Personagem da (triste) semana

A manhã com mais mortes em Saudades do que em 10 anos

Por Gabryella Garcia

Tragédia em Saudades

Nesta semana, uma cidade que leva a saudade no nome ganhou o noticiário de todo o país por um motivo triste. O atentado em uma creche fez a cidade igualar o total de homicídios nos últimos dez anos em apenas uma manhã. Cinco vidas foram perdidas.
Jessica Edel/Colaboração para o UOL
  • 2016: 1 homicídio e 0 latrocínio
  • 2017: 0 homicídio e 0 latrocínio
  • 2018: 0 homicídio e 0 latrocínio
  • 2019: 0 homicídio e 0 latrocínio
  • 2020: 1 homicídio e 0 latrocínio
  • 2021: 5 homicídios e 0 latrocínio

'Vale da Hospitalidade'

O crime chocou a pacata cidade localizada no oeste catarinense e que tem a alcunha de "Vale da Hospitalidade". Com uma população de apenas 9.810 habitantes, divididos entre a zona rural e urbana, a tranquilidade é tanta que os moradores nem se preocupam em trancar suas casas.
WILLIAN RICARDO/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO

É tudo muito tranquilo, não tem nada de violência e todo mundo se conhece. Os vizinhos sempre saem para conversar na rua e não têm o hábito nem de trancar as casas, porque não têm medo. É chocante porque só vemos a violência de longe, vivemos em uma parte do mundo onde essas coisas não acontecem.

Simone Eichelberger, 28,
gerente comercial
William Ricardo/Ishoot/Estadão Conteúdo

Economia agrária

O reflexo é de uma economia agrária, que faz com que praticamente metade da população viva em áreas rurais. A atividade econômica é consequência do modo de colonização, sobretudo feita por alemães, que se baseavam na extração de madeira para revenda no Uruguai e na Argentina.
William Ricardo/Ishoot/Estadão Conteúdo

Esse território foi alvo de disputa entre PR e SC na Guerra do Contestado. Pertencente à SC, a terra foi atribuída à companhia colonizadora Sul Brasil, formada majoritariamente por alemães. Ao longo dos anos, primeiro com a extração de madeira, e agora com a produção voltada para o milho, soja e o fumo, toda a região vivia --e ainda vive-- do agronegócio.

Gustavo Siqueira,
pesquisador da história do oeste de Santa Catarina
Jessica Edel

Presença indígena

Além da colonização alemã, que acabou formando a base da atual sociedade saudadense, a região também foi habitada por povos indígenas até o final do século 19. O historiador Gustavo Siqueira explica que os kaiangangs não habitavam um único lugar e também foram perdendo espaço para colonizadores.
Jessica Edel

Cascata Santa Terezinha

Em uma cidade com menos de 10 mil habitantes, localizada às margens do rio Saudades e sem grande desenvolvimento impulsionado por indústrias, a principal --e talvez única-- opção de lazer é a Cascata Santa Terezinha. De fácil acesso, porém sem infraestrutura para o turismo, a cascata de 48 metros de altura fica localizada a apenas 9 km do centro.
WILLIAN RICARDO/ISHOOT/ESTADÃO CONTEÚDO

Gestão da pandemia

Fazendo parte da microrregião de Chapecó, que viu seu sistema de saúde colapsar em meio à pandemia em fevereiro, Saudades confirmou até 6 de maio um total de 1.079 casos e sete mortes decorrentes da covid-19. A vacina contra a doença já foi aplicada em 1.648 pessoas, cerca de 17% da população.
JURANIR BADARó/ESTADÃO CONTEÚDO

"Kit covid"

Apesar de não possuir eficácia comprovada, a prefeitura é entusiasta do chamado "tratamento precoce" da covid-19?\. Fazendo propaganda do kit inclusive em sua página inicial, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda a utilização de hidroxicloroquina, ivermectina, zinco, vitamina D e vitamina C.
CADU ROLIM/FOTOARENA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO

Saudades

Depois de toda a tragédia, o sentimento que fica é de saudades e admiração pelas professoras, verdadeiras heroínas. "Elas estão lá [na creche] e conseguem fazer o que nós [mães] não fazemos, que é cuidar das nossas crianças por determinado período". Simone Eichelberger.
Reprodução/Facebook
Publicado em 08 de Maio de 2021.