UOL Notícias Notícias
 

27/04/2009 - 23h49

Polícia de Israel prende grupo acusado de incitar evasão do serviço militar

A polícia de Israel prendeu, no último domingo e nesta segunda feira, oito integrantes do grupo antimilitarista Novo Perfil. De acordo com a polícia, os ativistas são suspeitos de "incitação contra o serviço militar".

O grupo Novo Perfil (New Profile) se define como um "grupo feminista que tem o objetivo de transformar Israel em uma sociedade civil e se opõe ao caráter militarista da sociedade".

A polícia confirmou que "há alguns meses vem sendo realizada uma investigação sobre publicações nos sites New Profile(Novo Perfil) e Target 21(Meta 21, em tradução livre), que incentivam os cidadãos a se esquivarem do serviço militar". Depois de consolidar as evidências e identificar os proprietários dos computadores dos quais teriam sido enviados os conteúdos dos sites, os policiais executaram invasões a residências e locais de trabalho dos suspeitos, apreendendo computadores e outros materiais ligados à investigação.

A investigação começou em consequência de um pedido do procurador do Exército, Avihai Mandelblit, ao procurador geral da Justiça, Meni Mazuz, expressando sua preocupação com o crescimento do fenômeno de evasão do serviço militar.

"Sem precedentes" Para a advogada dos ativistas, Smadar Ben Natan, a operação policial é "sem precedentes".

"Não conheço nenhum caso parecido na história de Israel em que a polícia prendeu um grupo inteiro de israelenses e confiscou computadores desta maneira", disse a advogada à BBC Brasil.

Segundo Ben Natan, "não é por acaso que esse fato ocorre às vésperas do Dia da Memória dos soldados mortos, quando se cria um clima em que a opinião pública provavelmente será favorável à ação da polícia".

O país marca nesta terça feira o Dia da Memória, quando são lembrados os 22.570 soldados que morreram nas guerras de Israel.

De acordo com a advogada, o grupo Novo Perfil "é uma ONG conhecida, que atua segundo a lei, de maneira aberta e pública há mais de dez anos, e uma investigação criminal nesse caso contradiz o princípio da liberdade de expressão".

Serviço militar A polícia atribui aos ativistas a responsabilidade pelo conteúdo do site Target 21, que dá instruções detalhadas de como obter a liberação do serviço militar.

Os integrantes do Novo Perfil, no entanto, negam qualquer ligação com a página de internet.

O site Target 21explica como os jovens podem convencer o Exército de que sofrem de doenças que os tornariam incapazes de prestar o serviço militar.

"Há várias deficiências que podem levar à liberação do Exército, como doenças mentais crônicas, como esquizofrenia ou depressão. A mais comum é a depressão com tendências suicidas", diz o site.

O nome do site se refere à liberação do Exército pelo chamado "perfil 21", que significa a incapacidade total e permanente de prestar o serviço militar.

O Target 21também menciona, em detalhes, os sintomas mais comuns da depressão, como falta de apetite, cansaço e tristeza.

Crime Segundo o investigador responsável da polícia, Nimrod Daniel, "de acordo com a lei, tratam-se de crimes graves que podem levar à prisão".

Pela legislação de Israel, o incitamento à evasão do serviço militar é um crime que pode levar a penas de cinco a sete anos de prisão.

Para o sociólogo político Lev Grinberg, da Universidade Ben Gurion, a ação da polícia contra a ONG "é o primeiro ato que demonstra que temos em Israel um novo governo, mais direitista e mais intolerante".

"Nenhum governo anterior tomou esse tipo de medida contra o grupo Novo Perfil, que já atua há mais de 10 anos", disse Grinberg à BBC Brasil.

"Menos de um mês depois de o governo de Netanyahu e Lieberman assumir, já podemos ver a mudança. Se continuar desse jeito, em breve muitas pessoas em Israel terão medo de expressar suas opiniões".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h49

    0,86
    3,217
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h59

    -0,71
    75.849,06
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host