UOL Notícias Notícias
 

04/03/2009 - 10h25

Crise leva americanas a vender joias de ouro

Rajesh Mirchandani
De Orange County para a BBC News
Em uma mansão de um bairro de classe alta o vinho é abundante, assim como as risadas, e os canapés são recusados com elegância por mulheres vaidosas que querem manter a linha.

Cerca de 15 mulheres estão reunidas em uma sala de jantar espaçosa nesta casa confortável no condado de Orange County, na Califórnia, mostrando todas as suas joias.

"FESTA DO OURO"

  • BBC

    Californianas ricas vão a festa para vender suas joias pessoais

  • BBC

    Participantes da "festa do ouro" confessam que pretendem gastar o dinheiro com extravagâncias

  • BBC

    Em Orange County, 28 gramas
    de ouro valem US$ 900




A renda no rico condado é 25% mais alta do que a média do Estado e o desemprego é mais baixo. Mas até aqui, a recessão americana está sendo sentida. O preço dos imóveis caiu quase 30% e agora cerca de uma em cada 250 casas corre o risco de ser retomada pelo banco por falta de pagamento da hipoteca.

Os ricos dos Estados Unidos estão sofrendo com a crise, por isso esta é uma reunião diferente: é uma festa do ouro.

As convidadas trazem joias velhas que não querem mais e as vendem. É a festa do tupperware dos tempos difíceis, um verdadeiro adeus-aos-balangandãs.

Festas do ouro também são realizadas em outros Estados. Mas, na Califórnia, empresas como a de Erin Stevenson - que tem cerca de 11 representantes que organizam até três festas por semana - nunca estiveram tão ocupadas.

Na casa da anfitriã, Stephanie West, que recentemente teve uma aposentadoria prematura após anos no setor de aviação, Erin e sua equipe de compradoras examinam a qualidade e pesam os balangandãs das convidadas.

A própria Stephanie tem uma sacola cheia de joias de ouro que possui há anos, presentes de namorados antigos que ela nunca vai voltar a usar. Várias outras trazem o mesmo: artigos antes tão apreciados e hoje presentes indesejados.

Erin paga cerca de 60% do preço de mercado, e vende o ouro para uma fundição por cerca de 95% da cotação atual.

As mulheres são pagas mais de US$ 900 por onça (28 gramas) e não veem motivos para reclamar do negócio.

Aqui pelo menos, as festas do ouro não são uma luta pela sobrevivência. São mais uma forma que a classe média de cinto apertado encontrou para conseguir um dinheiro extra.

Muita gente diz que vai gastar o dinheiro obtido em extravagâncias - uma peça de arte ou uma refeição especial para a família.

Amie Larson, que diz ter quatro empregos, diz que está vendendo o ouro que recebeu de presente do ex-marido para financiar a festa de aniversário do parceiro atual.

Depois que o ouro é pesado e separado por pureza, Erin calcula o valor total a ser pago para cada convidada. O vinho ajudou a criar um clima relaxado, mas quando os cheques são preenchidos é que a festa realmente começa a esquentar. E as quantias não são módicas.

A anfitriã Stephanie Hunt recebeu US$ 477 e a cabeleireira Amie Larson, US$ 416. Já a convidada Bebe Bach foi a que mais ganhou - um cheque de US$ 541. Outras mulheres levaram entre US$ 100 e US$ 200.

Uma me disse: "São US$ 100 a mais do que eu trouxe comigo". Com a recessão castigando os Estados Unidos, parece que até os moradores mais ricos estão valorizando cada centavo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,44
    3,190
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h21

    0,14
    76.390,52
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host