Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/05/29/mulher-se-transforma-em-drag-queen-e-diz-se-sentir-ameacada-quando-sai-montada.htm
  • totalImagens: 12
  • fotoInicial: 10
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20160529092320
    • Drag Queen [10429]; LGBTTT [76465];
Fotos

Roberta Uiop, 32, tem formação em artes e maquiagem. Se considera uma artista em constante construção e gosta das discussões trazidas pelo fato de ser uma mulher drag queen que atende pelo nome de Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Eu nunca soube quais eram as regras para ser drag, nunca procurei saber. E ainda que soubesse não me importaria em quebrar essas regras e fazer as coisas do meu jeito. Não me tornei drag para repetir padrões que já são impostos para as mulheres no dia a dia. Afasta de mim!", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Sempre tive amigos gays, em todos os ambientes que passei. A Lady Gaga fala uma coisa muito legal que eu concordo: em geral os gays aceitam as mulheres, a força feminina, muito melhor do que os homens héteros", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Nunca senti rejeição por parte de outras drags. Sempre fui muito bem recebida. Nunca sofri preconceito direto por isso. Acho que seria uma bobagem colocar regras para os artistas. Não há um único jeito de ser mulher, então por que haveria um só jeito de ser drag?", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Comecei a perceber que sou drag primeiro pelas reações de outras drags. No ano passado veio ao Brasil uma das participantes do programa do Ru Paul, a Sharon Needles. Ela se apresentou na boate Blue Space. Fui montada com maquiagem com espinhos metálicos no rosto. Fiz fotos com algumas outras drags e, nas redes sociais, as pessoas começaram a querer saber quem eu era. Já me reconheciam como drag, não apenas como uma menina que estava passando pela festa", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Foi um reconhecimento muito lindo que abriu muitos ângulos e possibilidades na minha vida. Eu não tinha pretensão nenhuma. Eu trabalhava como maquiadora e queria fazer maquiagem de cinema tradicional. Mas o mundo das drags foi onde eu mais encontrei artistas na minha vida. Eu provei como é bom ser reconhecida como artista. Agora quero isso para toda a minha vida. Sei que há pessoas que pensam como eu e gostam do que eu produzo", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Eu gosto muito das drags mais antigas. Tenho certeza que só estamos aqui porque elas estiveram em outro momento lutando, ocupando e resistindo", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Eu não milito. Mas em muitas drags vejo as atitudes como ato político. Um homem com maquiagem, peruca e vestido de mulher com certeza é um ato político. Uma mulher se mostrando como drag, seja ela do jeito que quiser, também é um ato político", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"E então eu precisava de um nome. Teria que ser um nome que não fosse nem de menino nem de menina. Queria algo que funcionasse nos dois gêneros. Lírio! E também precisava de um sobrenome. Lírio de que? Lírio de Lírio mesmo, ora!", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Moro na zona leste de São Paulo. Quando saio montada no metrô, me sinto ameaçada, sinto que qualquer coisa pode acontecer a qualquer momento, porque estou exposta. Algumas pessoas se sentem no direito de tocar, de pegar, então me sinto vulnerável. Por isso não saio sozinha quando estou montada para noite", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"A reação que causo na zona leste de São Paulo com certeza é diferente da que causo nos bairros centrais. Então procuro manter um certo sigilo no meu bairro. No metrô eu ainda sinto o tabu. As pessoas olham e parecem ficar se perguntando de que planeta eu vim", diz Roberta Uiop. Na foto, ela se prepara para se tornar a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

"Quero assumir essa postura menos humana e andrógina", diz Roberta Uiop. Na foto, ela como a drag queen Lírio Delírio Lucas Lima/ UOL Mais

Mulher se transforma em drag queen

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos