Informações sobre o álbums
  • editoria:
  • galeria:
  • link: http://noticias.uol.com.br/album/2016/12/13/lei-anticrise-no-rio-eleva-icms-da-cerveja-da-gasolina-e-de-outros-itens.htm
  • totalImagens: 6
  • fotoInicial: 1
  • imagePath:
  • baixaResolucao: 0
  • ordem: ASC
  • legendaPos:
  • timestamp: 20161213165513
    • RJ [5105];
    • Notícias [35976]; Alerj [54668]; Dívida pública [32532]; ICMS [61179]; Economia [22373]; Imposto [13357]; Cerveja [13564]; Gasolina [13631]; Telecomunicação [13704]; Energia elétrica [13595]; Refrigerantes [13673];
Fotos

A lei que faz parte do pacote anticrise do governo do Rio aumenta para 20% a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Serviços e Mercadorias) da cerveja e do chope. Antes, o percentual era de 19%, já inclusos os 2% destinados ao FECP (Fundo de Combate à Pobreza). A medida foi aprovada nesta terça-feira (13) em votação na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) e é válida enquanto o estado de calamidade estiver decretado. O prazo atual é 31 de dezembro de 2017. A nova taxa deve começar a valer em março Antonio Rodrigues Mais

De acordo com a lei aprovada pelos deputados do Rio, a alíquota do ICMS (Imposto sobre Circulação de Serviços e Mercadorias) sobre a gasolina passa de 30% para 32%. A medida faz parte do pacote anticrise proposto pelo governo do Estado e votado na Alerj (Assembleia Legislativa) e é válida enquanto o estado de calamidade estiver decretado. O prazo atual é 31 de dezembro de 2017. A nova taxa deve começar a valer em março iStock Mais

A alíquota cobrada na prestação de serviços de telecomunicação passou de 26% para 28%, segundo a lei aprovada na Alerj. Na medida, que faz parte do pacote anticrise do Executivo, estão contemplados os serviços de comunicação "por qualquer meio, inclusive a geração, a emissão, a recepção, a transmissão, a retransmissão, a repetição e a ampliação de comunicação de qualquer natureza". A medida é válida válida enquanto o estado de calamidade estiver decretado. O prazo atual é 31 de dezembro de 2017. A nova taxa deve começar a valer em março Fernando Maia/UOL Mais

A lei aprovada na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) também muda a tributação do consumo de energia elétrica. As unidades que consomem abaixo de 300 quilowatts/hora por mês seguem pagando alíquota de 18%. Na faixa até 350 quilowatts/hora esse valor passa para 30%; na faixa entre 350 kW e 450kW sobe para 31% e, acima disso, para 32%. A lei faz parte do pacote anticrise sugerido pelo governo do Estado e é válida válida enquanto o estado de calamidade estiver decretado. O prazo atual é 31 de dezembro de 2017. A nova taxa deve começar a valer em março Phillip Guelland/AFP Mais

De acordo com a lei aprovada pelos deputados do Rio, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Serviços e Mercadorias) do cigarro passa de 25% para 37% --os parlamentares derrubaram um decreto do governo que diminuía o imposto. A lei faz parte do pacote anticrise sugerido pelo governo do Estado e é válida válida enquanto o estado de calamidade estiver decretado. O prazo atual é 31 de dezembro de 2017. A nova taxa deve começar a valer em março Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas Mais

O refrigerante foi o único item do projeto original cuja alíquota (16%) se manteve Getty Images/iStockphoto Mais

Cerveja, gasolina, luz... Veja os impostos que subiram no Rio em lei anticrise

Últimos álbuns de Notícias

UOL Cursos Online

Todos os cursos