UOL Notícias Notícias
 

06/06/2007 - 14h13

Executivo alemão reclama para Lula de 'burocracia ambiental'

Rogério Wasserman
enviado especial a Berlim
O presidente do conselho executivo da siderúrgica alemã ThyssenKrupp, Karl-Ulrich Köhler, afirmou que aproveitou um encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta terça-feira para reclamar de entraves burocráticos que estariam atrasando a concessão de licenças ambientais para obras no Brasil.

A ThyssenKrupp é uma das empresas envolvidas na construção de um complexo siderúrgico no município de Santa Cruz (RJ). De acordo com Köhler, a obra representa um investimento de 3 bilhões de euros (cerca de R$ 7,8 bilhões).

O executivo alemão afirma que a empresa trabalha com a previsão de que a nova siderúrgica comece a funcionar em 2009, mas o cronograma ainda depende de aprovações ambientais que, na opinião de Köhler, estão demorando.

"É um investimento muito importante, que criaria muitos empregos", afirmou o alemão. "Não queremos que haja problemas."

Empregos

Segundo Köhler, o projeto já teria sido responsável pela contratação de 18 mil pessoas e mais 3 mil empregos serão gerados quando o complexo estiver pronto.

O executivo da ThyssenKrupp disse que Lula se comprometeu a verificar a reclamação de Köhler junto aos órgãos responsáveis.

Recentemente, o Ministério do Meio Ambiente sofreu pressão de setores do próprio governo e da iniciativa privada para conceder licenças para a construção de obras consideradas vitais para viabilizar o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Em abril, a ministra Marina Silva anunciou mudanças na estrutura do Ibama, que manteve a responsabilidade de conceder licenças ambientais, mas deixou de administrar as unidades de conservação espalhadas pelo país.

Investimento

O presidente Lula está na Alemanha para participar como convidado do encontro do G8, que reúne as sete nações mais industrializadas do mundo e a Rússia, na cidade de Heiligendamm.

Lula chegou a Berlim na terça-feira, após visita oficial à Índia. A chegada do presidente foi antecipada em dois dias porque a viagem que faria ao Marrocos, antes de chegar à Alemanha, foi cancelada.

Na manhã desta quarta, o presidente se encontrou com diversos empresários alemães em Berlim. Além do executivo da ThyssenKrupp, Lula se reuniu também com o presidente de operações da Volkswagen para a América do Sul, Francisco Garcia Sanz.

Durante o encontro com Lula, a Volkswagen anunciou um investimento de R$ 2,5 bilhões nos próximos seis anos no Brasil.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,94
    3,108
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,51
    63.853,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host