UOL Notícias Notícias
 

10/05/2007 - 08h27

Erro de Blair foi achar que Bush era Clinton, diz FHC

Denize Bacoccina

De Brasília
Para o ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso, que durante seu mandato participou de muitos encontros com Tony Blair, o grande erro do primeiro-ministro britânico foi não ter se dado conta de que "Bush não era Clinton" - referindo-se ao presidente americano, George W. Bush, e a seu antecessor, Bill Clinton.

Em entrevista à BBC Brasil, Fernando Henrique disse que o apoio do Reino Unido à guerra no Iraque foi "a Via Crucis" de Blair.

Não ter percebido o quanto os dois presidentes americanos eram diferentes pode ter feito com que o britânico se engajasse na guerra do Iraque, na avaliação do ex-presidente.

Fernando Henrique contou que falou com Blair pela última vez um mês antes da guerra. "Ele estava convencido de que havia armas de destruição em massa", lembrou o ex-presidente.

Segundo Fernando Henrique, mesmo depois de se comprovar que o Iraque não tinha esses armamentos, Blair "não deu meia-volta".

Esperava-se, nos preparativos americanos para a guerra contra o Iraque, que o primeiro-ministro britânico pudesse influenciar o presidente americano e talvez até dissuadi-lo da guerra, lembra Fernando Henrique.

No entanto, o legado do primeiro-ministro britânico não se resume à desastrosa participação na guerra do Iraque, na avaliação do ex-presidente brasileiro.

Sucesso econômico

"As mudanças internas na Inglaterra foram muito positivas", disse, ressaltando a sólida situação econômica do país atualmente e o avanço nas políticas sociais.

"Acho que esse é o legado dele", afirmou.

Fernando Henrique disse, porém, que a história também deverá registrar que o primeiro-ministro britânico perdeu a chance de marcar uma posição de diferenciação ao presidente americano, "que daria a ele liderança na Europa".

"Blair poderia ter assumido a liderança do mundo, para liderar um novo pacto global. É isso que está faltando no mundo. Quem é que vai liderar uma renegociação global, respeitando as diferenças, preservando valores fundamentais como direitos humanos, como respeito à ecologia?"

Mas ele diz que, com a perda de prestígio atual do líder britânico, "por causa basicamente das questões internacionais e da ligação tão estreita com o Bush", não há nenhum político conservador que tenha "liderança para substituí-lo".

Fernando Henrique disse que Blair "renovou o ideário" do Partido Trabalhista britânico.

"Ele conseguiu efetivamente discutir as posições anteriores e tomar em consideração a globalização, mas sendo fiel à tradição de ser um partido que tem de atender também as questões sociais", disse.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,11
    3,339
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,30
    61.087,14
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host