Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/01/25/sao-paulo-e-uma-mulher-conheca-as-estatuas-que-enfeitam-a-capital-paulista.htm
  • totalImagens: 29
  • fotoInicial: 7
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160125060000
    • São Paulo [5106]; SP [5110];
    • Arte [27221]; Aniversário de São Paulo [22929];
Fotos

ARETUZA - Quem passar pelo parque Trianon, na avenida Paulista, pode reconhecer a deusa da caça e das florestas na mitologia grega, também conhecida como Aretuza. O escultor Francisco Leopoldo e Silva representou a deusa nua, o que contradiz sua imagem de virgem avessa ao amor físico. Apesar da falta de roupas, a obra mostra Aretuza colocando delicadamente a mão nas costas, mostrando certa timidez na tentativa de disfarçar sua nudez Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

ASCENSÃO - Produzida em bronze e granito, esta obra da artista alemã Charis Brandt foi feita em 1942 e ficou esquecida nos depósitos do Departamento Patrimônio Histórico da prefeitura. Em 2006, a estátua foi recuperada e levada para enfeitar a praça das Guianas, Jardim Europa. Porém, a obrafoi vandalizada, chegando a perder uma de suas mãos. Uma iniciativa privada foi a responsável por restaurar o monumento Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

FONTE MILÃO-SÃO PAULO - Em março de 1962, as cidades de Milão e São Paulo se tornaram "cidades-irmãs" em um acordo para trocas de conhecimentos em política, saúde e cultura. Para celebrar a "união", a fonte foi criada com inspirações de construções italianas e obras de Michelângelo. A fonte conta com os brasões de ambas cidades e imagens que contemplam o masculino, "O Dia" e "O Crepúsculo"; e feminino, "A Noite" e "A Aurora". A obra só foi instalada em 1971. Para se sentir na Itália, basta visitar a fonte na avenida República do Líbano Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

GIUSEPPE GARIBALDI - O busto é uma homenagem da colônia italiana no Brasil ao italiano que participou de diversos movimentos armados no Brasil e na Itália. Seu monumento, erguido no Parque da Luz em 1910, foi encomendado ao escultor, também italiano, Emilio Gallori. Uma multidão, incluindo Olavo Bilac, participou da inauguração do local, que durante anos foi ponto de encontro da comunidade italiana nas celebrações da independência da Itália Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

FAUNO - O ser mitológico campestre retrata uma entidade metade homem e metade cabra que segura uma flauta nas mãos. A obra é do artista italiano Victor Brecheret e foi finalizada em 1942. O então prefeito da cidade de São Paulo, Prestes Maia, mandou instalar a estátua esculpida em granito na praça Dom José Gaspar, mas ela não agradou a população. Religiosos reclamaram que a imagem era demoníaca e pediram sua transferência. Atualmente, ela está "escondida" entre as árvores do parque Trianon, na avenida Paulista Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

GIUSEPPE VERDI - A estátua é resultado do esforço da comunidade italiana em homenagear o compositor italiano Giuseppe Verdi. De autoria do italiano Amadeu Zani, a obra foi inaugurada em outubro de 1921 com a presença de milhares de populares e do prefeito Firmiano Pinto, na Praça Verdi. O local deixou de existir com a remodelação do vale do Anhangabaú, e a obra foi levada para as escadarias que ligam o vale à rua Líbero Badaró Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

SÃO PAULO É UMA MULHER- Em frente ao Pátio do Colégio, lugar onde nasceu a cidade, São Paulo é representada por uma figura feminina que aparece no topo da escultura de quase 26 metros de altura. A obra, feita pelo italiano Amadeo Zani, chama-se "Glória Imortal dos Fundadores de São Paulo" Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

GLÓRIA IMORTAL DOS FUNDADORES DE SP - A coluna, em frente ao Pátio do Colégio, tem em sua base cenas do cotidiano dos primeiros anos da cidade de São Paulo, que teve origem ali na colina entre os rios Anhangabaú e Tamanduateí. O artista escolhido para fazer a escultura foi o italiano Amadeo Zani, professor do Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. A obra foi idealizada em 1911 e inaugurada em 1925 Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

HERÓIS DA TRAVESSIA DO ATLÂNTICO - A travessia do oceano Atlântico por quatro amigos em um hidroavião foi a inspiração para essa escultura que está no Parque da Barragem, em frente à represa de Guarapiranga. Em 1927, os italianos Francesco di Penedo, Carlo del Prete e Vitale Zaccheti e o brasileiro João Ribeiro de Barros viajaram da Itália ao Brasil, desembarcando na Guarapiranga. Em 1929, o monumento de bronze, feito pelo italiano Ottone Zorlini foi inaugurada Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

BEIJO OUSADO - Conhecida como "Idílio" ou "Beijo Eterno", a escultura é a representação do amor entre um francês e uma índia e fazia parte de um conjunto de obras encomendadas pelo Centro Acadêmico da Faculdade de Direito da USP para homenagear o poeta Olavo Bilac. A estátua foi construída em 1920 pelo sueco William Zadig. A prefeitura tentou instalá-la em diferentes locais, mas sempre a removia após reclamações por sua "ousadia". As mudanças foram encerradas quando estudantes do Centro Onze de Agosto instalaram o "beijo" em frente à faculdade no Largo São Francisco Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

LEÃO - No início do século 20, o então prefeito de São Paulo, Raymundo Duprat (1911-1914) encomendou uma série de reproduções de obras francesas para embelezar a cidade. O leão, em mármore, foi inicialmente instalado na esplanada do Theatro Municipal, mas com a chegada do Monumento a Carlos Gomes no local, o animal foi levado para o parque Dom Pedro 2°. Nos anos 1960, a estátua foi transferida para o Parque do Ibirapuera e por lá ficou Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

DAVID - A réplica de cinco metros da obra "Davi", de Michelângelo, foi inicialmente instalada no interior do Estádio do Pacaembu. Ela fazia parte da coleção de réplicas do Liceu de Artes e Ofício. Enquanto acontecia a construção do atual tobogã do Pacaembu, a estátua foi removida e levada para a frente do estádio, na praça Charles Miller. Em 1974, durante os festejos do Dia do Trabalho, a obra foi transferida para o CERET (Centro Educativo, Recreativo e Esportivo do Trabalhador), no Tatuapé. Em 2002, houve uma tentativa de devolvê-lo ao local de origem, mas sem sucesso Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

LEÃO LUTANDO COM UMA SERPENTE -Instalada no parque Buenos Aires, no centro de São Paulo, a estátua faz parte de um grupo de esculturas de ferro fundido feitas na França e compradas pelo prefeito Raymundo Duprat (1911-1914). A peça faz duo com outra obra no mesmo parque: "Veado Lutando Contra Três Tigres" Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

VEADO LUTANDO CONTRA TRÊS TIGRES - De autoria desconhecida, a peça faz parte de um grupo de esculturas de ferro fundido feitas na França e compradas pelo prefeito Raymundo Duprat (1911-1914) para as praças do bairro de Higienópolis, no centro de São Paulo. Instalada no parque Buenos Aires, a peça faz duo com outra obra no mesmo parque, "Leão Lutando com uma Serpente" Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

BORBA GATO - O bandeirante de 13 metros de altura chama a atenção de quem passa pela avenida Santo Amaro, na zona sul de São Paulo. A obra é revestida de diversas pedras brasileiras, como basalto e mármore, e levou seis anos para ser terminada pelo artista Júlio Guerra. A inauguração do monumento, em 1963, foi uma grandiosa com direito a desfile de romeiros, danças e shows de artistas de rádio e TV Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MÃE - Como o nome indica, a criação do escultor italiano Caetano Fracaroli homenageia as mães de todo o Brasil. A obra foi inaugurada em 1970 no parque Buenos Aires. A ideia inicial do autor era instalar a imagem bem próxima ao espelho d'água do parque, para passar a ideia de que a mãe surgia da terra. A criação acabou sendo deslocada para um círculo de concreto, mas a alteração não afetou o objetivo de ilustrar o amor materno Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MÃE PRETA - No começo dos anos 1950, grupos de entidades negras se juntaram para a construção de um monumento à "Mãe Preta". Após um concurso realizado pelo prefeito Jânio Quadros, a obra foi inaugurada em 1955 como parte das comemorações do quarto centenário da cidade. O largo do Paissandu foi escolhido para abrigar a imagem, que foi instalada em frente à Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos. O local se tornou referência para comemorações pela libertação dos escravos e também no Dia da Consciência Negra Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MARCO ZERO - Após três tentativas frustradas de colocar um ponto central na cidade, o Marco Zero foi instalado em 1934 em frente à Catedral da Sé, na Praça da Sé. Feita de mármore, a obra de forma hexagonal possui um mapa inscrito em uma placa de bronze com as estradas que ligam São Paulo a Santos, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás, Paraná e Mato Grosso. O francês Jean Gabriel Villin foi escolhido para a concepção da obra, que teve que ser aprovada pelo então prefeito Antônio Carlos Assunção Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

SEMANA DE ARTE MODERNA DE 1922- A estátua de "Eva" é a primeira obra do escultor Victor Brecheret para a cidade de São Paulo. Eva foi considerada a peça inaugural da Semana de Arte Moderna de 1922. Atualmente, pode ser vista no interior do Centro Cultural São Paulo Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

PARA O COMPOSITOR DO "GUARANI" - Na Praça Ramos de Azevedo, o "Monumento a Carlos Gomes" foi instalado em 1922 para homenagear o compositor brasileiro. O italiano Luis Brizzolara foi o artista escolhido para o projeto, que se inspirou na fonte "Desejos de Roma". Ao todo, o monumento possui doze esculturas em mármore, bronze e granito, representando a obra do compositor. Em 1957, a escritora italiana Mercedes La Valle trouxe água da original fonte italiana e colocou na obra Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MONUMENTO A FEDERICO GARCIA LORCA - Inaugurada em 1968 com a presença de Pablo Neruda e de Chico Buarque, a obra foi idealizada pelos exilados espanhóis para homenagear o poeta espanhol, morto pelos franquistas. A obra de Flávio de Carvalho foi instalada na Praça das Guianas, nos Jardins. A escultura, no entanto, foi danificada por uma explosão em 1969. Após ser restaurada, a homenagem ao comunista espanhol continuou no depósito da prefeitura. Em 1979, ela foi roubada por alunos da USP, que a colocaram no vão livre do MASP. Depois, ela foi devolvida a seu lugar de origem Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

HOMENAGEM ATRASADA - Às margens do rio Ipiranga, o "Monumento à Independência" foi inaugurado durante as comemorações do centenário da Independência, em 1922, mas só foi concluído quatro anos mais tarde. A obra de mármore e granito retrata os momentos e os personagens mais importantes da história da Independência do Brasil. Os restos mortais de Dom Pedro 1° e da Imperatriz Leopoldina foram trazidos de Portugal e estão em uma capela no interior do monumento Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MAIOR ESCULTURA EQUESTRE - Em homenagem ao patrono do exército brasileiro, o "Monumento ao Duque de Caxias", com 40 metros de altura, é considerado a maior escultura equestre do mundo. Durante sua construção, a barriga do cavalo foi usada como mesa durante um almoço para 50 pessoas, incluindo o então governador de São Paulo, Adhemar de Barros. O monumento na praça Princesa Isabel foi inaugurado no dia 25 de agosto de 1960, dia do soldado Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

HOMENAGEM AOS PRACINHAS - Com o objetivo de preservar a memória dos expedicionários brasileiros da Segunda Guerra Mundial, a Associação dos Ex-Combatentes do Brasil, Seção São Paulo, idealizou o "MONUMENTO AO EX-COMBATENTE" para comemorar os 50 anos do fim da guerra. À frente da obra, estão gravados os nomes dos ex-combatentes. O local escolhido para receber a obra foi a praça Carlos Gardel, no bairro Paraíso (zona oeste) Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MONUMENTO AO SOLDADO CONSTITUCIONALISTA DE 1932 - O famoso obelisco do Ibirapuera foi idealizado em 1934, mas devido a dificuldades políticas, foi inaugurado parcialmente em 1955, e só foi concluído em 1970. Criado pelo arquiteto Galileo Emendabili, o monumento tem duas partes: a primeira é o obelisco e seus 72 metros de altura em mármore travertino, e a segunda é subterrânea e guarda em uma cripta os restos mortais dos combatentes na Revolução de 1932 Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

MONUMENTO ÀS BANDEIRAS - A obra de Victor Brecheret homenageia os bandeirantes paulistas que desbravaram o interior brasileiro. São ao todo 37 figuras que representam as várias etnias do povo paulista e, entre elas, está o próprio autor. O monumento foi inaugurado em 1953 como parte das comemorações do 399° aniversário de São Paulo. A grandiosa obra instalada ao lado do parque do Ibirapuera tem quase 44 metros e é carinhosamente apelidada de "empurra-empurra" Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

O SEMEADOR - A imagem de um agricultor lançando grãos na terra, de autoria do escultor italiano Caetano Fraccaroli, foi uma homenagem ao Dia do Trabalho em 1945. Inspirado no ditado popular "Quem semeia, colhe", a obra foi a vencedora de um concurso realizado pela prefeitura. Instalada inicialmente no parque Dom Pedro 2°, ela foi transferida para a praça Apecatu, próxima ao Ceagesp Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

OITENTA ANOS DA IMIGRAÇÃO JAPONESA - Idealizada pela artista plástica Tomie Othake, a obra homenageia os 80 anos da imigração japonesa no Brasil e está localizada no canteiro central da avenida 23 de Maio, na altura do Centro Cultural São Paulo. A obra possui quatro faixas de 40 metros cada, que representam as quatro gerações de japoneses no Brasil desde os primeiros imigrantes Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

SANTO DE LISBOA - Inaugurado em 1932, a obra de dez metros de altura, foi um esforço coletivo dos moradores do bairro do Pari com paroquianos da região. Construído em frente à Igreja Santo Antonio do Pari, foi uma homenagem a Santo Antônio. Na mesma praça há um busto do Padre Bento, religioso que dá nome à praça onde estão instaladas as obras Ricardo Matsukawa/ UOL Mais

São Paulo é uma mulher: conheça as estátuas que enfeitam a capital paulista

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos