Caso George Floyd

No tribunal, policiais dizem que Derek Chauvin não seguiu treinamento

Policiais depõem

O sétimo dia do julgamento de Derek Chauvin girou em torno das práticas da polícia de Minneapolis. Os membros da força policial ajudaram na argumentação de que o réu matou George Floyd ao se ajoelhar sobre ele por mais de nove minutos.
Reprodução

O fato de manter tal nível de força em alguém que já está com o rosto contra o chão e algemado pelas costas não corresponde à nossa política, nosso treinamento e certamente também não está de acordo com nossa ética ou nossos valores. A inviolabilidade da vida deve continuar sendo um pilar de nossa ação.

Medaria Arradondo,
Chefe da polícia de Minneapolis
Chad Davis

Os agentes são orientados a tomar cuidado com o pescoço e mirar nos ombros.

Johnny Mercil,
Instrutor da Polícia de Minneapolis, testemunhou que Chauvin não agiu de acordo com o treinamento para deter suspeitos
Reprodução

Não sei que tipo de postura ele improvisou, mas não é algo que ensinamos.

Katie Blackwell,
Ex-diretora da Academia de Polícia de Minneapolis
Divulgação
Nos EUA, é muito raro que policiais testemunhem contra um colega. Para Kate Levine, professora da Faculdade de Direito Cardozo de Nova York, essa pode ser uma estratégia.
Divulgação/ Gabinete do xerife do condado de Hennepin

Minha preocupação é que, se Derek Chauvin for condenado, os departamentos de polícia que o empregaram poderão dizer: 'Esse cara era uma maçã podre, não temos um problema'.

Kate Levine,
Professora da Faculdade de Direito Cardozo de Nova York
REUTERS/Leah Millis
Publicado em 06 de abril de 2021.
Com informações do jornal The New York Times e da AFP.