UOL Notícias Notícias
 

26/04/2009 - 16h29

Mundo está 'bem preparado' para gripe suína, diz OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou que a comunidade internacional está mais bem preparada do que nunca para enfrentar um novo tipo de vírus de gripe, segundo o diretor assistente da organização Keiji Fukuda.

De acordo com Fukuda os anos de preparo para enfrentar a gripe aviária levaram à melhora nos estoques de antivirais.

No entanto, a OMS já alertou que a doença, que já matou até 71 pessoas no México, pode se transformar em uma pandemia. O próprio Fukuda afirmou que, entre as 71 mortes, "não sabemos quantos são novos casos". Casos da doença foram confirmados entre estudantes de Nova York, mas, em uma declaração o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, afirmou que "não há razão para pânico entre os americanos". Fukuda afirmou que o comitê de emergência da OMS chegou à conclusão de que a situação é "muito séria", uma emergência de saúde pública internacional.

"Pedimos que os países ajudem a esclarecer a situação, forneçam o máximo de informação possível. Por exemplo: pedimos que todos os países aumentem a vigilância e o cuidado para que possamos detectar o mais rápido possível como este vírus está se espalhando", afirmou.

Outros casos suspeitos da doença já foram detectados em outros continentes. Na França, as autoridades de saúde informaram ao jornal Le Parisienque existem dois casos suspeitos, duas pessoas que acabaram de voltar de uma viagem ao México. Na Nova Zelândia dez estudantes que fazem parte de um grupo que viajou para o México estão com o vírus da gripe tipo A, o que, apesar de não ser um resultado definitivo, aumenta a chance de que eles estejam infectados pela gripe suína, de acordo com o ministro da Saúde Tony Ryall.

O Ministério da Saúde da Espanha afirmou que três pessoas que voltaram do México com sintomas de gripe estão isoladas e passando por exames.

Em Israel, médicos estão examinando um homem de 26 anos que foi levado ao hospital com sintomas de gripe. Ele acabou de voltar de uma viagem ao México.

Países da Ásia e América Latina já começaram a examinar passageiros em aeroportos para detectar os sintomas da doença. Vacina Keiji Fukuda afirmou que, se a situação piorar, o primeiro questionamento será a respeito da disponibilidade de uma vacina contra a gripe suína.

"Já estamos trabalhando com nossos centros colaboradores, o trabalho preliminar necessário para as vacinas, se precisarmos", afirmou.

Segundo a correspondente da BBC em Genebra Imogen Foulkes, a OMS vem se preparando para uma pandemia de gripe desde os casos de Sars e gripe aviária dos últimos anos. Mas, de acordo com a correspondente, a organização admite que a situação atual ainda não está totalmente clara. Apenas alguns dos casos do México já foram confirmados como de gripe suína em laboratórios.

E nos Estados Unidos os casos confirmados apresentaram sintomas mais leves. Os especialistas querem saber a razão de algumas pessoas ficarem gravemente doentes enquanto outras apresentam apenas sintomas mais leves de gripe.

A variante H1N1 é a mesma que causa surtos de gripes normais em humanos. Mas esta nova versão tem material genético de versões da gripe que geralmente afetam porcos e aves.

O vírus respiratório, que infecta porcos, mas apenas infecta humanos esporadicamente, é transmitido principalmente pela tosse e espirros. Foulkes afirma que os especialistas da OMS voltarão a se reunir na terça-feira para discutir se vão aumentar o nível de alerta internacional. Estados Unidos Nos Estados Unidos cerca de 20 pessoas foram infectadas, mas nenhuma está em estado grave.

De acordo com o conselheiro de Segurança Doméstica, John Brennan, o presidente Barack Obama está acompanhando a situação e ordenou uma "resposta muito ativa, agressiva e coordenada".

Além dos oito casos confirmados em Nova York, os Estados Unidos também têm sete casos na Califórnia, dois no Texas, dois em Kansas e um em Ohio.

A secretária de Segurança Doméstica Janet Napolitano anunciou que o país declarou estado de emergência pública devido à doença, mas tentou tranquilizar a população, afirmando que o nome "soa mais grave do que realmente é".

"Este é o procedimento operacional padrão e nos permite liberar agências federais, estaduais e locais e seus recursos para prevenção e tratamento, nos permite usar remédios e exames que não poderíamos usar, particularmente em crianças muito novas, e também libera verbas para a aquisição de mais antivirais", afirmou.

Bares e restaurantes fechados Segundo o correspondente da BBC na cidade do México Stephen Gibbs, o governo mexicano foi criticado devido ao que alguns chamaram de reação lenta à gripe suína. Mas agora está tomando medidas mais severas para conter o vírus.

Prédios públicos foram fechados e centenas de eventos cancelados. Escolas na capital e ao redor da Cidade do México ficarão fechadas até o dia 6 de maio e cerca de 70% dos bares e restaurantes na capital também foram fechados temporariamente.

O presidente mexicano Felipe Calderon anunciou medidas de emergência para lidar com a situação como poderes especiais para isolar pessoas com suspeita da doença, sem enfrentar problemas jurídicos.

O ministro da Saúde mexicano, José Córdova, afirmou que um total de 1.324 pessoas foram internadas com sintomas da doença desde 13 de abril.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,22
    3,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,67
    70.477,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host