UOL Notícias Notícias
 

13/03/2009 - 09h22

Prisioneiros canadenses escapam com ajuda de cortador de unha

Seis detentos de uma prisão de Saskatchewan, no centro do Canadá, conseguiram fugir usando cortadores de unha e outras ferramentas improvisadas para escavar um buraco em uma das paredes.

De acordo com o jornal local The Star Phoenix , um relatório do governo afirmou que os detentos trabalharam na fuga durante quatro meses. Neste período pelo menos 87 funcionários supervisionaram a unidade onde eles estavam.

A fuga ocorreu na noite de 24 de agosto de 2008. Com um chuveiro de aço os presos conseguiram quebrar uma parede exterior, cuja estrutura tinham conseguido abalar usando ferramentas improvisadas. Usando uma corda feita com lençóis e cobertores, eles conseguiram pular o muro.

Os fugitivos colocaram casacos de inverno sobre a cerca com pontas que cobre o muro da prisão e usaram mais cordas para chegar até o chão, pularam mais duas cercas e finalmente fugiram.

Os que conseguiram fugir primeiro foram recapturados horas depois e o último detento foi preso quase um mês depois da fuga, segundo o The Star Phoenix .

"Não achávamos que iríamos conseguir", disse um dos fugitivos depois de ser recapturado. "Começamos a trabalhar nisto. Era algo que nós apenas continuávamos a fazer. Enquanto não fomos pegos, escolhemos a nossa noite (para a fuga) e apenas aconteceu." Um relatório do governo canadense fez mais de 20 recomendações para melhorar a segurança no Centro Correcional Regina e examinou como os prisioneiros conseguiram escapar.

O relatório afirma que os seis prisioneiros, quatro deles acusados de assassinato, conseguiram trabalhar durante os quatro meses retirando lascas da parede enquanto outros detentos ficavam posicionados, jogando cartas em uma mesa no corredor, para bloquear a visão dos guardas.

O jornal The Star Phoenix informou que, segundo o relatório, existiam indicações claras da execução do plano até dois meses antes da fuga, incluindo uma pista de que os detentos "iriam sair em breve" e estavam "fazendo como nos filmes". Mas informações importantes não foram checadas adequadamente pela gerência da prisão.

O relatório afirma que vários funcionários também suspeitavam que os detentos estavam "aprontando alguma", mas não interrogaram nenhum deles.

O governo de Saskatchewan aceitou as conclusões do relatório e afirmou que vai construir um novo centro correcional no valor de 87 milhões de dólares canadenses (quase R$ 159 milhões).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,94
    3,108
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,51
    63.853,77
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host