UOL Notícias Notícias
 

28/02/2009 - 16h54

Karzai pede eleição presidencial antecipada no Afeganistão

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, pediu neste sábado que eleições presidenciais sejam realizadas no país no dia 21 de abril - apesar de a comissão eleitoral do país ter marcado anteriormente o dia 20 de agosto como a data do pleito.

Manifestando preocupação com a falta de segurança e de logística no país para a votação, a comissão havia adiado o pleito de janeiro para agosto com o apoio dos Estados Unidos, que mantêm milhares de soldados no país.

De acordo com a constituição afegã, as eleições deveriam ser realizadas de 30 a 60 dias antes do fim do mandato do presidente incumbente. O mandato de Karzai, de cinco anos, vai até 22 de maio.

Entretanto, de acordo com a comissão eleitoral, há uma contradição entre a Carta Magna e a lei eleitoral do país, que permitiria que o presidente ficasse no poder até outubro - cinco anos depois de Karzai ter vencido a eleição - ou dezembro - cinco anos após ele ter feito seu juramento como presidente. Além da comissão eleitoral afegã, monitores internacionais também dizem que será difícil realizar uma eleição justa no país na data pedida por Karzai devido à questão da segurança, ao mal tempo nessa época do ano e ao desafio logístico de transportar as cédulas de votação.

De acordo com o correspondente da BBC em Cabul Ian Pannell, Hamid Karzai estava sob muita pressão para adiantar as eleições, sendo acusado de estender ilegamente seu mandato.

O presidente não tem o poder de, sozinho, definir a data do pleito. Com o seu pedido deste sábado, Karzai joga para a comissão eleitoral e a oposição a tarefa de decidir quando as eleições devem ser realizadas e quem deve governar o país caso ela seja adiada, disse Pannell.

O Afeganistão continua a ser palco de atentados e assassinatos atribuídos a militantes islâmicos que apoiam o Talebã, a milícia que até 2001 governava o país, mas foi afastada do poder após uma ofensiva militar liderada pelos Estados Unidos.

Milhares de soldados da Otan permanecem estacionados no país.

Em janeiro, o presidente da Comissão Eleitoral Afegã, Azizullah Ludin, disse que a data de 20 de agosto foi escolhida após consultas com o governo de Cabul e as forças de segurança estrangeiras que lutam contra o Talebã no país.

"Eles nos disseram que haveria novas forças de segurança aqui... e eles garantiram segurança", afirmou, em uma coletiva em Cabul em janeiro.

O presidente americano, Barack Obama, determinou que milhares de soldados sejam enviados ao país nos próximos meses para melhorar a segurança do país.

Entretanto, se a comissão eleitoral decidir atender o pedido de Karzai e adiantar a data, pode ser que o pleito presidencial antes da chegada desse reforço.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host