UOL Notícias Notícias
 

16/02/2009 - 16h55

Nepalases tentam ficar 24 horas no topo do Everest

Três irmãos nepaleses tentarão quebrar o recorde e permanecer no topo do Everest, a mais de 8,8 mil metros de altura, durante 24 horas.

Pemba Dorje Sherpa, 31 anos, e seus irmãos mais novos Nima Gyalzen e Phurba Tenzing dizem que planejam aproveitar o período no topo da montanha mais alta do mundo para rezar pela paz no Nepal e no mundo.

Na escalada, os irmãos vão levar uma imagem de 30 centímetros de Buda. E o trio pretende realizar a façanha sem se importar com as condições climáticas no dia da escalada.

Escalar o Everest faz parte da natureza dos três irmãos. A família é do Vale de Rolwaling, uma região remota a oeste da região do Everest. Cinco dos sete irmãos (eles também tem quatro irmãs) já escalaram a montanha. Apenas entre Pemba, Nima e Phurba já foram 16 escaladas.

Pemba já está nos livros de recordes por ter chegado ao topo a partir do acampamento base em apenas oito horas e dez minutos em maio de 2004, um recorde que ainda não foi batido.

O atual recorde de permanência no topo do Everest é de 20 horas. Babu Shiri Sherpa, que estabeleceu este recorde, morreu, e Pemba afirma que pode superá-lo.

"Não podemos dizer como o tempo vai estar. Vamos levar todo o equipamento possível, incluindo cordas. Não teremos problemas com neve e vento. Estamos preparados", disse Pemba.

A escalada dos irmãos deve começar no dia 1º de abril e eles pretendem chegar ao topo do Everest em maio.

Segundo o material de propaganda da viagem, os irmãos vão enviar informações hora a hora sobre "como o corpo humano reage a este clima rigoroso". Dois dos irmãos receberam a BBC na pequena agência de viagens deles, em Katmandu. Eles mostraram a barraca que pretendem levar ao topo, onde vão ficar, e explicaram que vão "cavar um buraco" na neve para instalar a barraca.

"Não vamos dormir, vamos rezar durante as 24 horas", disse Pemba.

Ele afirma que representantes de religiões cristãs, hindu e muçulmana do Nepal vão entregar aos irmãos objetos para levar ao topo, junto com o Buda. A maioria das outras escaladas dos irmãos foi feita como guia. Desta vez, eles dizem que buscam o "recorde e reputação".

"É arriscado, mas não é tão perigoso", disse Pemba.

Apesar da ajuda de patrocínio de fabricantes de roupas e bancos nepaleses, a escalada não envolve muito dinheiro, como é habitual em expedições estrangeiras, já que apenas para os estrangeiros são necessárias as permissões mais caras.

Os três irmãos terão também uma equipe de ajudantes, incluindo cozinheiros. Mas nenhum deles deve avançar além dos 7,9 mil metros de altitude.

O anúncio da escalada dos três irmãos coincide com a decepção de outro montanhista, Min Bahadur Sherchan.

Ele escalou o Everest em 2008, quando dizia ter 76 anos, um ano mais velho do que o alpinista japonês Yuichiro Miura, que chegou ao topo dois dias depois.

Mas, segundo informações divulgadas na semana passada, o Livro Guinness dos Recordes reconheceu que Miura é o mais velho a chegar o topo porque não foram apresentados os documentos necessários para provar a idade de Sherchan.

Sherchan deve entrar com um recurso contra a decisão.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,12
    3,169
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h20

    -0,90
    76.201,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host