UOL Notícias Notícias
 

03/06/2007 - 12h25

Lula quer 'aliança estratégica' com a Índia

De Pablo Uchoa

Enviado especial a Nova Déli
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse neste domingo em um artigo publicado na imprensa indiana que o Brasil quer uma "aliança estratégica" com a Índia.

'ALIANÇA ESTRATÉGICA'
Lula Marques/Folha Imagem
"A Índia e o Brasil reafirmam sua confiança no multilateralismo e têm, através do diálogo democrático, assumido responsabilidades internacionais. Tendo em vista as ameaças e os desafios de temas como terrorismo, degradação ambiental e pandemia, estamos avançando propostas de maior cooperação e solidariedade", assina o presidente Lula, em artigo publicado no jornal "The Hindu"
LEIA MAIS
FUTEBOL, BOLLYWOOD E VARIEDADE
"PROBLEMAS E VIRTUDES PARECIDOS"
"Ambos nossos países compartilham uma percepção convergente, inovativa e esperançosa do mundo", assinou no jornal The Hindu o presidente, que chegou neste domingo à capital indiana para uma visita de três dias.

"A Índia e o Brasil reafirmam sua confiança no multilateralismo e têm, através do diálogo democrático, assumido responsabilidades internacionais. Tendo em vista as ameaças e os desafios de temas como terrorismo, degradação ambiental e pandemia, estamos avançando propostas de maior cooperação e solidariedade", escreveu Lula.

A publicação do artigo coincide com a chegada do presidente brasileiro a Nova Délhi, que foi especialmente decorada para a ocasião. Bandeiras indianas e brasileiras ladeiam as ruas próximas aos edifícios do governo indiano.

Neste domingo, o presidente deve descansar no hotel em que está hospedado. À noite, terá jantar privado com o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, na residência oficial.

Em uma extensa agenda na segunda, Lula participará de uma homenagem a Mahatma Gandhi, e lançará um fórum de empresários para discutir alternativas de investimento do Brasil na Índia.

À tarde, o presidente assina atos bilaterais, e recebe o prêmio Nehru, concedido ao governo indiano por personalidades que colaboram para a aproximação dos povos. Lula janta com o presidente indiano, Abdul Kalam.

Na terça-feira, no próprio hotel em que se hospeda, recebe empresários, políticos e representantes da comunidade brasileira da Índia.

'Aliança'

Antes da chegada de Lula, a imprensa indiana chegou a especular que o Brasil gostaria de desenvolver uma "aliança exclusiva" com a Índia, supostamente em detrimento de seus laços com a China.

Mas a possibilidade foi descartada pelo próprio Lula em declarações reproduzidas no jornal Sunday Times, segundo o qual a aliança não será "exclusiva", mas "especial".

Segundo uma lista obtida pela BBC Brasil junto ao governo indiano, os dois lados assinarão acordos nas áreas espacial, econômica, cultural, educacional e alfandegária.

Na área espacial, a Índia permitirá que o Brasil utilize imagens de seus satélites para monitorara o território brasileiro.

Mas os acordos principais serão na área econômica e alfandegária, incluindo um entendimento entre a Petrobras e a estatal indiana de petróleo para explorar campos na Índia e na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.

Além disso, Lula chega à Índia com uma delegação de mais de cem empresários, que criarão um fórum para identificar possíveis áreas de investimento mútuo.

A iniciativa será encabeçada pelo presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli, pelo lado brasileiro, e o presidente do grupo Tata, o empresário Ratan Tata, pelo lado indiano.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    09h50

    -0,37
    3,306
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,82
    61.675,46
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host