UOL Notícias Notícias
 

07/05/2007 - 08h33

Papa quer 'intervir para resolver problemas da América Latina'

Assimina Vlahou

De Roma
O papa Bento 16, que inicia na próxima quarta-feira sua viagem ao Brasil, quer "intervir para ajudar a resolver os problemas da América Latina", disse à BBC Brasil o secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone.

"O pontífice demonstrou diversas vezes, com discursos e nos encontros com chefes de Estado, que conhece os problemas da África e da América Latina, e que deseja intervir para ajudar a resolvê-los", afirmou o cardeal, em entrevista exclusiva.

Bertone, que vai estar na comitiva do papa durante a viagem ao Brasil, comanda o "ministério" da Cúria que está mais perto do papa, e foi um dos principais colaboradores de Joseph Ratzinger quando ele era prefeito da poderosa Congregação para a Doutrina da Fé.

O secretário de Estado Vaticano negou que o papa dedique mais atenção para a Europa, deixando a América Latina em segundo plano, conforme têm observado alguns vaticanistas.

"Na passagem de cardeal Ratzinger a papa Bento 16, houve uma ênfase nos discursos sobre a Europa, porque havia a grande discussão a respeito da Constituição Européia e sobre as raízes cristãs do continente. Mas isto não quer dizer que ele tenha se interessado somente pela Europa", garantiu o cardeal.

'Mensagem forte'

Segundo D. Bertone, o papa vai lançar mensagens fortes aos povos da América Latina durante sua estadia no Brasil - país que o pontífice "conhece muito bem", por causa dos freqüentes encontros que teve com os bispos e cardeais brasileiros ao longo de 24 anos na direção da Congregação para a Doutrina da Fé.

"O papa tem conhecimento dos problemas que afligem o Brasil e dos esforços de evolução e progresso que estão sendo feitos no país. Ele apóia plenamente este esforço, encoraja as organizações não-governamentais, e pede aos grandes países do norte, da Europa, que colaborem para um progresso verdadeiro e integral do Brasil e dos outros paises da América Latina."

A escolha do brasileiro D. Cláudio Hummes para ser prefeito da Congregação para o Clero foi uma demonstração da grande estima do papa pelo Brasil.

"O papa escolheu de modo explícito o cardeal Hummes, um grande expoente da Igreja Católica no Brasil, para dirigir um dicastério (subdivisão da Cúria) muito importante, que se ocupa de todos os sacerdotes do mundo."

Em português

Bento 16 está se preparando para fazer discursos em português brasileiro durante sua estada no Brasil, disse o secretário do Vaticano.

"A maior parte dos discursos será em português brasileiro, apesar de haver também algum pronunciamento em espanhol para se dirigir àquela parte da América Latina que fala espanhol. Mas o papa está se preparando em português", afirmou o cardeal.

O religioso disse que Bento 16 tem facilidade para as línguas e que tem treinado bastante. Uma boa pronúncia ficou evidente nas audiências públicas das quartas-feiras, em que o papa envia mensagens aos fiéis em várias línguas.

"O papa treina principalmente com os discursos que está escrevendo, sobretudo com as mensagens que fará na abertura da 5° Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe, em Aparecida, e no encontro com os jovens", disse o cardeal.

Teologia da Libertação

O cardeal afirmou que o papa não deverá fazer um discurso especial sobre a Teologia da Libertação.

"O papa já esclareceu seu pensamento a respeito da Teologia da Libertação quando era prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé", disse o clérigo.

Ele afirmou que a Teologia da Libertação tem seu espaço na Igreja.

"No DNA da missão da Igreja existe a missão de evangelizar os pobres, de ir ao encontro dos menos favorecidos e de ajudar - mas sob a luz do Evangelho, não sob a luz de doutrinas que poluem a mensagem Evangélica, como as doutrinas marxistas."

De acordo com a visão do cardeal Tarcisio Bertone, há diversas formas de opressão que a Igreja ajuda a combater.

"Existe a opressão de um capitalismo selvagem que nega espaço às faixas mais humildes das populações, mas há também formas de secularismo e de deseducação dos jovens através de ideais que não são ideais", ele disse.

A viagem do papa ao Brasil é a primeira dele a um país de grandes dimensões, onde seu predecessor, João Paulo 2°, foi acolhido por multidões. Na opinião do cardeal Bertone, Bento 16 vai enfrentar esta viagem com grande serenidade.

"Aos poucos ele está se acostumando ao contato com as multidões. No começo, parecia um pouco tímido, mas agora se lança, comunica suas mensagens e sente as pessoas vibrarem."

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,12
    3,169
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h20

    -0,90
    76.201,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host