bertrand Guay/AFP Mais

8.jan.2015 - Centenas de pessoas acendem velas e seguram cartazes com a frase "eu sou Charlie" durante uma vigília realizada nesta quinta-feira (8) em memória das vítimas do atentado contra a revista semanal "Charlie Hebdo", diante da sede da publicação em Paris. Dez jornalistas e dois policiais foram mortos na ação realizada por homens armados na quarta-feira (7). Entre os mortos estão artistas mundialmente reconhecidos como Cabu, Tignous e Wolinsk. O governo francês lançou uma grande operação para capturar os terroristas Ian Langsdon/EFE Mais

8.jan.2015 - Manifestantes sobem monumento na praça da República, em Paris, durante vigília em solidariedade às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo". Milhares de pessoas se reuniram novamente nesta quinta-feira para homenagear as 12 pessoas mortas no atentado Francois Mori/ AP Mais

8.jan.2015 - Manifestantes seguram lápis durante vigília na praça da República, em Paris, em solidariedade às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, e o conjunto das forças políticas do Conselho da capital francesa convocaram um ato silencioso, mas as palavras de ordem não demoraram a aparecer Michel Euler/ AP Mais

8.jan.2015 - Velas, canetas e flores são deixadas por na Praça da República, em Paris, em homenagem às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo". Milhares de pessoas se reuniram novamente nesta quinta-feira para homenagear as 12 pessoas mortas no atentado Bertrand Guay/ AFP Mais

8.jan.2015 - Torre Eiffel, um dos monumentos mais emblemáticos do mundo, apagou na noite desta quinta-feira (8) suas luzes como sinal de luto pelas 12 vítimas do atentado de ontem contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo". Montagem mostra antes e depois da iluminação da torre ter sido apagada Jacques Demarthon/ AFP Mais

8.jan.2015 - Capitólio de Roma, projetado pelo artista e arquiteto renascentista Michelangelo Buonarroti, é iluminado com as cores da bandeira francesa para expressar solidariedade às vítimas do ataque contra a revista satírica francesa "Charlie Hebdo", que deixou 12 pessoas mortas Andrew Medichini/ AP Mais

8.jan.2015 - Uma manifestante segura cartaz em que se lê "eu sou Charlie" durante homenagem às vítimas do ataque terrorista à redação da revista satírica "Charlie Hebdo", na praça dos Restauradores em Lisboa, Portugal. A frase tem sido usada em todos os atos para condenar o atentado Patricia de Melo Moreira/AFP Mais

9.jan.2015 - Jeannette Bougrab, a viúva do cartunista Stephane Charbonnier, o Charb, editor da revista "Charlie Hebdo" e morto no ataque de quarta-feira (7), participa de uma homenagem às vítimas do atentado, em frente ao Paris City Hall Eric Feferberg/AFP Mais

9.jan.2015 - Mulher olha para as flores e outros objetos depositados na frente do prédio onde fica a redação da revista "Charlie Hebdo" em Paris. Nesta sexta-feira a polícia francesa entra no terceiro dia de procura aos irmãos Cherif Kouachi e Said Kouachi, acusados do ataque que matou 12 pessoas na última quarta Jacques Demarthon/AFP Mais

9.jan.2015 - A tenista francesa Alizé Cornet exibe em sua bolsa o apoio à revista "Charlie Hebdo" durante intervalo da partida contra a polonesa Agnieszka Radwanska válida pela Hopman Cup disputada em Perth, Austrália Tony Ashby/AFP Mais

8.jan.2014 - Um ativista da ONG Rio de Paz segura uma placa em que se lê "Rio é Charlie", em homenagem às vítimas do massacre na sede da revista satírica "Charlie Hebdo", nesta quinta-feira (8) em Niterói, no Rio de Janeiro. A organização convocou uma manifestação pacífica na praia, que se somou às milhares pelo mundo em tributo aos 10 jornalistas e dois policiais mortos por terroristas na quarta-feira (7) em Paris Ricardo Moraes/Reuters Mais

8.jan.2015 - Em São Paulo, relógios e marcadores de temperatura localizados na avenida 23 de Maio (próximo ao Parque do Ibirapuera) prestam homenagem à revista "Charlie Hebdo", da França, nesta quinta-feira (8). A revista de sátiras francesa sofreu ataque de terroristas que matou 12 pessoas Eduardo Knapp/Folhapress Mais

9.jan.2015 - A escritora britânica J. K. Rowling, autora da série de livros Harry Potter, postou em sua conta no Twitter uma imagem em repúdio ao atentado à revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas em Paris, na França. A imagem publicada no dia 7 de janeiro já possui mais de 28 mil compartilhamentos. Na postagem ele diz: "Às vezes uma imagem diz mais do que qualquer escritor poderia" Reprodução/Twitter Mais

8.jan.2015- Usuários do Twitter e do Facebook na França estão oferecendo ajuda a muçulmanos que temem agressões devido ao crescente sentimento islamofóbico após o atentado à revista satírica "Charlie Hebdo". Reprodução/Twitter Mais

9.jan.2015 - Equipe das forças de segurança francesas chegam nesta sexta-feira (9) ao local onde sequestradores que podem ser os suspeitos de terem cometido o atentado à revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas em Paris, na França, estariam com reféns. O prédio usado pelos suspeitos é uma pequena empresa especializada em impressão e publicidade localizada em Dammartin-en-Goële, em Seine-et-Marne, a cerca de 40 km a nordeste de Paris, informou o jornal francês 'Le Figaro' Christian Hartmann/ Reuters Mais

9.jan.2015 - Um helicóptero das forças de segurança sobrevoa nesta sexta-feira (9) Dammartin-en-Goële, em Seine-et-Marne, a cerca de 40 km a nordeste de Paris, onde os suspeitos de terem cometido o atentado à revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas em Paris, na França, teriam se escondido com reféns após perseguição feita pelas forças de segurança francesas Thibault Camus/ AP Mais

9.jan.2015 - Policial se posiciona em uma árvore em frente a um prédio onde Chérif e Saïd Kouachi, supostos autores do massacre da quarta-feira na redação da revista "Charlie Hebdo", estariam entrincheirados, na cidade de Dammartin-en Goële, a aproximadamente 40 quilômetros de Paris, na França Dominique Faget/AFP Mais

9.jan.2015 - Os suspeitos de terem cometido o atentado à revista "Charlie Hebdo", que matou 12 pessoas em Paris, na França, estariam com reféns em uma pequena empresa especializada em impressão e publicidade localizada em Dammartin-en-Goële, em Seine-et-Marne, a cerca de 40 km a nordeste de Paris, informou nesta sexta-feira (9) o jornal francês 'Le Figaro'. Os suspeitos estão sendo perseguidos pelas forças de segurança francesas Reprodução/ Google Maps Mais

9.jan.2015 - Policiais trabalham na retirada de crianças de uma escola em Dammartin-en-Goele, a nordeste de Paris, na França. Várias escolas estão sendo evacuadas na região onde os suspeitos do massacre contra a revista "Charlie Hebdo" estariam mantendo refém Peter Dejong/AP Mais

9.jan.2015 - A polícia francesa reforça a segurança em frente a uma mesquita em Paris, após o atentado à revista "Charlie Hebdo", que deixou 12 mortos na quarta-feira (7). A polícia francesa realiza um cerco a um local em Dammartin-en-Goële, a cerca de 40 km de Paris, onde os suspeitos do ataque estariam escondidos Michel Euler/AP Mais

9.jan.2015 - Fumaça sobe de um edifício em Dammartin-en-Goële, na França. A polícia francesa invadiu o local onde estão os irmãos suspeitos pelo atentado da última quarta-feira (7) à revista "Charlie Hebdo", que terminou com 12 mortos. Fortes explosões foram ouvidas no local e era possível ver uma coluna de fumaça nas imagens da BFM-TV Joel Saget/AFP Mais

9.jan.2015 - O veículo guiado pelos dois irmãos suspeitos de matar 12 pessoas durante ataque terrorista na sede da publicação satírica francesa "Charlie Hebdo" é rebocado em rodovia entre Montagny-Sainte-Felicite e Baron, no nordeste de Paris, após ser encontrado em uma floresta próxima, nesta sexta-feira (9). Os irmãos suspeitos de serem os autores do ataque à revista foram mortos quando a polícia invadiu o prédio onde estavam escondidos. Uma pessoa era feita refém, mas foi libertada ilesa Perrine Verschmelden/AFP Mais

9.jan.2015 - Policiais cercam mercado judaico no leste de Paris, onde um sequestrador mantinha reféns desde a manhã desta sexta-feira (9). O homem foi morto depois que a polícia invadiu o local. Quatro reféns também morreram, antes da entrada dos policiais, segundo as autoridades francesas Michel Euler/AP Mais

9.jan.2015 - Explosão é avistada dentro de um mercado judaico no bairro de Vincennes, em Paris, durante operação de resgate realizada nesta sexta-feira (9). Policiais invadiram o local onde o suspeito de ter assassinado uma policial mantinha reféns desde a manhã. O homem foi morto pela polícia. Quatro reféns morreram - segundo as autoridades francesas, ele foram mortos antes da entrada dos policiais Gabrielle Chatelain/AFP Mais

9.jan.2015 - A polícia francesa prendeu jovens em uma moto quando eles se aproximavam de um mercado kosher (judaico) onde sequestradores mantinham reféns no leste de Paris nesta sexta-feira (9). Segundo a imprensa local, o sequestrador seria o mesmo que matou uma policial e feriu um funcionário da limpeza em Montrouge, no sul de Paris, na quinta-feira Youssef Boudlal/Reuters Mais

9.jan.2015 - A polícia francesa divulgou nesta sexta-feira (9) imagens de Amedy Coulibaly, 32, e sua namorada Hayat Boumeddiene, 26, suspeitos de participar de um sequestro a um mercado kosher (judaico), no leste de Paris. Segundo a imprensa local, o suspeito é o mesmo que matou uma policial e feriu um funcionário da limpeza em Montrouge, no sul da França, na quinta-feira (8) AFP Mais

10.dez.2015 - Foto divulgada pelo jornal "Le Monde" mostra o casal Amedy Coulibaly, 32, e Hayat Boumeddiene, 26, que estão ligados às ações terroristas ocorridas nos últimos três dias na França, de acordo com a polícia. Coulibaly era o sequestrador que tomou reféns em um mercado judaico em Porte de Vincennes, e depois foi morto pelos policiais. Ele é suspeito de ter matado uma policial e quatro reféns. As forças de segurança francesas estão procurando Hayat Boumeddiene, que teria deixado o país antes dos ataques e ido para a Síria Reprodução/ Le Monde Mais

Um homem que seria Amedy Coulibaly, o jihadista que na sexta-feira (9) tomou vários reféns em um supermercado judaico de Paris, reivindica o ataque que tirou a vida de uma policial na quinta-feira (8) e alega ser membro do Estado Islâmico, em um vídeo póstumo postado neste domingo na internet. O homem olha para a câmera e diz ter agido "contra a polícia", enquanto uma legenda o identifica como Coulibaly. "Chegamos de forma sincronizada para sair ao mesmo tempo", afirma o homem, referindo-se aos irmãos Kouachi, que atacaram a revista "Charlie Hebdo", matando 12 pessoas AFP Mais

9.jan.2015 - Equipes de segurança retiram reféns que eram ameaçados por um sequestrador em um mercado judaico no leste de Paris nesta sexta-feira (9). O suspeito foi morto depois que a polícia invadiu o local, informa o jornal francês "Le Monde" Thomas Samson/AFP Mais

9.jan.2015 - Policiais socorrem reféns libertados de um sequestro a um mercado judaico em Paris, na França. Explosões e tiros foram ouvidos quando forças de segurança invadiram o local e mataram o sequestrador. Quatro reféns morreram durante a operação de resgate Michel Euler/AP Mais

9.jan.2015 - Policiais técnicos coletam evidências em um mercado judaico próximo a Porte de Vincennes, no leste de Paris, nesta sexta-feira (9). O local foi cenário de um sequestro desde a manhã do dia, até que policiais invadiram o local e mataram o sequestrador. Quatro reféns também morreram, antes da entrada da polícia Eric Feferberg/AFP Mais

10.jan. 2015 - Foto cedida pela família mostra Yoav Hattab, 21, que morreu no sequestro em uma loja judaica em Paris, na última sexta-feira (9). Ele e mais três pessoas foram mortas pelo jihadista Amedy Coulibaly, 32, que entrou no mercado atirando nos clientes e depois manteve uma dezena de pessoas reféns. Agentes de elite franceses invadiram o local e mataram o sequestrador Arquivo pessoal/AFP Mais

10.jan. 2015 - Foto cedida pela família mostra François-Michel Saada, que morreu no sequestro em uma loja judaica em Paris, na última sexta-feira (9). Ele e mais três pessoas foram mortas pelo jihadista Amedy Coulibaly, 32, que entrou no mercado atirando nos clientes e depois manteve uma dezena de pessoas reféns. Agentes de elite franceses invadiram o local e mataram o sequestrador Arquivo pessoal/AFP Mais

10.jan. 2015 - Foto cedida pela família mostra o professor Philippe Braham, que morreu no sequestro em uma loja judaica em Paris, na última sexta-feira (9). Ele e mais três pessoas foram mortas pelo jihadista Amedy Coulibaly, 32, que entrou no mercado atirando nos clientes e depois manteve uma dezena de pessoas reféns. Agentes de elite franceses invadiram o local e mataram o sequestrador Arquivo pessoal/AFP Mais

10.jan. 2015 - Foto cedida pela família mostra Yohan Cohen, 22, que morreu no sequestro em uma loja judaica em Paris, na última sexta-feira (9). Ele e mais três pessoas foram mortas pelo jihadista Amedy Coulibaly, 32, que entrou no mercado atirando nos clientes e depois manteve uma dezena de pessoas reféns. Agentes de elite franceses invadiram o local e mataram o sequestrador Arquivo pessoal/AFP Mais

9.jan.2015 - A reunião de pauta da publicação satírica "Charlie Hebdo" aconteceu nesta sexta-feira (9) na sede do periódico francês "Libération". O "jornal de sobreviventes", como os próprios jornalistas se referem após o ataque à redação na última quarta-feira (7), será lançado na próxima quarta-feira (14) com tiragem de mais de um milhão de exemplares. Apesar da dor e do horror da tragédia que dizimou parte da equipe da revista semanal, os sobreviventes da "Charlie Hebdo" vão retomar o trabalho para "dar à luz" oito páginas Bertrand Guay/AFP Mais

9.jan.2015 - Os sobreviventes da revista semanal satírica "Charlie Hebdo" ocuparam uma sala no prédio do periódico "Libération", em Paris, nesta sexta-feira (9), após ataque terrorista ao escritório da revista, que matou 12 pessoas. Eles preparam uma nova edição da publicação que sairá na próxima quarta-feira (14) e terá um milhão de exemplares Reprodução/Twitter/@Will_ld Mais

9.jan.2015 - A frase "Paris est Charlie" (Paris é Charlie) é projetada no Arco do Triunfo, em Paris, em homenagem aos mortos no ataque à revista satírica "Charlie Hebdo", realizado na última quarta-feira (7). A publicação era famosa por suas charges satirizando assuntos políticos, econômicos e cotidianos, incluindo o profeta Maomé, assim como outros símbolos e personagens religiosos. Três atacantes invadiram a redação e mataram 12 pessoas, incluindo cartunistas, funcionários e policiais. Nesta sexta-feira (9), duas operações terminaram com a morte de três terroristas, que mantinham reféns em dois pontos distintos nos arredores de Paris. Entre eles, os irmãos suspeitos pelo ataque à revista "Charlie Hebdo" Instagram/sylvqin Mais

9.jan.2015 - Com a bandeira francesa a meio mastro no Palais du Rhin, uma mulher acende velas no gramado formando a frase "Eu sou Charlie", que se tornou lema das homenagens aos mortos no ataque à revista "Charlie Hebdo", na França. O ato foi realizado durante reunião organizada pelos conselhos regionais da fé muçulmana, próximo ao Memorial da Guerra, na Praça da República, em Strasbourg, no leste do país, em homenagem às vitimas do ataque terrorista à revista satírica semanal "Charlie Hebdo", que deixou 12 mortos Patrick Hertzog/AFP Mais

9.jan.2015 - Um homem muçulmano segura um cartaz com os dizeres "não em meu nome" (tradução do francês) durante ato próximo à mesquita de Saint-Etienne, no leste da França, nesta sexta-feira (9), após ataque terrorista à revista satírica semanal "Charlie Hebdo", que deixou 12 mortos Jean-Philippe Ksiazek/AFP Mais

9.jan.2015 - Manifestante segura um cartaz com os dizeres "eu sou marroquino, mas também sou Charlie" durante ato diante do prédio da agência France Press, em Rabat, no Marrocos, nesta sexta-feira (9). A frase "Eu sou Charlie" tomou as redes sociais e se tornou um manifesto em homenagem aos 12 mortos no ataque à redação da revista satírica e um lema pela resistência contra os ataques ao direito de expressão Abdeljalil Bounhar/AP Mais

9.jan.2015 - Menina marroquina segura uma cartaz com os dizeres "eu sou Charlie", frase cunhada em homenagem aos mortos durante um ataque à revista semanal "Charlie Hebdo", durante um ato diante do prédio da agência France Press, em Rabat, no Marrocos, nesta sexta-feira (9) Abdeljalil Bounhar/AP Mais

9.jan.2015 - Manifestantes seguram lápis e cartazes com os dizeres "eu sou Charlie" e "liberdade, igualdade, fraternidade e laicidade" do lado de fora do consulado da França, em Barcelona, na Espanha, nesta sexta-feira (9), durante homenagem às vitimas do ataque terrorista à revista semanal satírica "Charlie Hebdo", em Paris, que deixou 12 pessoas mortas Josep Lago/AFP Mais

9.jan.2015 - Manifestantes se reúnem em uma vigília do lado de fora do Instituto Francês em Londres (Inglaterra), nesta sexta-feira (9), em homenagem às 12 vítimas do ataque à revista semanal satírica "Charlie Hebdo", em Paris. A frase "eu sou Charlie" se transformou em tributo e lema de resistência Justin Tallis/AFP Mais

9.jan.2015 - Manifestantes erguem lápis durante vigília do lado de fora do Instituto Francês em Londres (Inglaterra), nesta sexta-feira (9), em homenagem às 12 vítimas do ataque à revista semanal satírica "Charlie Hebdo", em Paris Justin Tallis/AFP Mais

10.jan.2015 - Cerca de 23 mil pessoas fazem, neste sábado (10), passeata em Nice, na França, em memória das vítimas do atentado terrorista contra a revista "Charlie Hebdo". Outras manifestações, com milhares de pessoas, foram registradas em todo o país. Em Pau, no sudoeste do país, ao menos 30 mil pessoas realizaram uma passeata silenciosa. Na região de Orleans, centro francês, mais de 20 mil se reuniram em repúdio aos atos de terrorismo Valery Rache/AFP Mais

10.jan.2015 - Milhares de pessoas no antigo porto de Marselha prestam homenagens às vítimas dos ataques terroristas ocorridos na França, que mataram 17 pessoas. Em todo o país, cerca de 700 mil pessoas se manifestaram, neste sábado, em várias cidades da França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques jihadistas desta semana em Paris, anunciou o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve Claude Paris/AP Mais

10.jan.2015 - Centenas de pessoas se juntam em passeata em Nantes, na França, para lembrar os atentados terroristas no país nesta semana. Em todo o território francês, vários atos contra a violência marcaram o sábado (10) Jean-Sebastien Evrard/AFP Mais

10.jan.2015 - Segurança é reforçada na torre Eiffel, um dos principais cartões-postais de Paris, neste sábado (10), após série de atentados terroristas na França nos últimos dias. O governo francês anunciou que irá manter o nível de alerta máximo no país em razão das manifestações marcadas para domingo Eric Gaillard/Reuters Mais

11.jan.2015 - A polícia francesa reforça a segurança na região central de Paris, onde está prevista a realização de uma manifestação contra os atentados terroristas no país nos últimos dias. Estima-se que a marcha tenha a participação de cerca de 1 milhão de pessoas. Autoridades estrangeiras, como o primeiro-ministro britânico, David Cameron, e a chanceler alemã, Angela Merkel, devem participar da manifestação Joel Saget/AFP Mais

10.jan.2015 - Em Marselha, milhares de pessoas se reúnem neste sábado (10) em marcha em memória das vítimas do atentado contra a revista "Charlie Hebdo", cena que se repete em várias cidades do país. Para a manifestação de domingo, o governo francês prepara um forte esquema de segurança. Autoridades de outros países confirmaram presença no evento Sebastien Nogier/EFE Mais

10.jan.2015 - Em Lille, na França, manifestante carrega uma placa com os dizeres "somos todos Charlie" em passeata neste sábado (10). Cerca de 700 mil pessoas têm participado de manifestações em memória das vítimas do atentado contra a revista 'Charlie Hebdo', ocorrido na última quarta-feira (7) Denis Charlet/AFP Mais

10.jan.2015 - As ruas de Toulouse reuniram cerca de 80 mil pessoas neste sábado em homenagens às vítimas dos atentados terroristas na França. Na foto, manifestante mostra placa com a palavra 'judeu' dentro de um alvo; ao lado, uma cópia de uma capa da revista 'Charlie Hebdo'. Estima-se que cerca de 200 mil pessoas tenham participado de atos em todo o território francês Pascal Pavani/AFP Mais

10.jan.2015 - Cachorro usa capacete com a frase ''Je suis Charlie'' ("eu sou Charlie") durante passeata em Marselha, em que milhares de pessoas prestaram homenagens às vítimas dos ataques terroristas na França. Em todo o país, cerca de 700 mil pessoas se manifestaram, neste sábado, em várias cidades da França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques jihadistas desta semana em Paris, anunciou o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve Boris Horvat/AFP Mais

10.jan.2015 - Em Lille, pessoas carregam faixa com os dizeres ''Je suis Charlie'' (Eu sou Charlie) para homenagear as vítimas da chacina na revista ''Charlie Hebdo''. Em todo o país, cerca de 700 mil pessoas se manifestaram, neste sábado, em várias cidades da França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques jihadistas desta semana em Paris, anunciou o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve Denis Charlet/AFP Mais

10.jan.2015 - Pessoas em Marselha seguram cartazes em francês e em árabe com os dizeres ''Je suis Charlie'' ("eu sou Charlie") para homenagear as vítimas da chacina na revista ''Charlie Hebdo''. Em todo o país, cerca de 700 mil pessoas se manifestaram, neste sábado, em várias cidades da França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques jihadistas desta semana em Paris, anunciou o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve Boris Horvat/AFP Mais

10.jan.2015 - Cartunistas participaram neste sábado, na Praça das Artes em São Paulo do ato "Somos Todos Charlie" em homenagem às vítimas do atentado à revista "Charlie Hebdo" que matou 12 pessoas em Paris no último dia 7. A manifestação foi uma iniciativa do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo e da Associação dos Quadrinistas e Caricaturistas Fernando Pereira/ Secom Mais

10.jan.2015 - Ato em defesa da paz e em homenagem às vítimas do atentado terrorista contra a revista "Charlie Hebdo" é realizado na Praça das Artes, no centro de São Paulo, neste sábado (10). Vários cartunistas, entre eles Laerte e Orlando, estiveram no evento e fazem desenhos sobre o tema na presença do público Vilmar Bannach/Futura Press/Estadão Conteúdo Mais

10.jan.2015 - Um cartaz com charge do cartunista francês Plantu é visto entre outras homenagens à equipe da revista satírica "Charlie Hebdo" em monumento da praça da República em Paris, neste sábado (10). Um ataque à redação na última quarta-feira (7) deixou 12 mortos, incluindo alguns dos mais famosos cartunistas da França. Houve ainda dois sequestros que terminaram com outras cinco vítimas, além da morte dos três sequestradores, incluindo os irmãos suspeitos pelo ataque à revista Youssef Boudal/Reuters Mais

10.jan.2015 - Torcedores do Lille seguram seus cachecois e cartaz com os dizeres "LOSC é Charlie", durante minuto de silêncio feito antes da partida entre Lille e Caen no estádio Pierre Mauroy, em Villeneuve-d'Ascq, norte da França. Antes do jogo, os torcedores se calaram em memória das vítimas de três dias de terror que começaram com o ataque à redação da revista satírica "Charlie Hebdo" na última quarta-feira (7) Denis Charlet/AFP Mais

10.jan.2015 - O menino Martin Adams segura um lápis durante manifestação neste sábado (10) em Washington Square, em Nova York, EUA, em favor da liberdade de expressão. Os manifestantes também fizeram minuto de silêncio pelos mortos em três dias de violência na França. Cartazes com a frase "eu sou Charlie", slogan adotado em todo mundo após o ataque à revista "Charlie Hebdo", também podem ser vistos em Nova York Shoun A. Hill/AP Mais

10.jan.2015 - Uma projeção no alto do Arco do Triunfo traz a frase "Paris é Charlie", em solidariedade às vítimas do atentado terrorista à redação da revista semanal "Charlie Hebdo", ocorrida na última quarta-feira (7). A França espera uma grande mobilização para uma marcha pela liberdade de expressão neste domingo, que contará inclusive com a presença de chefes de Estado, como a chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro britânico David Cameron Peter Dejong/AP Mais

11.jan.2015- Homem se fantasia de estátua da Liberdade e segura a bandeira francesa na praça da República, em Paris, onde deve acontecer, neste domingo, uma marcha em memória das vítimas dos atentados terroristas na França. Cerca de um milhão de pessoas e autoridades estrangeiras são esperadas na manifestação Joel Saget/AFP Mais

11.jan.2015 - Canetas, lápis e velas são deixadas no memorial às vítimas dos atentados na França na praça da República, em Paris. No local, deve acontecer a concentração, neste domingo, para a marcha contra o terrorismo. Cerca de 1 milhão de pessoas e autoridades de diversos países são esperadas para participar do ato Joel Saget/AFP Mais

11.jan.2015 - A sede de um jornal alemão, localizado na cidade de Hamburgo, foi atacada na madrugada deste domingo. O "Morgenpost" republicou charges sobre Maomé da revista francesa "Charlie Hebdo". Em um artigo publicado na internet, o "Morgenpost" afirmou que ainda não é possível estabelecer se a tentativa de incêndio está ligada à publicação do conteúdo da "Charlie Hebdo" Bodo Marks/AFP Mais

11.jan.2015 - Cresce a quantidade de manifestantes concentrados na praça da República, em Paris, para ato contra os atentados terroristas na França. A expectativa é que mais de 1 milhão de pessoas concentrem-se na capital francesa Bertrand Guay/AFP Mais

11.jan.2015 - Praça da República, em Paris, foi tomada por manifestantes neste domingo (11) em ato contra os atentados terroristas na França. Estima-se que 1 milhão de pessoas participem do protesto Peter Dejon/AP Mais

11.jan.2015 - Imagem aérea mostra a praça da República, em Paris, tomada por uma multidão em ato contra os atentados terroristas na França. Estima-se que cerca de 1 milhão de pessoas estejam na região central da capital francesa Kenzo Tribouillard/AFP Mais

11.jan.2015 - Grupo lidera marcha em manifestação contra os atentados terroristas na França pelas ruas de Paris neste domingo. As autoridades estimam em mais de 1 milhão o público que participa do ato Kenzo Tribouillard/AFP Mais

11.jan.2015 - Casal observa, do alto de um prédio em Paris, a multidão que se concentra para ato contra os atentados terroristas na França. Cerca de 1 milhão de pessoas estão na região da praça da República, na capital francesa Peter Dejong/AP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes sobem em monumento na praça da Bastilha, em Paris, neste domingo, durante a "Marcha Republicana" contra os atentados terroristas na França. Estima-se que mais de 1 milhão de pessoas estejam participando do protesto na capital francesa Joel Saget/AFP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes sobem em monumento na praça da República, em Paris, durante marcha contra os atentados terroristas na França. Cerca de 1 milhão de pessoas devem se reunir no local Loic Venace/AFP Mais

11.jan.2015 - O presidente francês, François Hollande, recepciona o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, no Palácio do Eliseu, sede do governo da França, para manifestação neste domingo, em Paris. Cerca de um milhão de pessoas e autoridades de todo o mundo são esperadas em ato contra os atentados terroristas na França Dominique Faget/AFP Mais

11.jan.2015- O presidente francês, François Hollande, recepciona a chanceler alemã, Angela Merkel, que participa, neste domingo, do ato em memória das vítimas do atentados terroristas na França. A previsão é que 1 milhão de pessoas e autoridades de todo o mundo estejam presentes na manifestação Dominique Faget/AFP Mais

11.jan.2015 - Atual presidente francês, François Hollande, recebe seu antecessor, Nicolas Sarkozy, no palácio do Eliseu, antes de seguir para a manifestação em memória das vítimas dos atentados terroristas no país. Na última semana, 17 pessoas morreram em três ataques que teriam sido cometidos por extremistas islâmicos Dominique Faget/AFP Mais

11.jan.2015- Acompanhado da chanceler alemã Angela Merkel e de dezenas de outros políticos estrangeiros, o presidente francês, François Hollande, participa da manifestação contra os atentados terroristas na França, realizada, neste domingo, na praça da República, em Paris Patrick Kovarik/AFP Mais

11.jan.2015 - Liderados pelo presidente francês, François Hollande (de óculos, ao centro), líderes mundiais marcham em manifestação contra os atentados terroristas na França. Entre as autoridades, estão a chanceler alemã, Angela Merkel; o presidente palestino, Mahmoud Abbas; e o premiê israelense, Benjamin Netanyahu. O ato acontece na praça da República, região central de Paris Eric Feferberg/AP Mais

11.jan.2015 - O presidente francês François Hollande (de óculos) conforta Patrick Pelloux, colunista da revista "Charlie Hebdo", enquanto participam da ''Marcha Republicana'' pelas ruas de Paris. A manifestação contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão reuniu mais de 1 milhão de pessoas na capital francesa Philippe Wojazer/AP Mais

11.jan.2015 - A diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, é vista de costas com um cartaz em que se lê "eu sou Charlie", a frase que se tornou símbolo das manifestações contra os atentados terroristas na França, ao participar de um ato em apoio à "Marcha Republicana" em Washington, EUA. Somente na França, cerca de 4 milhões de pessoas saíram às ruas para se manifestar contra os atentados e para lembrar os mortos nos ataques Gabriella Demczuk/Getty Images/AFP Mais

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, foram ovacionados ao entrarem na Grande Sinagoga de Paris, neste domingo. Os dois líderes participaram de uma cerimônia em homenagem a ''todas as vítimas'' dos atentados de Paris, entre elas quatro judeus que teriam sido mortos na sexta-feira (9) pelo jihadista Amedy Coulibaly Matthieu Alexandre/AFP Mais

11.jan.2015 - Cerca de 30 mil pessoas participaram da "Marcha Republicana" no porto de Brest, no oeste da França. Acima, menina levanta o braço à frente de um cartaz com a frase ''não'' em repúdio aos ataques terroristas que deixaram 17 mortos no país na última semana Fred Tanneau/AFP Mais

11.jan.2015 - Cerca de 60 mil pessoas participam da ''Marcha Republicana'' em Marselha, no sul da França, em tributo aos 17 mortos em atentados terroristas no país. Manifestações aconteceram em várias cidades da França e também em outros países como forma de protesto aos ataques terroristas e para honrar a memória das vítimas Anne-Christine Poujoulat/AFP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes em Paris carregam um cartaz com a frase ''Medroso, Covarde e Apavorado'', no topo, e abaixo, ''Eles não se esconderam. Eles não correram'', em referência aos cartunistas e jornalistas mortos no ataque à redação da revista "Charlie Hebdo" na última semana. Mais de 1 milhão de pessoas saíram às ruas da capital francesa em protesto contra o terrorismo e pela liberdade de expressão Charles Platiau/Reuters Mais

11.jan.2015 - Em Saint Etienne, na França, moradores participaram da ''Marcha Republicana'' em homenagem às 17 vítimas dos atentados terroristas no país. No cartaz, a frase diz: ''Onde está Charlie? Ele não se esconde, está em todos os lugares'' Xinhua/Panoramic/Zumapress Mais

11.jan.2015 - Soldado monta guarda em Beirute, no Líbano, diante de pessoas que carregam cartazes contra o terrorismo e em solidariedade às vítimas dos atentados na França. Um dos cartazes diz ''Eu penso, logo desenho #EuSouCharlie'' Jamal Saidi/Reuters Mais

11.jan.2015 - Cartazes durante a ''Marcha Republicana'' dizem ''Charlie somos nós'' e ''As religiões estão unidas contra o ódio'' são fotografados na capital francesa, onde mais de 1 milhão de pessoas participaram do ato contra o terrorismo Charles Platiau/Reuters Mais

11.jan.2015 - Durante a ''Marcha Republicana'' em Paris, cidadãos parisienses seguram painel com os olhos de Charb, apelido de Stephane Charbonnier, editor da revista ''Charlie Hebdo'', morto em um atentado terrorista à publicação na última semana. Mais 16 pessoas foram vítimas de ataques Charles Platiau/Reuters Mais

11.jan.2015 - Manifestantes seguram um lápis gigante com os dizeres ''Sem medo'' na praça da República, em Paris, durante a ''Marcha Republicana''. Na capital francesa, mais de 1 milhão de pessoas saíram às ruas para protestar contra o terrorismo e defender a liberdade de expressão. Cerca de 4 milhões de pessoas participaram do ato contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão em todo o país Joel Saget/AFP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes seguram cartaz com os dizeres ''Rápido: mais democracia em todo lugar contra a barbárie'' na praça da República, em Paris, durante a ''Marcha Republicana''. Cerca de 4 milhões de pessoas participaram do ato contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão em todo o país Joel Saget/AFP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes seguram cartazes que dizem ''Somos Charlie'' na praça da República, em Paris, durante a ''Marcha Republicana''. A frase "eu sou Charlie" e outras que derivaram dela têm sido usadas por manifestantes para expressar repúdio pelas mortes no ataque à revista "Charlie Hebdo" na última semana. Cerca de 4 milhões de pessoas participaram do ato contra o terrorismo e a favor da liberdade de expressão em todo o país Ian Langsdon/EFE/EPA Mais

11.jan.2015 - Manifestante traz o rosto pintado com a frase ''Je suis Charlie'' ("eu sou Charlie"), durante a ''Marcha Republicana'' em Paris, que reuniu mais de 1 milhão de pessoas somente na capital francesa. No país cerca de 4 milhões saíram às ruas em protesto contra o terrorismo e em favor da liberdade de expressão Pascal Pochard-Casabianca/AFP Mais

11.jan.2015 - Manifestantes ocupam a praça da Nação neste domingo durante a "Marcha Republicana", que homenageou os 17 mortos nos atentados terroristas na França. Os ataques começaram no dia 7 de janeiro com a invasão do escritório da revista satírica "Charlie Hebdo", em Paris, que terminou com 12 mortos e foi seguido de dois sequestros nos dias seguintes Loic Venance/AFP Mais

11.jan.2015 - Atores Joshua Jackson e Diane Kruger posam para foto na premiação anual do Globo de Ouro em Beverly Hills, Califórnia (EUA), com o cartaz ''Je suis Charlie'' ("Somos Charlie"), frase que representa as homenagens às vítimas dos atentados terroristas na França Jordan Strauss/Invision/AP Mais

11.jan.2015 - O ator americano George Clooney e sua mulher, a advogada Amal, chegam neste domingo (11) para o Globo de Ouro, em Beverly Hills, na California. Clooney usava um acessório com a frase "eu sou Charlie", que se tornou lema de resistência após o ataque à revista satírica "Charlie Hebdo", na França. Neste domingo, manifestantes em várias cidades do mundo todo fizeram homenagem aos 17 mortos nos atentados e deram apoio à "Marcha Republicana", que movimentou 4 milhões na França Danny Moloshok/Reuters Mais

11.jan.2015 - O topo do Empire State Building ganhou as cores da bandeira francesa (foto à esq.) antes de ter as luzes apagadas (à dir.) em homenagem às vítimas do ataque à revista francesa "Charlie Hebdo", em Nova York, EUA, na noite deste domingo (11) Carlo Allegri/ Reuters Mais

12.jan.2015 - Bandeira francesa é vista pendurada na estátua "Le Triunfo de la Republique" (Triunfo da República, em livre tradução), nesta segunda-feira, um dia depois da "Marcha Republicana", que reuniu mais de 4 milhões de pessoas para homenagear os 17 mortos nos atentados terroristas na França, além de protestar contra o terrorismo e em defesa da liberdade de expressão Joel Saget/AFP Mais

12.jan.2015 - Franceses enfeitam com flores o memorial improvisado em frente ao escritório da revista "Charlie Hebdo" nesta segunda-feira (12) em Paris, na França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques terroristas. Após os atentados, mais de 50 atos antimuçulmanos foram registrados pela França, de acordo com o Observatório contra a Islamofobia do Conselho Francês de Culto Muçulmano (CFCM), que pediu ao Estado que reforce a vigilância das mesquitas. Segundo o presidente deste órgão, Abdullah Zekri, desde quarta-feira (7) passada foram contabilizadas 21 ações (disparos, lançamentos de granadas, etc.) e 33 ameaças (cartas, insultos, etc.) Bertrand Guay/ AFP Mais

12.jan.2015 - Franceses enfeitam com flores o memorial improvisado em frente ao escritório da revista "Charlie Hebdo" nesta segunda-feira (12) em Paris, na França, em homenagem às 17 vítimas dos ataques terroristas. Desde o atentado jihadista à sede da revista satírica no dia 7 de janeiro, mais de 50 atos antimuçulmanos foram registrados pela França, de acordo com o Observatório contra a Islamofobia do Conselho Francês de Culto Muçulmano (CFCM), que pediu ao Estado que reforce a vigilância das mesquitas. Segundo o presidente deste órgão, Abdullah Zekri, nesse período foram contabilizadas 21 ações (disparos, lançamentos de granadas, etc.) e 33 ameaças (cartas, insultos, etc.) Joel Saget/ AFP Mais

12.jan.2015 - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, prestou homenagens nesta segunda-feira (12) no supermercado de produtos judaicos em Paris, onde quatro judeus foram mortos na última sexta-feira (9) durante sequestro organizado por um extremista islâmico. Aclamado aos gritos de "Bibi, Bibi", seu apelido, o dirigente israelense chegou cercado por um forte esquema de segurança. Ele se inclinou ante as flores depositadas em frente à loja e também acendeu uma vela. Logo depois Netanyahu foi cumprimentado por algumas pessoas, que chegaram a cantar o hino francês Francois Mori/AP Mais

12.jan.2015 - As forças de segurança da França ficam de guarda nesta segunda-feira (12) no supermercado de Paris onde quatro reféns foram mortos durante ataques pouco antes da visita do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, ao local. Netanyahu elogiou no domingo (11) a "posição bastante firme" tomada pelos líderes franceses contra o que chamou de "novo antissemitismo e terrorismo" no país. "Nosso inimigo comum é o islã extremista e radical, e não o islã comum", ressaltou, pouco depois de se juntar a outros líderes internacionais na grande marcha pela unidade, que reuniu cerca de 1,6 milhão de pessoas nas ruas da capital francesa, segundo organizadores Francois Mori/ AP Mais

12.jan.2015 - Buracos feitos por tiros podia ser vistos nesta segunda-feira (12) nas portas do supermercado judaico Hyper Casher em Paris, na França, onde quatro reféns foram mortos na última sexta-feira (9) durante sequestro organizado por um extremista islâmico. Escolas judaicas e sinagogas na França pediram proteção extra, até do Exército, após os assassinatos cometidos por militantes islâmicos na semana passada Charles Platiau/ Reuters Mais

12.jan.2015 - Membro do Parlamento Europeu, Janusz Korwin-Mikke, exibe o cartaz "Não sou Charlie, sou a favor da pena de morte" na tela de seu computador, em Estrasburgo, na França, nesta segunda-feira (12), durante um debate sobre os atentados terroristas da semana passada. Os ataques começaram no dia 7 de janeiro com a invasão do escritório da revista satírica "Charlie Hebdo", em Paris, que terminou com 12 mortos. Outras cinco pessoas foram vítimas de ataques terroristas Vincent Kessler/Reuters Mais

12.jan.2015 - Multidão participa de protesto contrário ao movimento de extrema direita Pegida (sigla em alemão para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente"), nesta segunda-feira, em Düsseldorf, na Alemanha. A chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu discursaram, em Berlim, contra o terrorismo e a xenofobia, na sequência dos atentados em Paris e do 'boom' do movimento Pegida na Alemanha Federico Gambarini/DPA/AFP Mais

12.jan.2015 - Multidão participa de protesto a favor do grupo de extrema direita Pegida (sigla em alemão para "Europeus patriotas contra a islamização do Ocidente"), nesta segunda-feira, em Berlim, na Alemanha. A chanceler alemã Angela Merkel e o primeiro-ministro turco Ahmet Davutoglu discursaram, em Berlim, contra o terrorismo e a xenofobia, na sequência dos atentados em Paris e do 'boom' do movimento Pegida na Alemanha Bernd von Jutrczenka/DPA/AP Mais

12.jan.2015 - Imagem capturada no dia 2 de janeiro de um vídeo do circuito de vigilância do aeroporto Sabiha Gokcen, em Istambul, mostra Hayat Boumedienne, mulher do jihadista Amédy Coulibaly e suspeita de envolvimento nos atentados terroristas na França, passando pela imigração na Turquia. Segundo o governo turco, Hayat chegou a se hospedar na capital turca. De lá, ela teria atravessado a fronteira e seguido para a Síria. Hayat Boumedienne é procurada pelas autoridades franceses sob suspeita de ter ajudado a planejar os ataques com Coulibaly EFE Mais

13.jan.2015 - Cidadão francês Fritz-Joly Joachin, 29, espera por julgamento em Haskovo, na Bulgária. O país pretende extraditar o francês suspeito de saber ou de ter tido contato com um dos dois militantes islâmicos que mataram 12 pessoas no jornal satírico Charlie Hebdo na semana passada Reuters Mais

12.jan.2015 - O jornal "Libération", que hospeda a redação remanescente da revista "Charlie Hebdo", divulgou no Twitter a capa da próxima edição da publicação satírica. Nela está Maomé chorando e segurando um cartaz com a frase "Eu Sou Charlie", mote dos protestos em solidariedade às vítimas do atentado terrorista que matou 12 pessoas na redação da revista. O título diz: "Tudo é perdoado". O desenho, assinado pelo chargista Luz, foi obtido pela AFP. A revista terá tiragem de 3 milhões de exemplares e será traduzida para 16 idiomas Reprodução/Twitter/@libe Mais

12.jan.2015 - Quatro homens oram nesta segunda-feira (12) ao lado dos caixões das quatro vítimas judias que morreram durante o sequestro em um supermercado em Paris, na França, antes dos corpos serem repatriados para Israel. A capital francesa viveu três dias de terror na semana passada com ataques jihadistas que mataram 17 pessoas. Após os atentados, mais de 50 atos antimuçulmanos foram registrados pela França, de acordo com o Observatório contra a Islamofobia do Conselho Francês de Culto Muçulmano (CFCM), que pediu ao Estado que reforce a vigilância Handout/ Zaka/ EFE Mais

13.jan.2015 - Os corpos dos quatro judeus assassinados na sexta-feira passada em um atentado contra um mercado kosher de Paris chegaram a Israel, onde serão enterrados, informou uma fonte aeroportuária. As vítimas serão sepultadas no cemitério de Har Hamenouhot, o mesmo local de descanso de três crianças e seu professor mortos na França por outro jihadista, Mohamed Merah, em 2012 Kobi Gideon/HO/GPO/AFP Mais

13.jan.2015 - O presidente da França, François Hollande (à esq. tocando um dos caixões), participa na manhã desta terça-feira (13) de homenagem aos três policiais mortos durante os atentados terroristas ocorridos na semana passada em Paris: Franck Brinsolaro, Ahmed Merabet e Clarissa Jean-Philippe Reprodução/ Globo News Mais

13.jan.2015 - O presidente da França, François Hollande, participa na manhã desta terça-feira (13) de homenagem aos três policiais mortos durante os atentados terroristas ocorridos na semana passada em Paris: Franck Brinsolaro, Ahmed Merabet e Clarissa Jean-Philippe. Os três receberam o título de Cavaleiros da Legião de Honra "em nome da República francesa" Xinhua/Maxppp/Zuma Wire Mais

13.jan.2015 - O presidente da França, François Hollande, participa na manhã desta terça-feira (13) de homenagem aos três policiais mortos durante os atentados terroristas ocorridos na semana passada em Paris: Franck Brinsolaro, Ahmed Merabet e Clarissa Jean-Philippe. Os três receberam o título de Cavaleiros da Legião de Honra "em nome da República francesa" Francois Mori/AP Mais

13.jan.2015 - O presidente da França, François Hollande, participa na manhã desta terça-feira (13) de homenagem aos três policiais mortos durante os atentados terroristas ocorridos na semana passada em Paris: Franck Brinsolaro, Ahmed Merabet e Clarissa Jean-Philippe Patrick Kovarik/AFP Mais

13.jan.2015 - Policiais prestam homenagens, nesta terça-feira (13), aos colegas mortos durante os atentados terroristas ocorridos na semana passada em Paris: Franck Brinsolaro, Ahmed Merabet e Clarissa Jean-Philippe. Os três receberam o título de Cavaleiros da Legião de Honra "em nome da República francesa" Xinhua/Michael Bunel/NurPhoto/Zumapress Mais

13.jan.2015 - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu (direita), discursa perto dos corpos cobertos de Yohan Cohen, Yoav Hattab, Philippe Braham e François-Michel Saada, vítimas do ataque de sexta-feira (9) em uma mercearia de Paris, durante o funeral conjunto em Jerusalém Jim Hollander/Reuters Mais

13.jan.2015 - Mulheres choram durante o funeral das vítimas do ataque a um mercado kosher de Paris, nesta terça-feira (13), em Israel Jack Guez/AFP Mais

13.jan.2015 - A mãe do judeu francês Yoav Hattab, umas das vítimas do ataque a um mercado kosher de Paris, se emociona ao aproximar-se do caixão de seu filho antes do cortejo funerário nesta terça-feira (13), em Israel Nir Kafri/Reuters Mais

13.jan.2015 - A mãe e a irmã de Yoav Hattab, umas das vítimas do ataque a um mercado kosher de Paris, choram ao lado caixão antes do cortejo funerário nesta terça-feira (13), em Israel Nir Kafri/Reuters Mais

13.jan.2015 - Israelenses seguram cartazes, nesta terça-feira (13), durante o enterro das vítimas de um atentado a um supermercado judeu em Paris na semana passada. Milhares de pessoas se juntaram aos líderes israelenses e as famílias das quatro vítimas do ataque para uma procissão em Jerusalém Jim Hollander/AP Mais

13.jan.2015 - Flores foram colocadas no túmulo do policial assassinado Ahmed Merabet no cemitério islâmico de Bobigny, a leste de Paris, na França, nesta terça-feira (13). Merabet, um policial muçulmano francês, foi uma das vitimas do ataque terrorista que matou 12 pessoas na revista satírica "Charlie Hebdo". O policial foi morto quando já estava caído no chão por um dos irmãos Kouachi, após a chacina dentro do periódico Jacques Brinon/AP Mais

13.jan.2015 - A frase "Nous sommes tous Charlie" (Nós todos somos Charlie) em árabe e francês foi colocada na fachada do Instituto do Mundo Árabe, em Paris, na França, em homenagem às 17 vítimas de atentados terroristas que ocorreram no país Joel Saget/AFP Mais

13.jan.2015 - Funcionários empacotam a próxima edição da revista "Charlie Hebdo" que será distribuída na próxima quarta-feira (14), com uma tiragem de 3 milhões de exemplares e traduzida para 16 idiomas. A capa traz um desenho assinado pelo chargista Luz, que mostra Maomé chorando e segurando um cartaz com a frase "Eu Sou Charlie", a chamada de capa traz o título "Tudo está perdoado" Martin Bureau/AFP Mais

13.jan.2015 - Funcionários empacotam a próxima edição da revista "Charlie Hebdo" que será distribuída na próxima quarta-feira (14), com uma tiragem de 3 milhões de exemplares e traduzida para 16 idiomas. A capa traz um desenho assinado pelo chargista Luz, que mostra Maomé chorando e segurando um cartaz com a frase "Eu Sou Charlie", a chamada de capa traz o título "Tudo está perdoado" Martin Bureau/AFP Mais

13.jan.2015 - Paquistaneses marcham pelas ruas de Peshawar, nesta terça-feira (13), durante um protesto em solidariedade aos dois homens que atacaram o escritório da revista francesa "Charlie Hebdo" e mataram 12 pessoas na semana passada em Paris, na França. Os manifestantes homenageiam os responsáveis pelo ataque contra a revista que publicava charges com a imagem de Maomé e que foram mortos em ação da polícia francesa A Majeed/ AFP Mais

13.jan.2015 - A chanceler alemã, Angela Merkel, participou ao lado do presidente alemão, Joachim Gauck, de um ato em Berlim a favor da unidade nacional e contra a islamofobia convocado pelas associações muçulmanas após os atentados de Paris. Um dia após um novo recorde de participação em uma manifestação contra a imigração em Dresde, no leste da Alemanha, vários jornais citavam a frase pronunciada pela chefe de governo: "O Islã faz parte da Alemanha". Para Merkel, a mobilização enviará uma mensagem muito forte à sociedade sobre a coabitação pacífica de diferentes regiões no país John MacDougall/AP Mais

13.jan.2015 - População participa de protesto a favor da unidade nacional e contra a islamofobia convocado pelas associações muçulmanas após os atentados de Paris, nesta terça-feira (13), em Berlim, na Alemanha. A chanceler alemã, Angela Merkel, participou do evento ao lado do presidente alemão, Joachim Gauck. Um dia após um novo recorde de participação em uma manifestação contra a imigração em Dresde, no leste da Alemanha, vários jornais citavam a frase pronunciada pela chefe de governo: "O Islã faz parte da Alemanha". Para Merkel, a mobilização enviará uma mensagem muito forte à sociedade sobre a coabitação pacífica de diferentes regiões no país Kay Nietfeld/EFE Mais

13.jan.2015 - Milhares de pessoas participam de uma vigília organizada pelo Conselho Muçulmano Alemão em memória às vitimas dos ataques terroristas ocorridos na França, no portão de Brandenburgo, próximo à embaixada da França em Berlim, na Alemanha, nesta terça-feira (13) Markus Schreiber/AP Mais

13.jan.2015 - O novo editor-chefe da revista satírica francesa "Charlie Hebdo", Gerard Biard (à esquerda), e o colunista Patrick Pelloux (à direita) confortam o cartunista Luz durante uma coletiva de imprensa nesta terça-feira (13) em Paris, na França. A próxima edição da revista será distribuída nesta quarta-feira (14), com uma tiragem de 3 milhões de exemplares e traduzida para 16 idiomas. Na capa, um desenho assinado pelo chargista Luz traz Maomé chorando e segurando um cartaz com a frase "Eu Sou Charlie". A chamada de capa tem como título "Tudo está perdoado" Christophe Ena/AP Mais

13.jan.2015 - Em vídeo amador divulgado nesta terça-feira (13), os terroristas que atacaram a sede da revista "Charlie Hebdo" são vistos retornando para o carro, após o massacre que deixou 12 cartunistas e funcionários mortos, além de dois policiais. O ataque terrorista foi executado pelos irmãos militantes islâmicos Cherif e Said Kouachi Reuters TV/Reuters Mais

14.jan.2015 - Leitores disputam os primeiros exemplares da revista "Charlie Hebdo" que chegaram às bancas de Rennes, no oeste da França, nesta quarta-feira (14), a primeira depois do atentado terrorista que deixou 12 mortos na sede da publicação na semana passada. Em um gesto de desafio à intolerância religiosa, a edição traz na capa uma caricatura do profeta Maomé, o que trouxe preocupações de novos atos de violência no país. Em Paris, bancas de regiões centrais e turísticas venderam em poucos minutos todos os exemplares disponíveis da edição histórica David Vincent/AP Mais

14.jan.2015 - Um homem segura nesta quarta-feira (14) um exemplar da nova edição da revista "Charlie Hebdo", a primeira depois que dois homens invadiram o escritório da publicação na semana passada e mataram 12 pessoas, em Paris, na França. Em um gesto de desafio à intolerância religiosa, a edição traz na capa uma caricatura do profeta Maomé, o que trouxe preocupações de novos atos de violência no país Stephane Mahe/ Reuters Mais

14.jan.2015 - Uma mulher compra nesta quarta-feira (14) um exemplar da nova edição da revista "Charlie Hebdo", a primeira depois que dois homens invadiram o escritório da publicação na semana passada e mataram 12 pessoas, em Paris, na França. Este número, chamado "a edição dos sobreviventes", teve uma tiragem de 3 milhões de exemplares contra os 60 mil normalmente impressos, será traduzido para 16 idiomas e vendido em 25 países. Mesmo com o aumento no número exemplares, as bancas da França anunciaram que se esgotaram logo após o início das vendas, o que fez com que a distribuidora anunciasse uma nova tiragem de cinco milhões de revistas Bertrand Guay/ AFP Mais

14.jan.2015 - Clientes de banca no Boulevard Saint Germain, no 6º distrito de Paris, fazem fila para comprar edição do semanário "Charlie Hebdo" nesta quarta-feira (14) Gabriela Fujita/UOL Mais

14.jan.2015 - Dono de uma banca de jornal exibe nesta quarta-feira (14) a nova edição da revista satírica "Charlie Hebdo" em Roma, na Itália. A publicação desta quarta, a primeira após o ataque jihadista que matou parte da equipe da revista na semana passada, esgotou em minutos nas bancas da França. Este número, chamado "a edição dos sobreviventes", terá uma tiragem de cinco milhões de exemplares, dois milhões a mais do que o previsto anteriormente, anunciou hoje a distribuidora da publicação, a MLP Alberto Pizzoli/ AFP Mais

14.jan.2015 - Parisienses fazem fila diante de uma banca nesta quarta-feira (14) para comprar a nova edição da revista satírica "Charlie Hebdo". A publicação desta quarta, a primeira após o ataque jihadista que matou parte da equipe da revista na semana passada, esgotou em minutos nas bancas de toda a França. Este número, chamado "a edição dos sobreviventes", terá uma tiragem de cinco milhões de exemplares, dois milhões a mais do que o previsto anteriormente, anunciou hoje a distribuidora da publicação, a MLP Bertrand Guay/ AFP Mais

14.jan.2015 - Parisienses fazem fila diante de uma banca nesta quarta-feira (14) para comprar a nova edição da revista satírica "Charlie Hebdo". A publicação desta quarta, a primeira após o ataque jihadista que matou parte da equipe da revista na semana passada, esgotou em minutos nas bancas de toda a França. Em um gesto de desafio à intolerância religiosa, a edição traz na capa uma caricatura do profeta Maomé, o que trouxe preocupações de novos atos de violência no país Stephane Mahe/ Reuters Mais

14.jan.2015 - Uma placa com o sinal "esgotada" (em tradução livre do francês) é colocada em uma edição da revista "Charlie Hedbo" ao lado de uma banca nesta quarta-feira (14), logo após a última edição, a primeira após o atentado que matou parte da equipe da publicação na semana passada, ser colocada à venda. Para enfrentar a demanda, a revista vai ter uma tiragem de cinco milhões de exemplares, dois milhões a mais do que o previsto anteriormente, de acordo com a distribuidora da publicação, a MLP Pascal Guyot/ AFP Mais

14.jan.2015 - Um cartaz com o sinal "Charlie Hebdo esgotada" (em tradução livre do francês) é colocado em um poste ao lado de uma banca nesta quarta-feira (14), logo após a última edição da revista satírica, a primeira após o atentado que matou parte da equipe na semana passada, ser colocada à venda. Para enfrentar a demanda, a publicação vai ter uma tiragem de cinco milhões de exemplares, dois milhões a mais do que o previsto anteriormente, de acordo com a distribuidora da publicação, a MLP Phillipe Huguen/ AFP Mais

14.jan.2015 - Um exemplar da última edição da "Charlie Hebdo" é colocado entre os tributos em frente à sede da revista em Paris, na França. A revista esgotou em questão de minutos em quiosques de todo o país Joel Saget/AFP Mais

14.jan.2015 - Uma mulher folheia nesta quarta-feira (14) a última edição da revista "Charlie Hebdo" em Paris, na França. O primeiro número da publicação satírica vendido após ataque jihadista que matou parte da equipe na semana passada esgotou em minutos em bancas de toda a França Bertrand Guay/ AFP Mais

14.jan.2015 - O jornal turco "Cumhuriyet" divulgou nesta quarta-feira (14) trechos da primeira edição da revista francesa "Charlie Hebdo" após atentado que matou parte da equipe na semana passada. O Cumhuriyet, que se opõe fortemente ao presidente turco Recep Tayyip Erdogan, foi o único veículo impresso do país, de maioria muçulmana, a reproduzir uma seção especial de quatro páginas para as charges Bulent Kilic/ AFP Mais

14.jan.2015 - Cerca de 1.500 pessoas protestaram em Marawi, uma das principais cidades de maioria muçulmana das Filipinas, contra as charges do profeta Maomé publicadas na revista satírica francesa "Charlie Hebdo". Na imagem, jovem segura cartaz rosa no qual exige que a França peça desculpas pelas caricaturas Mark Navales/AFP Mais

14.jan.2015 - A Biblioteca Nacional, localizada em Brasília (DF), expõe trabalhos do cartunista Wolinski, morto no atentado contra a revista "Charlie Hebdo" em Paris no dia 7 de janeiro. São 20 trabalhos publicados na revista Grilo durante os anos 1970 Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais

14.jan.2015 - A Biblioteca Nacional, localizada em Brasília (DF), expõe trabalhos do cartunista Wolinski, morto no atentado contra a revista "Charlie Hebdo" em Paris no dia 7 de janeiro. São 20 trabalhos publicados na revista Grilo durante os anos 1970 Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais

14.jan.2015 - Visitante observa charges do cartunista Wolinski, morto no atentado contra a revista "Charlie Hebdo" em Paris no dia 7 de janeiro, durante exposição na Biblioteca Nacional, em Brasília (DF). São 20 trabalhos publicados na revista Grilo durante os anos 1970 Tânia Rêgo/Agência Brasil Mais

14.jan.2015 - A revista satírica "Charlie Hebdo" pede em seu site doações para "sobreviver". Na imagem, uma mensagem diz: "A liberdade é um direito de expressão. O Charlie Hebdo precisa de vocês para sobreviver" Reprodução Mais

14.jan.2015 - Soldados franceses patrulham a frente de uma escola judaica em Paris, na França. A ação faz parte do plano de segurança "Vigipirate" depois de ataques de militantes islâmicos na capital francesa. O governo enviou 10 mil soldados para as ruas, sendo quase metade para proteger escolas judaicas Thibault Camus/AP Mais

14.jan.2015 - Oficial patrulha a entrada do principal jornal turco Cumhuriyet que recebeu ameaças após dedicar quatro páginas à nova edição da revista francesa "Charlie Hebdo", em Istambul. O diário informou que a polícia turca realizou uma batida em sua gráfica na noite de terça-feira (13), mas que a distribuição do jornal foi permitida depois que os policiais tiveram certeza de que nenhuma charge envolvendo Maomé estava na seleção AP Mais

14.jan.2015 - O jornal britânico "Daily Mail" divulgou a primeira imagem do terrorista Amedy Coulibaly durante o sequestro de clientes em um mercado judeu em Paris, na França, no dia 9 de janeiro. Coulibaly matou quatro reféns e depois foi morto por oficiais durante a invasão do local pela polícia. Na imagem, Coulibaly está vestindo um colete à prova de balas e obriga refém a ficar contra a parede. O horário que aparece na gravação é de quase quatro horas antes de o terrorista ser morto Reprodução/Daily Mail Mais

14.jan.2015 - Vídeo de Nasser bin Ali al Ansi, líder da Al Qaeda no Iêmen, é exibido nas televisões em uma loja de eletrônicos em Sanaa. O grupo terrorista reivindicou o ataque à revista satírica "Charlie Hebdo", dizendo que foi encomendado pela liderança islâmica por insultar o profeta Maomé, de acordo com o vídeo postado no YouTube Khaled Abdullah/Reuters Mais

14.jan.2015 - O humorista francês Dieudonné, considerado por muitos como antissemita, foi detido por ter escrito em sua página no Facebook "se sentir Charlie Coulibaly", em referência a Amedy Coulibaly, que atacou um supermercado judaico em Paris na sexta-feira (9) e matou quatro pessoas. Coulibaly também havia matado uma policial municipal em 8 de janeiro em Montrouge, no sul da capital francesa Patrick Kovarik/AFP Mais

15.jan.2015 - O presidente francês, François Hollande, declarou nesta quinta-feira (15) que os muçulmanos são em todo o mundo "as primeiras vítimas do fanatismo" e da intolerância. A declaração aconteceu durante uma visita ao Instituto do Mundo Árabe, cuja sede às margens do Sena em Paris exibe a frase "Somos todos Charlie" em francês e árabe desde os atentados Ian Langsdon/Reuters Mais

15.jan.2015 - A professora de teatro Sarah Ghubara, 27, recebeu uma pedrada a caminho de um posto de saúde em São Paulo, onde tinha consulta médica. "Quando passei por um terreno baldio, ouvi a voz de um homem me chamando de muçulmana maldita. Alhamdulillah [graças a Deus] a pedra pegou na minha perna. Pelo impacto, se tivesse pegado na cabeça, teria feito um estrago". Após os atentados em Paris, muçulmanos do Brasil relataram sofrer insultos e agressões Anna Virginia Balloussier/Blog Religiosamente Mais

15.jan.2015 - Parentes de Franck Brinsolaro, o policial encarregado de proteger o editor da revista francesa "Charlie Hebdo", Stephane Charbonnier, e que morreu junto com o cartunista durante ataque ao escritório da publicação, carregam seu caixão para dentro da Igreja Sainte-Croix, onde acontece o funeral da vítima, nesta quinta-feira (15) em Bernay, na França Charly triballeau/ AFP Mais

15.jan.2015 - Uma mulher escreve uma mensagem no caixão do cartunista Bernard Verlhac, conhecido como Tignous, morto no dia 7 de janeiro, no atentado a revista francesa "Charlie Hebdo", durante o funeral na prefeitura Montreuil, perto de Paris. Na sexta-feira (16) será realizada uma homenagem ao desenhista Charb, diretor da revista, ma cidade de Pontoise, e ele será enterrado em uma cerimônia íntima Yoan Valat/EFE Mais

15.jan.2015 - Caixão do cartunista Bernard Verlhac, conhecido como Tignous, é carregado após uma homenagem na prefeitura Montreuil, perto de Paris. Verlhac foi morto no dia 7 de janeiro, no atentado a revista francesa "Charlie Hebdo". Durante o funeral, amigos se despediram fazendo desenhos no caixão do cartunista Philippe Wojazer/Reuters Mais

15.jan.2015 - Elsa Wolinski (centro), filha do cartunista francês da revista "Charlie Hebdo" Georges Wolinski, chora na chegada ao funeral do pai no cemitério Pere Lachaise, em Paris. Wolinski foi morto no dia 7 de janeiro, no atentado a publicação francesa Yoan Valat/EFE Mais

15.jan.2015 - Um carro fúnebre carrega o caixão com o corpo do cartunista Georges Wolinski, um dos mortos durante o ataque terrorista à sede da revista satírica semanal francesa "Charlie Hebdo", no cemitério de Montparnasse, em Paris, nesta quinta-feira (15). Doze pessoas, incluindo os cartunistas Charb, Wolinski, Cabu e Tignous, além do editor-chefe da publicação Bernard Maris, foram mortas por dois homens armados que abriram fogo dentro da sede da revista no último dia 7 Francois Guillot/AFP Mais

15.jan.2015 - Moradores assistem ao funeral do cartunista Georges Wolinski, morto junto a outras 11 pessoas durante ataque terrorista na sede da revista satírica semanal "Charlie Hebdo", no último dia 7, no cemitério de Montparnasse, em Paris, nesta quinta-feira (15) Zumapress/Visual/Xinhua Mais

16.jan.2015 - Franceses participam nesta sexta-feira (16) do velório do cartunista e editor da revista "Charlie Hebdo", Stephane Charbonnier, em Pontoise, nos arredores de Paris, na França. O artista será enterrado em uma cerimônia íntima no cemitério da cidade. Stephane morreu no atentado à revista que deixou 12 mortos e foi reivindicado pela Al Qaeda no Iêmen, que disse que a ação teve por objetivo vingar Maomé pelas charges ofensivas que foram publicadas Martin Bureau/ Pool/ AFP Mais

16.jan.2015 - O prefeito de Pontoise, Philippe Houillon, presta homenagem durante funeral do editor do "Charlie Hebdo", Stéphane Charbonnier, em Pontoise, França. O artista será enterrado em uma cerimônia íntima no cemitério da cidade. Stephane morreu no atentado à revista que deixou 12 mortos e foi reivindicado pela Al Qaeda no Iêmen, que disse que a ação teve por objetivo vingar Maomé pelas charges ofensivas que foram publicadas Martin Bureau/ Efe Mais

16.jan.2015 - Mulher carrega cartaz com a frase "Je suis Charlie" ("Eu sou Charlie"), em homenagem às vítimas do atentado terrorista na revista "Charlie Hebdo", nesta sexta-feira (16), no enterro do cartunista e editor da revista satírica, Stephane Charbonnier, em Pontoise, nos arredores de Paris, na França. O artista será enterrado em uma cerimônia íntima no cemitério da cidade. Stephane morreu no atentado que deixou 12 mortos e foi reivindicado pela Al Qaeda no Iêmen, que disse que a ação teve como objetivo vingar Maomé pelas charges ofensivas que foram publicadas Dominique Faget/AFP Mais

15.jan.2015 - Um homem identificado como Cherif Kouachi, um dos irmãos que mataram 12 pessoas em ataque terrorista à revista francesa "Charlie Hebdo", aparece em imagem retirada de um vídeo da agência Reuters feito em um tribunal de Paris na época em que ele enfrentava acusações por ajudar combatentes islâmicos a contrabandear mercadorias para dentro do Iraque, em 19 de março de 2008 Reuters TV Mais

16.jan.2015 - O secretário americano de Estado, John Kerry, e o ministro das Relações Exteriores, Laurent Fabius, foram juntos nesta sexta-feira (16) deixar flores na sede da revista "Charlie Hebdo", alvo de atentado terrorista que deixou 12 mortos, na França. Os Estados Unidos foram alvo de críticas depois que o presidente Barack Obama não compareceu à marcha em resposta aos atentados Rick Wilking/Reuters Mais

16.jan.2015 - O secretário americano de Estado, John Kerry, e a embaixadora americana na França, Jane Hartley, foram juntos nesta sexta-feira (16) deixar flores na sede da revista "Charlie Hebdo", alvo de atentado terrorista que deixou 12 mortos, na França. Os Estados Unidos foram alvo de críticas depois que o presidente Barack Obama não compareceu à marcha em resposta aos atentados Rick Wilking/AFP Mais

16.jan.2015 - Passageiros são impedidos de entrar na estação Gare de l'Est, em Paris, na manhã desta sexta-feira (16). Segundo um policial de Paris, a estação foi fechada como medida preventiva e evacuada após uma ameaça de bomba. Uma hora depois a entrada na estação foi liberada. A Gare de l'Est é uma das maiores estações de Paris e reúne linhas de trem que servem cidades a leste da capital francesa e outros países Twitter/@PedrosoaresTV Mais

16.jan.2015 - Londrinos fazem fila diante de uma banca nesta sexta-feira (16) para comprar a nova edição da revista satírica "Charlie Hebdo". Esta é a primeira publicação após o atentado terrorista que matou parte da equipe da revista na semana passada. Em um gesto de desafio à intolerância religiosa, a edição traz na capa uma caricatura do profeta Maomé, o que trouxe preocupações de novos atos de violência Leon Neal/AFP Mais

15.jan.2015 - Manifestantes caminham pelas ruas da parte da cidade de Aleppo tomada pelos rebeldes, no norte da Síria, segurando cartazes durante protesto condenando charge do profeta Maomé divulgada na última edição da revista satírica francesa "Charlie Hebdo", nesta quinta-feira (15). Nesta semana, a "Charlie Hebdo" publicou uma imagem de Maomé chorando na primeira edição da revista após o ataque à sede da publicação que matou 12 pessoas se esgotou nas bancas da França e causou revolta em vários países de maioria islâmica, onde a representação de Maomé é proibida Zein al-Rifai/AMC/AFP Mais

16.jan.2015 - Paquistaneses queimam uma bandeira francesa durante um protesto contra a revista francesa "Chalie Hebdo", em Peshawar. O ato é um protesto contra a publicação de charges retratando o profeta Maomé Fayaz Aziz/Reuters Mais

16.jan.2015 - Um manifestante argelino segura um cartaz com a frase "Je suis Mohamed" (Eu sou Maomé), durante um protesto contra a revista francesa "Chalie Hebdo", na Argélia. A manifestação é contra a publicação de caricaturas de Maomé EFE Mais

17.jan.2015 - Manifestantes ficam ao lado de caixotes incendiados neste sábado (17) durante protesto contra as charges publicadas na nova edição da revista francesa "Charlie Hebdo" perto de uma mesquita em Niamey, Níger. Três civis e um policial morreram nesta sexta-feira (16) durante manifestação contra a publicação da caricatura de Maomé na última edição do semanário satírico francês, de acordo com fontes policiais da cidade de Zinder, a segunda maior do Níger. Ao menos outras 45 pessoas foram feridas Boureima Hama/ AFP Mais

17.jan.2015 - Jovem sobe nos ombros de colega neste sábado (17) e participa de protesto contra as charges publicadas na nova edição da revista francesa "Charlie Hebdo" em frente à embaixada da França em Sanaa, no Iêmen. O escritório da publicação foi atacado na semana passada e 17 pessoas morreram. Os responsáveis pelo atentado afirmaram estar vingando o profeta Maomé, que havia aparecido em charges de algumas edições da revista Hani Mohammed/ AP Mais

18.jan.2015 - Militantes do partido político Paquistão Tehreek-e-Insaf, ou "Paquistão Movimento para a Justiça", queimam boneco com a imagem do presidente francês François Hollande durante uma manifestação contra caricaturas publicadas na revista francesa "Charlie Hebdo", em Karachi, no Paquistão, neste domingo (18) Fareed Khan/AP Mais

19.jan.2015 - Afegãos participam de protesto nesta segunda-feira (19) contra as charges publicadas na revista francesa "Charlie Hebdo" na cidade de Jalalabad, no Afeganistão. Entre 500 e 600 manifestantes marcharam e queimaram bandeiras francesas durante a manifestação. Matiulah Ahmadzai, um dos organizadores, pediu que o governo afegão e outros países muçulmanos rompam laços diplomáticos com a França Mirwais Rahmani/ AP Mais

19.jan.2015 - Afegãos participam de protesto nesta segunda-feira (19) contra as charges publicadas na revista francesa "Charlie Hebdo" na cidade de Jalalabad, no Afeganistão. Entre 500 e 600 manifestantes marcharam e queimaram bandeiras francesas durante a manifestação. Matiulah Ahmadzai, um dos organizadores, pediu que o governo afegão e outros países muçulmanos rompam laços diplomáticos com a França Noorullah Shirzada/ AFP Mais

19.jan.2015 - Chechenos muçulmanos participaram nesta segunda-feira (19) de uma manifestação contra a publicação da revista francesa "Charlie Hebdo" no centro de Grózni, na Tchetchênia Musa Sadulayev/ AP Mais

19.jan.2015 - Um homem tira uma selfie nesta segunda-feira (19) ao lado de uma multidão de manifestantes em Grózni, na Tchetchênia, durante um protesto contra a publicação da revista francesa "Charlie Hebdo" Eduard Korniyenko/ Reuters Mais

6.fev.2015 - Flores são colocadas em um memorial improvisado em frente ao escritório da revista "Charlie Hebdo" nesta sexta-feira (6), em Paris, na França, em homenagem às 12 vítimas do ataque terrorista na publicação Remy de la Mauviniere/AP Mais

6.fev.2015 - Lápis e caneta são colocados em um memorial improvisado em frente ao escritório da revista "Charlie Hebdo" nesta sexta-feira (6), em Paris, na França, em homenagem às 12 vítimas do ataque terrorista na publicação Remy de la Mauviniere/AP Mais

Atentados terroristas na França

Mais álbuns de UOL Notícias x

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos